O “SENTIDO” DE UMA MISSÃO DE PAZ

Por Wagner WASENKESKI

Quando em preparação ou treinamento para uma Missão de Paz, prestes a usarmos uma boina azul, muitas são as informações e objetivos os quais nos são passados como sendo o “sentido” para tal trabalho. Todavia, no dia de hoje, deixando a Missão de Paz da ONU na Guiné Bissau, eu saio com a conclusão de que o mais importante em uma missão como esta, é dar-se por conta do quão relativa é a questão humana de “ajudar o próximo” , típica coisa dos que chamo de “homens de boa vontade”. Eu vim para ajudar, mas saio daqui ainda mais ajudado. Eu vim para deixar algo, mas creio que esteja levando mais do que deixei. Então, talvez, exista uma razão pela qual Deus coloca algumas pessoas nestas missões. Pode ser que, humildemente,  ao dizermos “sim, vou ajudar”, o destinatário final sejamos nós mesmos: recebemos, pois, a chance de melhorarmos a si próprios. Então, creio que o critério de “ajudar o ser humano”, seja verdadeiramente mais relativo do que pensemos. E creio que nos melhorando, melhoramos a quem esteja perto de nós, e assim por diante até chegarmos com “efeito fermento” a toda a humanidade. Para tal, Deus nos coloca em certas provações: é preciso abrir mão de nosso conforto, dos nossos hábitos tradicionais a que estamos acostumados, da nossa boa comida, bom banho, bom sono, boa saúde, e fundamentalmente ficarmos temporariamente afastados das pessoas que mais amamos…. E tudo isso com um propósito: amar a quem inicialmente jamais vimos e sequer sabemos os seus nomes (às vezes até morrer por eles, como já ocorreu com tantos colegas).   Em véspera de meu embarque à missão, disseram-me: “parabéns pela conquista, tu és especial”. Todavia, hoje eu penso: não sou bem eu que sou especial, e sim os nacionais daqui. Eu vim para servi-los, e, quanto a eles, uma missão internacional inteira foi montada para eles! Então, eles sim são especiais. Vejamos como, nesse sentido, tudo é tão relativo.

Por fim, em momento de minha partida, fica aqui registrado meu tributo, minha admiração e meu respeito a todos os colegas boinas azuis (“homens de boa vontade!”), que partiram de seus lares, deixaram temporariamente suas famílias e seu conforto, para servirem a outros que tanto mais necessitavam, e que, todavia, em nome da causa, tombaram em terras distantes e não voltaram para suas casas (do dia em que parti ate hoje, em solo africano, já foram mais de 150… ) Que Deus abençoe e conforte suas famílias e que, apensar de toda a dor, não se esqueçam de que nada foi em vão. É por causa deles, que muitos homens e mulheres serão libertos, muitos vulneráveis receberão de volta sua dignidade, muitas crianças “terão o direito de serem crianças”,  e muitas outras coisas que sequer saberemos.  “Alguns homens passam pela História; outros, fazem a História.”

Obrigado aos colegas da missão UNIOBGIS por toda a irmandade, em especial aos brasileiros pela construção da boa impressão de nosso povo que aqui deixamos, e obrigado aos irmãos guineenses por toda a ajuda. “Eu vim para a ajudar, mas estou levando mais do que deixei”.

Servir, servir, servir….

Força e Honra!

3BPM, Brigada, Brasil!

Cap Wagner WASENKESKI

Wagner WASENKESKI é Capitão da Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul, e trabalha no Escritório Integrado para a Consolidação da Paz na Guiné Bissau (UNIOGBIS), como Conselheiro Policial (Police Adviser), atuou no Escritório Regional da Ilha de Bubaque na referida Missão, ajudando na investigação criminal deste local, tráfico naval, corrupção das instituições públicas, formação dos policiais, policiamento comunitário, inclusive com as crianças através do desenvolvimento de atividades relativas a doutrina do PROERD, etc. Também, na capital do país, Bissau, atuou na reforma do setor de segurança, na formação do efetivo local, em atividades como Assistente Especial do Conselheiro Policial Sênior, dentre outras atividades.
Possui bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais pela PUCRS, Licenciatura Plena em Educação Física pela UFRGS e Bacharelado em Ciências Militares com Ênfase na Defesa Social, pela Academia de Policia Militar do Estado do Rio Grande do Sul.
No Rio Grando do Sul , trabalhou no Policiamento Ostensivo Ordinário, Pelotão de Operações Especiais, Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, Comando de Núcleos de Polícia Comunitária, Seção de Justiça e Disciplina e Chefia de Operações do 3º Batalhão de Polícia Militar.

Anúncios
Published in: on agosto 23, 2017 at 5:18 am  Comments (1)  

Tenente PMESP Fernanda Nossa escreve sobre fé e o respeito à diversidade cultural e religiosa em Guiné-Bissau

“PKO 5

A Guiné Bissau é um exemplo em termos de liberdade religiosa, coexistência pacífica de credos e respeito à fé!

3

Na mesma família há quem comemore o Natal e quem jejue no Ramadã, e isto é tão respeitado e tão disseminado na cultura local que católicos comemoram com festa o fim do Ramadã, animistas aplaudem Jesus Cristo e muçulmanos assistem a danças para divindades da natureza sem que um duvide da crença do outro, sem que outro imponha verdades a um e sem que dois ou três briguem…

E neste domingo, na primeira missa que meu senso individual de gratidão me fez assistir, foram vários os momentos em que me emocionei! O coral de crianças super afinado, os ritos preservados que discretamente o padre fez questão de manter e ensinar para seus fiéis e que os diferenciam de tantos e tantos por detalhes quase imperceptíveis como o fato de uma leitora da palavra esperar que a próxima se aproximasse dela para que juntas elas fizessem a saudação ao altar e só então assumissem seus novos locais na igreja, as palavras curiosas do português falado aqui do outro lado do Atlântico, os singelos mas sempre presentes instrumentos de percussão típicos da região que impõem às músicas uma atmosfera incontestável, poderosa e inconfundível de África, os vitrais discretos mas significativos de santos ao longo da igrejinha branca, a senhora de idade que professou intensamente sua fé a meu lado, o rapaz que estava no banco de trás e que me desejou a paz de Cristo com uma sinceridade que fazia tempo que não via no olhar de um desconhecido, o missionário mineiro que fez questão de vir nos conhecer ao fim da missa e que veio trabalhar no país em nome da igreja, as crianças, seus risos e cochichos curiosos sobre mim e meus amigos que tem o Brasil estampado na fuça, a delicadeza do terço que ganhei de presente de um comandante e grande amigo, o fato de eu saber que minha mãe também iria na missa lá no Brasil naquele dia e que de alguma forma nossos corações se encontrariam, tudo, simplesmente tudo me fez chorar…

E assim lacrimejei do início ao fim da missa, me juntei em oração pela transfiguração das pessoas, das cabeças dos políticos e das autoridades, para que enxerguem seu dever e atuem verdadeiramente pela sociedade bondosa desse país que tem um dos mais baixos IDH do mundo (172º colocado de 177 países) mas onde ninguém permite que um irmão acabe vivendo na rua ou morra de fome, no melhor exemplo de solidariedade que se pode imaginar… e como toda macumbeira que se preze senti arrepios, calafrios e ondas de energia que não pude conter e que me fizeram tremer de emoção ao perceber a força daquelas vozes unidas suplicando por paz e estabilidade e foi tão implacável este sentimento que imediatamente desejei o mesmo para o meu país…

Fechei meus olhos e agradeci profundamente tudo o que me aconteceu neste último mês e a grande oportunidade que o “Barba” me deu… confesso que são tantas coisas vividas de maneira tão intensa e significativa que ainda nem me dei conta que estou abrindo minha terceira semana de missão de paz, sem entender muito bem o meu papel no complexo contexto de ser “police adviser” ou conselheiro policial num Escritório Internacional Integrado para a Consolidação da Paz em um país pequenino, que conquistou com suor e sangue a liberdade há menos de 50 anos depois de séculos de colonialismo, que passou por diversas crises políticas e que tem atualmente a chance de que o presidente cumpra seu mandato por completo pela primeira vez!

Então me invadiu a certeza que não dá pra vir aqui fazer a diferença por propósito financeiro, por propósito pessoal, por propósito comercial ou por aventura… o único jeito de fazer valer a pena é realmente entender, de uma vez por todas, que o exercício da autoridade, seja ela política, familiar, educacional ou policial, decorre de um dos maiores mandamentos que o barba podia nos ter ensinado: o amor ao próximo! Se em Romanos 13 está escrito que toda autoridade vem de Deus, e que por este motivo, ela merece respeito e obediência, pois atua em nome dele, em algum lugar também está escrito que o governo existe para manter a ordem e a paz e que os governantes têm grande responsabilidade perante o “Barba”, pois devem fazer justiça e guiar o povo com sabedoria e cuidado e mais: que serão julgados de acordo com suas ações…

Então voltei a fazer a mistura de fé com ideologia que sempre acabo fazendo, voltei a enxergar um propósito divino no exercício do poder de polícia e voltei a acreditar que nunca, nunquinha, de jeito nenhum eu teria escolhido outra coisa pra fazer, nem em outra vida, nem em outro planeta…

4

OBS:

Post publicado pela 1º Ten PMESP Fernanda Nossa em uma rede social. Autorizado para publicação neste site. Fernanda é conselheira policial (police adviser) em missão de paz da ONU em Guiné-Bissau. Atualmente, atua como ponto focal (focal point) da UNIOGBIS com a polícia local para o desempenho das atividades de polícia comunitária na “Model Police Station”, ou esquadra policial modelo, como chamam em Guiné-Bissau.

Published in: on agosto 9, 2017 at 7:41 am  Comments (1)  

Oficial da PMAL é indicado para cargo de Gênero e Pessoas Vulneráveis na Missão de Paz da ONU em Guiné-Bissau

No dia 02 de junho de 2015, o Ministério da Defesa (MD) indicou ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), o Major PMAL Rhonady Severino Oliveira para concorrer à vaga de Police Officer – Gender & Vulnerable People, nível profissional staff P-3, secondment contracted, para cargo no Escritório Integrado das Nações Unidas para Consolidação da Paz em Guiné-Bissau (UNIOGBIS).

Parabéns ao veterano oficial pela indicação e a PMAL.

Published in: on junho 4, 2015 at 7:23 pm  Deixe um comentário  

Programa na Guiné-Bissau

A Fundação Fé e Cooperação (FEC) é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) com estatuto de Utilidade Pública. Actua na área da Cooperação para o Desenvolvimento, sobretudo na Guiné-Bissau e em Angola, tendo como sectores prioritários a educação, a saúde e a capacitação institucional. Na área da Educação para o Desenvolvimento e Advocacia Social a FEC aposta da dinamização de redes com impacto junto de decisores políticos, económicos e religiosos. Os projectos da FEC são financiados, entre outros, pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, pela União Europeia, Fundação Calouste Gulbenkian, UNICEF, Caritas Guiné-Bissau, Plan Guiné-Bissau, Câmaras Municipais de Cascais e Santa Maria da Feira.

A FEC convida à apresentação de candidaturas para o provimento de uma vaga para o programa na Guiné-Bissau 2013/2014:

– Técnico(a) Formador(a) de Gestão e Administração Escolar e Participativa (ver Termo de Referência), com formação superior em Ciências da Educação, preferencialmente com especialização em Gestão e Administração Escolar.

Por favor, enviar respostas e Curriculum Vitae para recrutamento@fecongd.org até ao dia 31 de Dezembro de 2013 indicando a posição para que se candidata no assunto do e-mail.

O CV, preferencialmente em português e em formato europeu, deverá ser acompanhado de uma carta de motivação e da indicação de duas pessoas de referência e o seu contacto.

Solicitamos também a resposta ao seguinte questionário disponível aqui.

Em caso de dúvida contactar Etelvina Cardeira para o telefone (00 351) 21 886 17 10.

Published in: on dezembro 18, 2013 at 3:55 pm  Deixe um comentário  

Capitao PMDF Melissa se prepara para Missao de Paz da ONU na Africa

A Capitao PMDF Melissa Rocha se prepara para sua primeira Missao de Paz junto a ONU, com embarque previsto para os proximos 15 dias. A missao sera no Sudao do Sul/Africa.

Parabens a Capitao Melissa pela conquista e a PMDF e ao Governo do Distrito Federal por fazer parte do esforco global da ONU em atingir a meta de 20% de UNPOLs femininas em 2014. As atuais 02 policiais femininas brasileiras hoje em Missao de Paz sao da Policia Militar do Distrito Federal. A Capitao Melissa sera a terceira em area de missao ainda no mes de julho 2013.

Sucesso!

Published in: on julho 8, 2013 at 3:11 pm  Deixe um comentário  

Atualização do efetivo UNPOL brasileiro em Missões de Paz da ONU

Confira o efetivo policial militar brasileiro atualmente em Missões de Paz da ONU (01 de março de 2013).

Dos mais de 12 mil policiais da ONU (United Nations Police – UNPOL), apenas 14 são brasileiros.

Efetivo PM brasileiro em Missões de Paz – 27fev2013

Sérgio Carrera

UNPOL

Published in: on março 2, 2013 at 1:51 am  Deixe um comentário  

Instabilidade política em Guiné-Bissau interrompe ajuda do Brasil

Belo Horizonte — O esforço brasileiro para ajudar os países da África, especialmente a Guiné-Bissau — assumido como prioridade pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva e encampado pela presidente Dilma Rousseff —, esbarra em turbulências políticas internas de países no lado ocidental daquele continente. Um exemplo é Guiné-Bissau, onde o Brasil investiu US$ 10,4 milhões ( cerca de R$ 20,8 milhões) em pelo menos 20 projetos sociais e de desenvolvimento econômico e institucional. Lá, todas as iniciativas estão suspensas em razão de um golpe militar promovido pelas forças armadas guineenses no dia 12 do mês passado. E mais grave: os revoltosos pretendiam ocupar o Centro de Formação das Forças de Segurança, construído para qualificar as polícias do país em projeto orçado em US$ 3 milhões, para transformá-lo em uma de suas bases militares.

O centro deveria ter sido inaugurado, com honra e pompas, em abril, mas a solenidade, que teria a presença de representante do governo brasileiro, do Departamento de Polícia Federal, do Ministério Público Federal e da UNODC (agência das Nações Unidas de combate às drogas e ao crime organizado), foi suspensa em razão da instabilidade política.

Fonte: Correioweb

Published in: on maio 28, 2012 at 1:40 pm  Deixe um comentário  

Militares tomam ruas de Guiné Bissau e controlam rádio nacional

(AFP) – Há 1 hora 

BISSAU, Guiné-Bissau — Um grupo de militares tomou nesta quinta-feira à noite o controle da rádio nacional de Guiné Bissau, enquanto outros soldados mobilizaram-se nas ruas da capital, onde eram escutados disparos de foguetes, constatou um jornalista da AFP.

Uma dezena de militares armados entrou na emissora e forçaram a saída dos funcionários. Ao mesmo tempo, outros soldados mobilizaram-se pelas ruas de Bissau, ocupando a sede do partido no poder e a avenida da residência do primeiro-ministro em fim de mandato, Carlos Gomes Junior, em volta da qual foram lançados foguetes e disparos foram ouvidos.

Pouco antes, a oposição de Guiné Bissau, dirigida por Kumba Yala, que deve enfrentar em 29 de abril no segundo turno da eleição presidencial o primeiro-ministro em fim de mandato Carlos Gomes Junior, havia pedido o boicote desse pleito.

Os cinco principais candidatos da oposição, entre eles Kumba Yala, pediram a seus militantes e simpatizantes “a não votar em 29 de abril” em nome da “justiça”, durante coletiva de imprensa. “Qualquer um que se aventurar a fazer campanha assumirá a responsabilidade de tudo o que acontecer”, ameaçou o ex-presidente Kumba Yala, que havia denunciado “fraudes massivas” no primeiro turno.

Na primeira etapa das eleições, ocorrida em 18 de março, Gomes Junior obteve 48,97%, enquanto Kumba Yala obteve 23,26%.

A campanha eleitoral para o segundo turno deve começar nesta sexta-feira e acabar em 27 de abril.

Nos últimos dias, havia temores sobre atos de violência nesta ex-colônia portuguesa cuja história é marcada por vários golpes de Estado desde sua independência em 1974.

O país também se tornou nos últimos anos rota fundamental do narcotráfico entre América do Sul e Europa.

Fonte: AFP

Published in: on abril 12, 2012 at 10:14 pm  Deixe um comentário  

Brazilian female police officers in United Nations Peacekeeping Operations – as of 04 April 2012

Currently, Brazil has only 04 female police officers serving in United Nations Peacekeeping Operations: 02 in East Timor (one police Capt. From Bahia Police Department – PMBA, and one Second Lt. from São Paulo State Police Department – PMSP) and 02 in South Sudan (02 Second Lt.)

Most recently, 03 female police captains from the Brazilian Federal District Military State Police Department (Polícia Militar do Distrito Federal – PMDF) have been appointed to the UN Missions in Guiné-Bissau (01) and East Timor (02).

Of the 04 UN Peacekeeping Missions that Brazil have police officers deployed, MINUSTAH (Haiti) is the only one that has never had a Brazilian female police officer.

We are making some progress… very slowly, though!

Sérgio Carrera

Published in: on abril 5, 2012 at 4:27 am  Comments (2)  

Policiais militares brasileiras em Missões de Paz da ONU – Situação em 04 de abril de 2012

Atualmente, o Brasil conta com apenas 04 policiais femininas em Missões de Paz da ONU, duas no Timor Leste (uma Capitão da PMBA e uma Segundo Tenente da PMESP) e 02 no Sudão do Sul (duas 2 Tenentes).

Mais recentemente, 03 Capitães da PMDF foram indicadas para as Missões na Guiné-Bissau (01) e Timor Leste (02).

Das 04 Missões de Paz que contam com a presença de policiais militares brasileiros, apenas a MINUSTAH (Haiti) nunca contou com policiais femininas.

Estamos progredindo… mesmo que a passos lentos…muito lentos.

Sérgio Carrera

Published in: on abril 5, 2012 at 12:49 am  Deixe um comentário  

Manifestação na CNE na Guiné-Bissau acaba com confrontos entre polícias e militares

Lusa 20 Fev, 2012, 14:17

Cerca de duas centenas de jovens provocaram hoje distúrbios em frente à sede da Comissão Nacional de Eleições (CNE) da Guiné-Bissau, onde exigiam o direito ao voto, mas a manifestação acabou com confrontos entre polícias e militares.

Os jovens reclamavam a inscrição nos cadernos eleitorais, para poder votar nas eleições presidenciais antecipadas de 18 de março. A marcha culminou com queima de pneus em frente da sede da CNE entre gritos de palavras de ordem como “Temos Direito a votar”, “Não podemos ficar de fora”.

A polícia foi a primeira a intervir, mas depois chegaram militares, que segundo testemunhas no local, agrediram os agentes policiais que se encontravam no local para a manutenção da ordem. Segundo o tenente Jorge Piter, chefe da divisão de informação da Polícia de Ordem Publica (POP) de Bissau, o que se passou em frente à sede da CNE “é muito lamentável”.

“Chegámos aqui, vimos a manifestação dos jovens, tentámos falar com eles mas não nos entendemos, aí disparámos granadas de gás lacrimogéneo, um procedimento normal em circunstâncias destas. Mas de repente fomos invadidos por militares com metralhadoras e tudo. Começaram logo a disparar as suas armas, com balas de fogo”, contou Jorge Piter.

Os jovens, enquadrados por alguns líderes de partidos da oposição, estavam a manifestar a sua indignação pelo facto de os seus nomes não constaram nos cadernos eleitorais para as presidenciais de 18 de março.

A CNE diz que não pode atualizar os cadernos eleitorais por falta de tempo.

“Este procedimento dos militares é estranho e não ajuda em nada a imagem do país. Porque se uma força chega num lugar a primeira coisa que deve fazer é tentar saber junto da força que lá encontrou o que se passa”, disse o polícia Jorge Piter.

De acordo com este tenente, vários colegas ficaram feridos. Alguns foram levados mesmo pelos soldados. “Não sei para onde foram levados e nem quantos são”, acrescentou Jorge Piter.

“No total éramos cerca de 15 homens que aqui na CNE, mas apenas eu e o meu colega não fomos atingidos pela ação dos militares porque estávamos no gabinete do presidente da CNE a tentar capturar o líder desta manifestação”, contou ainda Jorge Piter.

O alegado líder da manifestação, que a polícia diz não ter sido autorizada, é o presidente do partido Congressso Nacional Africano (CNE), Alfa Djaló, candidato às eleições presidenciais antecipadas de 18 de março.

Djaló tem dito que mais de 100 mil jovens guineenses ficaram de fora nas eleições. O Gabinete Técnico de Apoio Processo Eleitoral (GTAPE), pela voz do seu diretor, Alen Sanca, já desmentiu esses números apontando para cerca de 57 mil jovens os que não vão poder votar

 Fonte:

 

Divulgado por Moises Ceschin.

Published in: on fevereiro 21, 2012 at 12:52 pm  Deixe um comentário  

PMDF indica policiais militares para Missão de Paz no Haiti e Guiné-Bissau (FEV 2012)

Após alguns meses na expectativa, na última segunda-feira a PMDF recebeu solicitação de uma vaga de UNPOL para o Haiti e uma para a Guiné-Bissau.

Interessante foi que o documento chegou no mesmo dia que deveria ser respondido (não se sabe onde ficou parado).

Temos um policial masculino e um feminino indicados.

A Corporação continua com mais de 10 policiais militares habilitados.

Published in: on fevereiro 9, 2012 at 3:00 pm  Comments (3)  

Um comércio de horrores

A Tanzânia condena pela primeira vez caçadores de albinos. Devido a uma tenebrosa superstição, essas pessoas são mortas e têm o corpo retalhado para ser vendido a feiticeiros

Nathália Butti

Esdras Nidkumana/AFP
VIDA EM PERIGO
Uma mãe com seu bebê albino no Burundi: tradição macabra

Um tribunal da Tanzânia mandou para a forca, na terça-feira passada, três homens que mataram um menino albino de 14 anos e amputaram suas pernas. É a primeira condenação para um tipo de crime comum no país. Desde 2006, pelo menos 75 albinos foram mortos e esquartejados no país. O albinismo é uma deficiência na produção de melanina, o pigmento que dá cor a pele, olhos, cabelos e protege da radiação ultravioleta. Os portadores da deficiência têm a pele pálida e vulnerável ao câncer, cabelos finos e olhos sensíveis à luz. Devido a uma superstição macabra, que atribuiu poderes sobrenaturais aos “zero-zero” – como são pejorativamente chamados –, nenhum albino está a salvo na África Oriental, sobretudo na Tanzânia e no Burundi. Eles são caçados e têm o corpo retalhado para ser vendido aos fabricantes de mandingas. Samwel Mluge, albino de 50 anos que vive na Tanzânia, casou-se com uma albina e a alteração genética foi transmitida aos seus cinco filhos. “Sempre digo às crianças para serem cuidadosas e só andarem em grupo”, disse Mluge a VEJA. “Eu me sinto caçado como um animal.”

Na Tanzânia, país entre os últimos colocados no ranking de desenvolvimento humano da ONU e com renda per capita de 440 dólares, o comércio de órgãos para feitiçaria é um negócio que vale qualquer risco. As partes mais valorizadas do corpo de um albino (dedos, língua, braços, pernas e genitais) podem atingir 3 000 dólares a peça. Apesar de a incidência de albinismo no país estar cinco vezes acima da média mundial, a demanda é tão grande que a Tanzânia importa clandestinamente pedaços de corpos. Pescadores tecem fios de cabelo de albinos em suas redes para ter sucesso na pescaria. Mineiros penduram no pescoço amuletos feitos com seus ossos moídos. Quem consegue beber o sangue ainda quente de um albino tem sorte em dobro. Melhor ainda se for de uma criança, pois a pureza infantil intensifica o poder do feitiço.

Alimentado pela miséria e pela ignorância, um extenso rol de tradições brutais persiste na África. A mutilação genital das meninas é a norma entre a etnia majoritária do Quênia, por exemplo. A tortura e o assassinato pelos próprios familiares de crianças acusadas de possessão demoníaca são uma praga na África Austral. O caso dos albinos provoca maior indignação mundial devido aos esforços de um albino canadense, Peter Ash, que criou a ONG Under the Same Sun para pressionar o governo da Tanzânia a reprimir o tráfico de carne humana. Poucas providências foram tomadas. “Sabemos que pessoas poderosas se consultam com os feiticeiros e não querem ver seu nome em tribunais. Se as vítimas fossem normais, os culpados já estariam presos”, disse Ash a VEJA. Na semana passada, ele desembarcou na Tanzânia para continuar sua campanha. Por razões óbvias, fez-se acompanhar de três guarda-costas.

Fonte: Veja.com http://veja.abril.com.br/300909/comercio-horrores-p-142.shtml

 

Published in: on dezembro 11, 2011 at 5:35 pm  Comments (3)  

Guiné-Bissau e o ressurgir de uma nova crise?

Há muito que corriam rumores que o presidente Malam Bacai Sanha estava com sérios problemas de saúde. Eram conhecidas as constantes visitas, algumas repentinas, outras preparadas, a Dakar e a Paris para consultas e alguns internamentos, devidos a uma doença, nunca publicamente esclarecida.

Soube-se, há dias, que Sanhá tinha ido, uma vez mais a Dakar e recambiado de urgência para Paris onde o primeiro-ministro ter-se-ia deslocado para saber da situação clínica do Presidente, enquanto, na região, haveria algumas movimentações de países limítrofes, abrigando-se sob o chapéu protector da Comunidade Económica para Desenvolvimento da África Ocidental (CEDEAO), para, caso necessário, intervir no único país lusófono daquela região africana – exceptuando, claro, mas este é outro “piano”, Cabo Verde – caso a situação degenerasse, como parecem não só prever, como desejar e ansiar.

E para reforçar a sempre latente crise que se reproduz na Guiné-Bissau, acabámos de saber, através do semanário electrónico “A Nação” que o Presidente Bissau-guineense já estará em coma hospital Militar Val de Grâce, em Paris, devido a sérias complicações de saúde, com os seus principais colaboradores a temerem pelo que se possa desenrolar no País onde, periclitante ou não, ia-se cimentando uma pequena estabilidade política, militar e social.

Esta situação não será tão estranha dado que, ainda recentemente, o premiê cabo-verdiano, José Maria Neves, que esteve durante uns dias de visita à Guiné-Bissau, também teria confirmado que o estado de saúde do presidente Bissau-guineense, transferido no último fim-de-semana de um hospital de Dakar para outro em Paris, inspirava “alguns cuidados“.

Igualmente a Oposição anda preocupada e deseja ser devidamente informada do verdadeiro estado de saúde do Presidente até porque o Chefe de Governo carlos Gomes Júnior que se tinha deslocado de propósito a Paris para ver o Presidente, facto que acabou por não acontecer, dizia ter recebido “notícias encorajadoras” quanto ao seu estado de saúde.

Para reforçar a já visível instabilidade política no País, também o Chefe do Estado-maior General das Forças Armadas, Antonio Indjai – que há quem sussurre ter sido um dos mentores que levaram ao desaparecimento de alguns políticos no país após a última crise militar que quase depôs Carlos Gomes Júnior – terá avisado que haverá as habituais “barafundas” para a Guiné-Bissau, caso a CEDEAO decida enviar uma missão militar sob o propósito de garantir segurança às figuras públicas nacionais Bissau-guineenses, bem assim uma força de Paz.

Isto levou os cabo-verdianos, através do seu Ministro de Defesa, a apelar algum bom senso à CEDEAO e muita “prudência” na condução do processo de reforma da Defesa e Segurança na Guiné-Bissau, para evitar “factores de stress” e se prosseguir com o roteiro já orientado e definido com a CPLP.

Ora o que parece, está a passar, de novo, com a Guiné-Bissau. Uma nova e pungente crise à vista com muitos colaterais a salivar nos dedos. Será bom que a CPLP se mostre realmente e, goste-se ou não, que Angola sirva de charneira face a tão grandes e avassaladores apetites…

Não esqueçamos que Angola tem “observadores militares” a ajudar a reformular as forças de segurança na Guiné-Bissau e foi um dos principais financiadores para o o fundo de pensões para ex-militares Bissau-guineenses.

É que a estabilidade na Guiné-Bissau pode ser um farol para a estabilidade na região, principalmente quando com o fim da crise na Líbia se detectam, naquele espaço geográfico, do regresso “de várias pessoas ao Mali e Níger, provenientes da Tripolitânia, algumas delas na posse de armas pesadas“.

Fonte: http://port.pravda.ru/cplp/guinebissau/04-12-2011/32557-guine_bissau_crise-0/

 

Published in: on dezembro 4, 2011 at 6:14 pm  Comments (1)  

The PMDF and the United Nations Peace Operations: A Brief history and Future Perspectives.

MELO NETO, S. C. A., MELO, Antônio Sérgio Carrera de Albuquerque. The PMDF and United Nations Peace Operations: A Brief History and Future Perspectives In: Pearson Papers: “Latin America and Peace Operations: Partners and Perspectives”.1 ed.Clementsport, Nova Scotia : Canadian Peacekeeping Press, 2011, v.13, p. 31-37.

Fonte: http://www.peaceoperations.org/wp-content/uploads/2010/02/Pearson-Papers-Volume-13.pdf

Visita ao Brasil do Representante Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau, Embaixador Joseph Mutaboba

Brasília, 29 a 31 de março de 2011

30/03/2011 –

O Representante Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau, Embaixador Joseph Mutaboba, realiza visita a Brasília, ocasião na qual será recebido, no dia 31 de março, pelo Ministro Antonio de Aguiar Patriota.

O objetivo da visita do Embaixador Mutaboba é discutir formas de fortalecer a cooperação na Guiné-Bissau, em particular nas áreas de reforma do setor de segurança, fortalecimento do estado de direito e combate ao narcotráfico. 

O Brasil permanece comprometido com a estabilidade e o desenvolvimento da Guiné-Bissau e preside, desde dezembro de 2007, a configuração da Comissão de Consolidação da Paz das Nações Unidas para a Guiné-Bissau. Realiza, ademais, extensa cooperação bilateral com o país, com iniciativas nas áreas de segurança, desenvolvimento socioeconômico, agrícola, educação e saúde, entre outras.

FONTE: MRE.

Published in: on março 31, 2011 at 3:23 am  Comments (1)  

Replacement in Guinea-Bissau

Alguns policiais militares começam a retornar ao Brasil por término de Missão de Paz da ONU em Guiné-Bissau.

O Capitão Thales, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, retornou na semana passada.

O TC PMDF Cesar está com retorno previsto para o próximo mês e o Senior Police Advisor, chefe do componente policial da ONU no país, Coronel PMDF Nelson W. Garcia deve regressar ainda neste semestre.

O governo do Brasil deve envidar os esforços necessários para que esse cargo permaneça com o país. Atualmente, existe somente um Oficial do posto de Coronel habilitado para Operações de PAz da ONU, também da PMDF e veterano de 3 Missões na região da Bósnia. Não há outro policial militar desse posto habilitado em todo país. Com larga experiência internacional na ONU, Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Ministério da Justiça, Secretaria Nacional de SEurança Pública além das funções operacionais e administrativas na PMDF possue CV e capacidade técnica e intelectual para conduzir os trabalhos iniciados pelo Cel PMDF Garcia.

A torcida agora é para que além do cargo mais importante da UNPOL em Guiné permaneça com um brasileiro, as outras 5 funções de gerenciamento as quais tiveram a frente policiais militares brasileiros fiquem com o Brasil.

Esse processo deve ser rápido e bem conduzido pelo Exército, Ministério da Defesa, Ministério das Relações Exeriores, PMDF e GDF.

Em nível de alto escalão, como chefe de componentes em Operações de Paz da ONU, o Brasil conta apenas com o chefe do componente policial na Guiné Bissau e com o chefe o componente militar no Haiti.

Precisamos de agilidade e boa diplomacia para mantermos cargos tão importantes e que reflitam políticas pró-ativas do país na área de segurança internacional.

Sérgio Carrera

Published in: on fevereiro 11, 2011 at 5:02 am  Comments (3)  

Policiais militares brasileiros são condecorados com medalha da ONU em Guiné-Bissau (UNIOGBIS)

É com grata satisfação que recebemos email do TC PMDF Cesar informando que no dia 14 de janeiro de 2011 às 10:00h, na sede do Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné Bissau – UNIOGBIS, ocorreu a solenidade de condecoração aos Policiais da Unidade de Reforma Policial da Seção do Setor de Reforma de Segurança com a Medalha de Serviço Especial das Nações Unidas.  

O grupo de agraciados com a medalha  é composto por 12 policiais que representam os seguintes países: Angola, Brasil, Moçambique, Paraguai, Portugal, Suiça e Zimbabue. O Brasil foi representado pelos seguintes Oficiais, oriundos da Polícia Militar do Distrito Federal e da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, nominadamentre:

·        Coronel Nelson Werlang Garcia – PMDF (Senior Police Advisor)

·        Tenente Coronel Marcos Aurélio Vitoriano Matias – PMDF

·        Tenente Coronel Florisvaldo Ferreira Cesar – PMDF,

·        Tenente Coronel Denise Dantas de Aquino – PMDF,

·        Capitão Tales Américo Osório – BMRS.

      

Os UNPOL brasilieros em Guiné-Bissau.

(Da esquerda para a direita: Capitão BMRS Tales Américo Osório, Tenente Coronel PMDF Denise Dantas de Aquino, Coronel PMDF Nelson Werlang Garcia (Senior Police Advisor), Tenente Coronel PMDF Florisvaldo Ferreira Cesar e Tenente Coronel PMDF Marcos Aurélio Vitoriano Matias.)

Parabéns aos policiais militares brasileiros que pela segunda vez tão dignamente representam as suas instituições, o Brasil e a ONU.

Sérgio Carrera

Published in: on janeiro 19, 2011 at 12:57 pm  Comments (2)  

PM do Paraná segue nas próximas semanas para a Guiné-Bissau

Segundo informações recebidas, um Tenente da Polícia Miitar do Paraná irá compor a  Polícia da ONU (United Nations Police – UNPOL) na Guiné Bissau.

Não sei se o distinto oficial já participou de alguma Missão mas até então somente veteranos de outras Missões da ONU poderiam participar dessa em especial, visto se tratar de uma Missão Política do DPA.

Havia a possibilidade da Missão se tornar uma missão do DPKO com efetivo UNPOL convencional/ordinário, inclusive com a possibilidade de se tornar uma missão executiva.

Por ora, é só!

SC

Published in: on dezembro 9, 2010 at 9:06 pm  Deixe um comentário  

Duas agentes da polícia participam em reuniões internacionais organizadas pelas NU

Bissau (Fonte: Bombolom-FM) – Duas agentes da polícia, uma em representação da POP guineense e a outra ao serviço do UNIOGBIS, vão representar a Guiné-Bissau-Bissau em duas reuniões internacionais organizadas pelas Nações Unidas entre 21 a 30 de Setembro nos Estados Unidos de América, informou uma nota à imprensa do UNIOGBIS.

Tratam-se, de acordo com a mesma nota, da Capitãe, Bibiana dos Santos que representará a Guiné-Bissau nestas duas reuniões enquanto o UNIOGBIS será representado pelo Major Denise Dantas de Aquino, conselheira polícial para assuntos do género e pessoas vulneráveis e membro da unidade de reforma da polícia da secção de reforma do setor de segurança.

De acordo com a nota, a reunião decorrerá em duas fases, sendo a primeira, de 21 a 25, para a recolha de subsídios relativos às melhores práticas policiais e lições aprendidas sobre questões do género, no quadro da reforma do setor da defesa e segurança, com a finalidade de elaborar manuais técnicos de informação da ONU. Em seguida, será realizada, de 26 a 30 deste mês, a conferência anual de treinamento de associação internacional das mulheres polícias com a finalidade de aumentar a representação feminina nas missões da ONU.

NOTA: A Major Denise Dantas é brasileira e pertence os Quadros da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).

Published in: on outubro 9, 2010 at 5:31 pm  Deixe um comentário  

Presidente divulga carta à CEDEAO para esclarecer que não pediu missão militar

 

Source: Noticiaslusofonas.com A Presidência da Guiné-Bissau divulgou sexta-feira a carta enviada pelo chefe de Estado guineense à Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) a pedir apoio para aplicar a reforma do sector da defesa e da segurança.

Segundo fonte da presidência guineense, a divulgação da missiva visa esclarecer a opinião pública sobre o exacto pedido que o Presidente Malam Bacai Sanhá fez à CEDEAO no âmbito da reforma daqueles sectores no país, e afastar a ideia de que o chefe de Estado guineense teria pedido a vinda de militares para o país.

Na carta, o Presidente da Guiné-Bissau refere que a “interrupção do processo de reforma (…) teve como consequência atrasos na implementação da fase subsequente da mesmo”.

Na carta, Malam Bacai Sanhá refere que há necessidade de continuar a reforma, devido ao processo de desenvolvimento do país e pede apoio à CEDEAO.

“Vimos pelo presente solicitar a vossa excelência, na qualidade de Presidente em exercício da CEDEAO (Goodluck Jonathan, presidente da Nigéria) apoio e assistência na implementação da reforma do sector de defesa e segurança”, escreve o Presidente guineense.

“No caso de vossa excelência anuir sobre este pedido, a natureza e as modalidades específicas serão posteriormente determinadas, conjuntamente com o Governo da Guiné-Bissau”, acrescenta na missiva.

O documento, datado de 20 de Setembro, foi também enviado ao presidente em exercício da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o chefe de Estado angolano José Eduardo dos Santos, e ao presidente em exercício da União Africana, Bingu Mutharika.

No passado dia 25, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau já tinha informado os parceiros internacionais do país que o Presidente Malam Bacai Sanhá tinha pedido o envio de uma missão da CEDEAO de apoio à reforma do sector de defesa e segurança, mas sem componente militar.

“O que se pediu é uma missão para ajudar, fazer assistência e apoiar, mas não uma força militar”, disse Mano Queta.

Na última reunião do grupo de contacto internacional para a Guiné-Bissau, ficou decidido que a CEDEO vai liderar o apoio à reforma do sector de defesa e segurança no país.

O grupo decidiu também que a ONU fica com o papel de coordenação e mobilização da comunidade internacional para apoio àquela reforma.

Published in: on outubro 8, 2010 at 2:40 am  Deixe um comentário  

Guiné Bissau: Primeiro-Ministro confirma solicitação de Força de Estabilização

O Primeiro-Ministro guineese, Carlos Gomes Junior, confirmou a jornalistas em Bruxelas que o Presidente da Guiné-Bissau já solicitou o envio de uma força de estabilização à comunidade internacional. As declarações foram feitas após o encontro que Carlos Gomes Junior teve com o presidente da Comissão Europeia (CE), José Manuel Durão Barroso.
O assunto sobre a presença de uma força internacional em solo guineense ainda causa certo desconforto ao comando das forças armadas do país, mesmo que não tenha sido dada nenhuma declaração oficial a esse respeito. No entanto, o aval somente será fornecido se a decisão for aprovada pelo parlamento e demais órgãos do Estado.
O Primeiro-Ministro enfatizou que a presença desta força internacional visa criar condições adequadas para a construção de forças republicanas na Guiné-Bissau.
Por sua vez, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, defendeu a presença de uma força de estabilização na Guiné-Bissau a fim de restabelecer a confiança internacional no país. Na verdade, esta é uma exigência dos parceiros internacionais para continuarem a dar apoio à Guiné-Bissau . Durão Barroso defendeu a idéia de que esta força deva ser formada por contingentes de países do continente africano. Moçambique já acenou com a possibilidade de integrar o esforço internacional em recente reunião em Nova York na sede das Nações Unidas.

Fonte: Site o País e Blog UNPOLICE.

Published in: on outubro 7, 2010 at 1:18 am  Deixe um comentário  

Policiais militares brasileiros na Guiné-Bissau estão bem (UNIOGBIS)

Depois da notícia postada pelo amigo Marco Antonio, recebemos relato do Major PMDF César, Conselheiro Policial na Missão das Nações Unidas em Guiné-Bissau (UNIOGBIS), afirmando que a situação dos policiais militares brasileiros e demais integrantes da Missão é normal e que nenhum deles foi submetido a qualquer tipo de violência ou estresse.

Noticia muito importante para os familiares, amigos e companheiros de profissão dos 4 policiais militares brasileiros da Missão.

De fato, houve a retirada do militar das instalações da ONU, mas não houve agressão. Mesmo com os rumores de Golpe de Estado, o Primeiro-Ministro do país continua trabalhando e a Junta Militar fez declarações no sentido de que não haverá qualquer tipo de intromissão na vida política do país.

Sérgio Carrera

Published in: on abril 3, 2010 at 3:17 am  Deixe um comentário  

Ban urges leaders in Guinea-Bissau to maintain rule of law

Instability deprives the people of Guinea-Bissau of clean water 1 April 2010 – Secretary-General Ban Ki-moon today urged the military and political leadership of Guinea-Bissau to resolve their differences peacefully and to maintain constitutional order and the rule of law, after military incidents in which the Prime Minister was briefly detained.
“He further underlines the need to avoid any risks to the gains made by Guinea-Bissau in its on-going peace consolidation efforts,” Mr. Ban’s spokesperson said in a statement.

The Secretary-General’s Special Representative for Guinea Bissau, Joseph Mutaboba, is working closely with other international partners including the Economic Community of West African States (ECOWAS) and the African Union to continue to support national efforts to promote sustainable stability in the country, the statement added.

The UN Integrated Peacebuilding Office in Guinea-Bissau (UNIOGBIS), which is headed by Mr. Mutaboba, has reaffirmed the need to respect constitutional order and the legally elected State institutions, which are essential conditions for peace, stability and the development of the country.

“The United Nations reaffirms its commitment to seeking a rapid, suitable and peaceful solution to today’s events with the national and international actors,” the mission said in a statement.
Guinea-Bissau was rocked by upheaval in 2009 when a series of political assassinations threatened security and stability.

In his most recent report on Guinea-Bissau, the Secretary-General said that security sector reform remains the most crucial element to ensuring stability in the country.

The country is one of four currently on the agenda of the Peacebuilding Commission – along with Burundi, Sierra Leone and the Central African Republic (CAR) – which was established in 2005 to help countries emerging from conflict make an irreversible transition from war to sustainable peace.

News Tracker: past stories on this issue
Window of opportunity for stability in Guinea-Bissau must not be missed – UN envoy

http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=34270&Cr=bissau&Cr1=

Published in: on abril 2, 2010 at 5:11 am  Deixe um comentário  

Último relatório do Secretário-Geral sobre a Guiné-Bissau

UNIOGBIS BOLETIM   

(Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau)  

  

 Confira o documento (Janeiro – Fevereiro de 2010): uniogbis-boletim-fev-2010  

 Sérgio Carrera   

 

Published in: on março 11, 2010 at 5:23 am  Deixe um comentário  

Major PMDF César informa composição inicial da UNPOL na Missão de Paz na Guiné Bissau

“Aos amigos informo que o efetivo previsto para a Guiné é de 16 UNPOL, porém o processo seletivo foi um pouco diferente, pois exigiu uma experiência de Missão anterior e que o candidato fosse no mínimo Capitão. O processo seletivo aconteceu em 2009 e foi coordenado pelo DPKO. Hoje somos apenas 06 UNPOL aqui na Guiné (02 Brasil, 01 Suiça, 01 Portugal, 01 Zimbabue e 01 Moçambique). A Major da PMDF Denise Dantas chegará aqui no dia 15/02/2010, e o Coronel da PMDF Garcia no dia 17/02/2010. Dessa forma seremos 50% do efetivo.

               MAJ Cesar – PMDF- UNIOGBIS”

Nota: Este é o primeiro efetivo policial UNPOL da ONU na Missão de Paz na Guiné Bissau.

Published in: on fevereiro 4, 2010 at 9:10 pm  Deixe um comentário  

Policial Militar do Distrito Federal será chefe do componente policial da ONU na Missão de Paz em Guiné-Bissau

O Coronel da PMDF Garcia, veterano da Missão de Paz das Nações Unidas na Bósnia, onde exerceu, dentre outras, a função de Deputy Police Commissioner for Operations (SubComissário de Polícia para Operações), foi escolhido, após rigoroso processo seletivo com policiais de vários países, para ser o Senior Police Advisor na Missão de Paz em Guiné-Bissau. Ele deverá assumir as funções em fevereiro de 2010.

É motivo de grande orgulho para todos os policiais militares e para Brasil, pois ocupará função número 1 da Polícia e será responsável por todos os policiais internacionais no país.

Sorte e sucesso!

Published in: on janeiro 30, 2010 at 1:31 am  Deixe um comentário  

Oficiais da PM integram Missão de Paz da ONU em Guiné-Bissau

Na próxima semana, um major da PMDF e um capitão da BMRS partem do Brasil com destino a Guiné-Bissau para exercer funções de chefia na Missão da ONU no país. Em fevereiro mais um major da PMDF seguirá com o mesmo destino.

Esses oficiais foram submetidos a concorrido processo seletivo com policiais de vários países.

Todos os oficiais policiais militares já são veteranos de Missão de Paz da ONU.

Sucesso a todos!

Published in: on janeiro 23, 2010 at 11:36 pm  Deixe um comentário  

03 Oficiais PM confirmados para Missão de Paz da ONU na Guiné Bissau em janeiro de 2010.

Até o momento, dois majores da PMDF e um capitão da Brigada Militar estão confirmados para a Missão de Paz da ONU na Guiné-Bissau, Missão esta que tem início previsto para o dia 01 de janeiro de 2010.

Os oficiais estão com previsão de embarque para o dia 20 de janeiro de 2010.

Outros policiais militares também foram entrevistados mas até agora não foram confirmados, possivelmente pelo fato de não terem experiência anterior em Missão, ao contrário dos 3 oficiais acima mencionados.

Para mais informações sobre Guiné-Bissau:

https://missaodepaz.wordpress.com/2009/11/25/04-oficiais-da-pmdf-sao-pre-selecionados-pela-onu-para-comporem-funcoes-de-staff-na-missao-de-paz-da-guine-bissau/

https://missaodepaz.wordpress.com/2009/11/25/oficiais-da-brigada-militar-do-rs-tambem-estao-no-shot-list-para-a-missao-da-guine-bissau/

Published in: on dezembro 30, 2009 at 4:20 am  Deixe um comentário  

Novidades para a Missão de Paz da ONU na Guiné-Bissau – 2010

Até a presente data, segundo informações recebidas nos últimos dias, 6 Oficiais policiais militares da PMDF e 02 Oficiais policiais militares da Brigada Militar (BMRS) foram entrevistados pela ONU para Missão de Paz na Guiné-Bissau, com início previsto para o dia 1 de janeiro de 2010, inclusive 02 coronéis com possibilidades de um deles assumir a função de chefe da Polícia da ONU (Senior Police Advisor).

Sérgio Carrera

Published in: on dezembro 11, 2009 at 12:02 am  Comments (1)  

Dois oficiais da Brigada Militar do RS também estão no shot-list para a Missão da Guiné-Bissau

Ainda sobre a Missão da Guiné Bissau do último post, temos novidades importantes vindas dos pampas gauchos, conforme postado pelo Blog do Marco.

Essas notícias são muito positivas e vem a compor uma boa equipe de policiais militares brasileiros na nova Missão da ONU no país africano.

Espero que mais algum Estado tenha conseguido implacar outros oficiais PM. 

Sérgio Carrera

Published in: on novembro 25, 2009 at 10:09 pm  Deixe um comentário  

04 oficiais da PMDF são pré-selecionados pela ONU para comporem funções de staff na Missão de Paz da Guiné-Bissau

De todos os oficiais PM selecionados para assumir pela primeira vez funções de chefia (de staff) em uma Missão da ONU, no caso específico da Guiné-Bissau, com início previsto para 01 de janeiro de 2010, 04 oficiais da PMDF foram pré-selecionados, estão no short-list, já foram entrevistados e, com exceção de um deles (que solicitou prorrogação de um mês, devido a problemas particulares), os outros 03 já estão praticamente certos para assunção das funções em janeiro 2010. São 02 Majores, um 1 TEN e um 2 TEN da PMDF. Os dois majores são veteranos e tem experiência real em áreas de Missão. Os dois tenentes farão seus debut em Operações de Paz.

A Comando-Geral da PMDF indicou cerca de 17 oficiais para concorrerem as funções na Missão da Guiné-Bissau, visto que trata-se de uma das primeiras oportunidades de disputa legal por cargos previamente definidos, algo até então inexistente. Todos os oficiais indicados tinham experiência em Operações de Paz, e os novatos estavam habilitados no processo seletivo do Exército.

Considerando o novo tipo de Missão, com disputa por cargos de chefia, missão política e a possibilidade de participar das equipes iniciais de estruturação da Missão (com mandatos previstos de 2 anos), a falta de habilitação pegou a maioria dos oficiais de surpresa, visto que poucos deles, por já terem participado de pelo menos uma Missão, tinham interesse em concorrer a vagas de UNPOL “ordinário” (aquelas onde o PM vai as cegas e assume funções que a Seção de Pessoal julgar conveniente). Visto a importância dos cargos e alinhamento com a polítca externa brasileira em Operações de Paz, uma vez que, inclusive, havia a possibilidade de assunção comando do componente policial da Missão (Senior Police Advisor), com 03 coronés da PMDF com reais condições em assumi-las. O entendimento do Exército Brasileiro foi o de cortar quase todos os oficiais indicados pelo Comando da PMDF por não estarem habilitados nos processos seletivos realizados a cabo pela Força.

De fato, as regras existem e são para ser cumpridas. Entretanto, este é um caso especial e o Brasil deveria envidar os esforços necessários para  tentar conquistar a maior quantidade possível de vagas no certame internacional, pois as indicações implicariam em disputas dos nossos policiais militares com policiais de vários países. Infelizmente, não houve este entendimento. Este caso deveria, e deve,  servir de exemplo para situações próximas, onde o interesse da política externa brasileira deve prevalecer em detrimento a normas internas, visto que um processo seletivo ad hoc  poderia ter sido realizado com vistas aos ganhos futuros para o Estado.

Além de um possível processo seletivo extraordinário, os requisitos estabelecidos nos Job Descriptions UNPOL Handbook deveriam e devem ser observados pelas autoridades gestoras da seleção dos policiais militares brasileiros, pois a simples habilitação no processo seletivo não necessariamente habilita o candidato a concorrer a certas funções específicas, como ” experiência em Missão, tempo de serviço e grau de instrução acadêmica”.

Tendo em vista o curto espaço de tempo até o início da Missão, espera-se celeridade na tramitação dos documentos para os fins burocráticos e legais necessários.

As informações ainda carecem de confirmação, mas tudo leva a crer que estão bem encaminhadas.

Sérgio Carrera

Para maiores informações sobre a Giné-Bissau, acessar:

 http://pt.wikipedia.org/wiki/Guin%C3%A9-Bissau

Published in: on novembro 25, 2009 at 1:34 am  Comments (1)  

Brasil e Portugal firmam cooperação para a África

Na semana passada, os ministros da Defesa do Brasil e de Portugal, Nelson Jobim e Nuno Severiano Teixeira, concordaram em que as ações de cooperação desenvolvidas na África sejam coordenadas.

De acordo com Jobim, Brasil e Portugal têm mais responsabilidades no âmbito da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Para Nelson Jobim, so dois países devem selecionar projetos complementares que atendam prioritariamente aos países mais necessitados, entre os quais Guiné-Bissau.

Neste sentido, Brasil e Portugal pretendem chamar outros parceiros como Angola.

Recentemente, o Brasil enviou 300 uniformes e instrumentos para a banda de música das Forças Armadas de Guiné-Bissau. 

Nuno Severiano Teixeira destacou que Brasil e Portugal compartilham de valores comuns que facilitam a ação conjunta de ambos no cenário internacional.

“O multilateralismo é o cimento política importante para a nossa relação”, afirmou.

O ministro da Defesa de Portugal revelou que pretende fortalecer a relação bilateral na área de defesa, elevando as relações existentes atualmente entre as forças singulares a um “nível institucional mais vasto”.

Guiné-Bissau

 

O embaixador do Brasil na Guiné-Bissau, Jorge Kadri, informou que um avião cargueiro da Força Aérea Brasileira (FAB), entregou na semana passada, um fardamento completo para as Forças Armadas do país, além de vários equipamentos para a banda de música.

A entrega feita no aeroporto internacional de Bissau contou com a presença do chefe interino do Estado-Maior das Forças Armadas da Guiné-Bissau, Zamora Indulta.

Segundo Jorge Kadri, “temos uma participação cada vez maior na cooperação do setor de defesa e no setor de segurança. No setor da segurança, com a formação, por exemplo, de agentes da polícia judiciária e temos ambições maiores. Aguardamos uma missão do Governo do Brasil para, brevemente, tratar dessa cooperação policial.”

De acordo com o diplomata, o ministro Nelson Jobim anunciou a criação de uma missão técnica militar brasileira que começará a trabalhar em janeiro de 2010 e que vai contribuir com a formação militar, na disciplina, hierarquia e na experiência brasileira como um todo.

Para o governo da Guiné-Bissau, a cooperação com o Brasil representa um alívio.

“Estamos num processo de reestruturação das Forças Armadas e a reforma não tem que ver só com aposentadoria, como tem sido compreendido muitas das vezes, tem que ver com o efetivo, com fardamento, tem que ver com a área de infra-estrutura. Qualquer militar, independentemente de ser chefe, gostaria de estar bem fardado, quanto mais um chefe. É um orgulho para a população em geral que, naturalmente, gostara de ver os seus militares bem fardados. É nesse quadro que temos nas nossas prioridades os uniformes para os militares”, acrescentou.

Fonte: http://www.inforel.org/

Published in: on setembro 19, 2009 at 6:18 pm  Comments (1)