“Corrupção e manutenção da paz”, relatório identifica o que corre menos bem em operações da ONU

O relatório da Organização Transparência Internacional divulga as práticas e exemplos e corrupção e má conduta em operações internacionais. O relatório está a ser apresentado na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, mas a Antena 1 dá a conhcer as principais conclusões do documento.

Uma das pricipais advertências está relacionada com o facto de que a corrupção em operações de paz coloca em causa o sucesso, a longo prazo, das próprias missões da ONU ( Organização das Nações Unidas).

Outro ponto negativo passa por se ignorar frequentemente a existência de corrupção interna nessas operações, facto que também pode põr em causa a legitimidade das instituições, sejam internacionais, sejam as do país alvo da ajuda dos “capacetes azuis”

Neste relatório são identificados 28 tipos de corrupção e destaca-se a importância de se identificar a corrupção numa fase inicial.

A Transparência Internacional apela, assim, ao secretário geral da ONU que desenvolva uma melhor supervisão independente
e que a ONU abra a porta à implemantação de políticas e reformas necessárias ao combate à corrupção.

(Com Marcos Celso)

Fonte: RTP.

Published in: on outubro 13, 2013 at 1:56 pm  Deixe um comentário  

Closure of the Pearson Centre

Closure of the Pearson Centre
Statement from the President and Chief Executive Officer
By Kevin McGarr | 26 September 2013

It is with sadness that I announce that the Pearson Centre is in the process of closing its operations. Details of the closure are being finalized and will be shared in due course. The Pearson Centre is fully committed to meeting its current obligations and we will be contacting clients and partners in the coming days to discuss specific projects and activities.

The global security and financial landscapes have changed significantly in the last years, and the Pearson Centre has evolved in response. We have moved well beyond those activities for which we were traditionally known – namely the pre-deployment training of peacekeepers – to offer specialized and customized training, institutional capacity building and mentoring to individuals and organizations, both public and private, in order to create the conditions for security, democracy and economic development to flourish. The Pearson Centre has greatly appreciated the confidence that the Government of Canada, other national governments, international organizations such as the United Nations and local and regional partners have had in us, as they have supported our projects and activities.

Canadians should be proud of what the Pearson Centre has accomplished over the past two decades, on their behalf. We have trained over 18,000 participants from the military, police and civilian communities from over 150 countries, who have gone on to effectively contribute to peace and security operations around the world.

In recent years, we have worked with countries in Africa and Latin America to build their capacity to deploy personnel to international operations, which in turn has strengthened their internal security capabilities. With the support of the Pearson Centre, countries such as Burkina Faso have adopted a gender strategy for their international deployments. We have enhanced the protection of women and children in Warrap State, South Sudan through the provision of training to customary judges, traditional leaders and local government officials and we have worked in partnership with the Colombian government to articulate a strategic plan for their international engagement.

The Pearson Centre has also developed tailored training materials to provide the Afghan National Police with the knowledge, skills and attitudes required for effective community-based policing during the electoral process and we have contributed to the management of countless exercises across Europe and Africa. And, we have worked with the Canadian extractive sector to provide training to their security personnel on human rights and the local, national and international legislation that apply to their duties and responsibilities.

Through these activities and more, the Pearson Centre has consistently demonstrated our dedication to the advancement of peaceful, stable and functioning societies. We have done so while honouring our values of respect, integrity, teamwork and excellence. I am fully confident that the many people who have worked for and partnered with us over the years will continue to work together to establish the conditions for a more peaceful world.

Kevin McGarr
President and Chief Executive Officer
Pearson Centre

Published in: on outubro 10, 2013 at 8:35 pm  Deixe um comentário  

Estás interessado em fazer carreira nas Nações Unidas?

As Nações Unidas estão à procura de candidatos qualificados que estejam interessados numa carreira profissional como funcionários internacionais. Para esse efeito, será lançado em breve o Programa Jovens Profissionais 2013, uma iniciativa de recrutamento que visa dotar as Nações Unidas de novos talentos.

A seleção dos candidatos é efetuada através da realização de um exame de admissão (National Competitive Recruitment Examination).

Em 2013, as candidaturas para os exames de recrutamento para os quadros das Nações Unidas distribuem-se por duas fases e nas seguintes áreas:

» Administração, Finanças e Informação Pública: 3 de junho – 1 de agosto 2013;
» Assuntos Jurídicos e Estatística: 8 de julho – 5 de setembro 2013.
A formalização das candidaturas realiza-se online no site de recrutamento das Nações Unidas.

Em 2013, as candidaturas para os exames de recrutamento para os quadros das Nações Unidas distribuem-se por duas fases e nas seguintes áreas:

Administração, Finanças e Informação Pública: 3 de junho – 1 de agosto 2013;
Assuntos Jurídicos e Estatística: 8 de julho – 5 de setembro 2013.

Condições de elegibilidade
Possuir, no mínimo, um diploma universitário de primeiro nível (licenciatura) relevante para a área profissional de candidatura;
Ter 32 anos, ou menos, no final de 2013 (nascido a partir de 1 de Janeiro de 1981);
Ser fluente em inglês e/ou francês;
Ser português ou nacional de outro país elegível.
Exame escrito Consulta o Exemplo
Consulta também as Datas-Chave:
Candidaturas
3 de junho – 1 de agosto 2013:
Administração;
Finanças;
Informação Pública.
8 de julho – 5 de setembro 2013:
Assuntos Jurídicos;
Estatística.
Exame 3 de dezembro 2013
Para saberes mais consulta o site Carreiras internacionais
Fonte: CIEJD

Published in: on outubro 10, 2013 at 6:21 pm  Deixe um comentário  

LANÇAMENTO DO LIVRO “SIERRA ROMEO 8”

“Sierra Romeo 8 – Uma Operação de Paz na África” é uma obra de aventura que traz a graça e elegância de uma trama ficcional, baseada em fatos reais, contando a participação de policiais militares brasileiros no processo de reconciliação e retorno à razão de um país, em meio a um cenário de guerra. A obra é um relato multidimensional que flui desde variados personagens e situações, marcados por um gradiente de emoções que vai do cômico ao trágico, passando pelo hilariante. A obra inclui desde a logística da preparação, viagem e chegada, passando pela adaptação ao local da missão e exercício das funções no “teatro de operações”, até o término da missão, com o repatriamento e viagem de retorno. Para os eventuais leitores, policiais ou não, seguramente este livro será uma experiência literária cativante e inesquecível, desde uma chegada ansiosa nas savanas da “Mãe África”, até um desfecho melancólico de uma despedida sob as lágrimas do adeus. O livro retrata uma missão “de paz e de vida” que, igual que em várias outras missões, vem acontecendo pelo mundo afora e marcando para sempre a coragem, o valor e a humanidade dos “UNPol do Brasil”.

O livro traz a aventura de um policial militar que, em meio à situações de conflito, busca incessantemente cumprir seu mandato como Observador Policial das Nações Unidas, de uma maneira empolgante e emocionante em meio a cenários maravilhosos e situações inusitadas que prenderão o leitor desde a sua primeira página.
 
O livro será lançado às 19h do dia 25 de março de 2011, na Livraria Cultura da CasaPark Shopping em Brasília e poderá ser adquirido, inicialmente, na Livraria Cultura, na Editorial Paco/SP (www.editorialpaco.com.br ), e, futuramente, através deste Blog.

Conto com a presença de todos os amigos ao evento.”

Fonte: Blog do Carrera

Published in: on março 1, 2011 at 1:16 am  Comments (3)  

Francês preparatório para avaliações das Missões de Paz da ONU

Aulas particulares de francês preparatório para os processos seletivos de Missão de Paz da ONU (Processo Seletivo do COTER).

– Aulas voltadas para a necessidade do aluno e voltado para as avaliações do COTER.

Aulas Individuais:

– Aulas Agendadas.

– Valores: 60 min = R$ 50,00 (residência da professora); 60 min = R$ 75,00 (residência do aluno) – Somente Plano Piloto.

Aulas Coletivas:

– Turmas de no máximo 4 alunos.

– 60 min = R$ 40,00 (residência da professora); 60 min = R$ 60,00 (residência do aluno) – Somente Plano Piloto.

DADOS PARA CONTATO:

A Professora Sarah Gerke (nativa).

Telefones: 3367-0612, 8483-5291.

Endereço: Condomínio Villages Alvorada (ao lado da Ermida Dom bosco – Lago Sul)

Published in: on outubro 11, 2010 at 2:38 am  Comments (1)  

Memorial da Polícia – Estado Americano do Alabama.

Algum Departamento brasileiro de Polícia possuí um Memorial? PMs? PCs? DPF? PRF?

“Valorização do policial em vida e o seu recohecimento na morte.”

SC

Published in: on agosto 17, 2010 at 5:02 am  Deixe um comentário  

Conselho de Segurança prorroga mandato de missão de paz no Chipre

15/06/2010

Decisão terminou com 14 votos a favor e um contra, da Turquia; órgão máximo da ONU saudou os progressos realizados nas conversas entre cipriotas gregos e turcos.

 O Conselho de Segurança estendeu por mais seis meses o mandato da missão de paz das Nações Unidas no Chipre, Unficyp.

A missão foi instituída em março de 1964 após sequência de confrontos entre as comunidades cipriota grega e cipriota turca.

Progressos

A decisão do Conselho terminou com 14 votos a favor e um contra, da Turquia. O órgão máximo da ONU saudou os progressos realizados nas conversas entre cipriotas gregos e turcos e encorajou os dois lados a alcançarem acordo compreensivo e duradouro.

O Conselho pede o pleno aproveitamento da oportunidade através do ritmo das negociações com manutenção da confiança e da boa vontade.

Em visita ao Chipre em fevereiro, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, elogiou os progressos alcançados para a reunificação do país.

O representante cipriota grego Demetris Christofias e o cipriota turco Mehmet Ali Talat se comprometeram em 2008 a trabalhar rumo a um consenso para um governo federal com personalidade internacional única, seguindo determinação do Conselho de Segurança.

 Fonte: Rádio ONU.

Published in: on junho 26, 2010 at 3:43 am  Deixe um comentário  

Uniforme UNPOL Brasil – Camisa Polo

Caros amigos UNPOL,

Desde 2007, venho providenciando as camisas polos, uniforme estabelecido por nós mesmos para as Missões de Paz, sempre com o intuito de ajudar aos que embarcam e buscam uma padronização mínima. Fiz com todo prazer durante os últimos 3 anos. Entretanto, em virtude de alguns pequenos problemas ocorridos, informo que não mais farei esse trâmite de compra/bordagens/remessa para as residências.

Informo abaixo os contatos da loja de artigos militares aqui em Brasília que executa as bordagens e que pode ajudar os interessados.

BAZAR DO MILITAR

TELEFONE: (61) 3351-5691.

Contatos: Sr. Valter/ Sra. Jacqueline.

Published in: on junho 22, 2010 at 2:56 am  Comments (1)  

Ministro da Defesa não faz menção aos policiais militares no dia dos Boinas Azuis (29 de maio de 2010)

O discurso do Ministro da Defesa, por ocasião do Dia dos Peacekeepers (29 de maio), celebrado neste ano de 2010, na Base Aérea de Brasília, reiterou a já questionada indiferença da Pasta em relação a participação dos policiais militares brasileiros em Operações de Paz.

No texto da Ordem do Dia (abaixo) nota-se que em momento algum as poucas centenas de policiais militares que compuseram Missões de Paz da ONU e representaram o Brasil em zonas de conflito, foram mencionadas, trazendo a baila os questionamentos quanto aos reais interesses em manter a gestão policial para Operações de Manutenção da Paz sob a responsabilidade do Ministério da Defesa.

Aos irmãos das Forças Armadas Brasileiras, dignos de respeito e reconhecimento, a consideração de todos os boinas azuis policiais militares, acidentalmente esquecidos pelo Ministro.

De toda forma, os termos soldados e militares, mesmo não se referindo aos PMs, são considerados como parte da personalidade profissional dos policiais militares brasileiros que serviram em Missões… 

Independente da não menção por parte do Ministro, na presença de policiais militares veteranos, faz-se importante salientar que o MD -(por intermédio do Exército Brasileiro – COTER, IGPM e EM) encaminhou convite aos PMs do DF para atenderem a solenidade.

“ORDEM DO DIA

DIA INTERNACIONAL DOS MANTENEDORES DA PAZ
29 DE MAIO DE 1948.
AQUI COMEÇA A HISTÓRIA DOS CAPACETES AZUIS.
Nessa data o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, ONU, expediu a RESOLUÇÃO Nº 50/1948, autorizando o estabelecimento da Primeira Operação de Manutenção da Paz.

A UNTSO – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA SUPERVISÃO DA TRÉGUA – foi organizada na Palestina para monitorar o cessar fogo e o armistício entre Israel e seus vizinhos árabes.

Como uma forma de homenagear todos os HOMENS e MULHERES que Serviram e continuam servindo em OPERAÇÕES DE MANUTENÇÃO DA PAZ NO MUNDO, em 2003, ano em que a ONU completava 55 Anos de bem sucedida existência, o CONSELHO de SEGURANÇA aprovou a RESOLUÇÃO N? 57/129, criando o “DIA DO PEACEKEEPER”, a ser comemorado anualmente em todo o mundo.

Era o reconhecimento tácito da Competência Profissional, da Coragem e da dedicação daqueles que heroicamente entregaram suas vidas à nobre Causa da Paz.

As MISSÕES de PAZ da ONU são um veículo amplamente aceito quer por sua ação efetiva quer por seu caráter internacional que lhes proporciona uma legitimidade incontestável.

As FORÇAS ARMADAS BRASILEIRAS têm integrado Missões de Manutenção da Paz nos cinco continentes, desde 1956 quando Integrou as tropas enviadas para SUEZ, no EGITO.

A efetiva participação brasileira em MISSÕES de PAZ da ONU evidencia o grau de responsabilidade que o BRASIL deseja assumir nos assuntos afetos à PAZ e à Segurança Mundial.

Nossas tropas já participaram de 26 OPERAÇÕES de MANUTENÇÃO DA PAZ. Destaco MOÇAMBIQUE, ANGOLA, REPÚBLICA DOMINICANA, TIMOR LESTE e HAITI onde, ainda hoje, lideramos o efetivo empregado na MINUSTAH.

O Militar Brasileiro tem demonstrado seu valor profissional, tanto isoladamente quanto em equipe, nas MISSÕES de PAZ sob a égide da ONU.

Para responder aos novos desafios e realidades políticas, o DPKO – DEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES DE PAZ, da ONU, responsável pela Estratégia e Gerenciamento das Operações, vem exigindo que as Missões Evoluam tanto Conceitualmente quanto Operacionalmente.

Nossos Militares continuam respondendo de maneira brilhante aos novos desafios.

Altos escalões da ONU se referem ao SOLDADO BRASILEIRO sempre de maneira respeitosa e elogiosa. Isto atesta e confirma sua Seriedade e Competência Profissional, aliadas à Firmeza de Atitudes, Espírito Humanitário, Imparcialidade e Coragem no Cumprimento das Missões.

Parabéns e muitas felicidade aos Mantenedores da Paz de todos os tempos, esses corajosos BRASILEIROS e BRASILEIRAS que deixaram seus lares em nome da paz.

O Verde-Amarelo ostentado no braço de cada um dos SENHORES e SENHORAS, mostra ao mundo que o BRASIL é grande não apenas pela sua extensão territorial, mas pelo valor moral, ético e profissional do VALENTE POVO BRASILEIRO.

NELSON JOBIM
MINISTRO DE ESTADO DA DEFESA”

 Defesanet

Published in: on junho 22, 2010 at 2:31 am  Comments (1)  

Brasil pode ajudar nas operações de paz, diz ex-comandante militar da Minustah

General Carlos Alberto dos Santos Cruz, que comandou as operações militares da Missão da ONU no Haiti entre 2007 e 2009, participou de evento no Rio de Janeiro sobre missões de paz das Nações Unidas; encontro também teve participação de Alain Le Roy.

Terminou nesta sexta-feira no Rio de Janeiro um encontro sobre novas formas de implementar as missões de paz das Nações Unidas em regiões de instabilidade.

O evento de três dias, realizado na Escola Superior de Guerra, teve entre outros participantes o subsecretário-geral do Departamento de Manutenção das Operações de Paz da ONU, Alain Le Roy, da embaixadora da missão do Brasil junto às Nações Unidas, Maria Luiza Ribeiro Viotti, e do ex-comandante das operações militares da missão no Haiti, Minustah, general Carlos Alberto dos Santos Cruz.

Uso da Força

Os debates no evento foram divididos em três temas principais. O general Santos Cruz presidiu discussão sobre o uso da força e apoio à população local.

Em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil, no Rio de Janeiro, ele disse que países como o Brasil e a Argentina podem contribuir muito para as operações de paz porque são sensíveis em relação a problemas como a miséria.

“Esse bloco de países latinos aqui do sul vai além do desenvolvimento da doutrina. Ele coloca na missão uma percepção, uma sensibilidade, que muitas vezes não é possível colocar em termos doutrinários, mas faz uma grande diferença”, afirmou.

Santos Cruz ressaltou que são necessários critérios bem definidos para o uso da força e treinamento para qualificar os integrantes das operações.

No discurso de encerramento do seminário, a embaixadora Viotti afirmou que a manutenção e a consolidação da paz devem andar juntas. Ela citou a importância da constante comunicação com a população local para o sucesso dos boinas azuis.

*Reportagem: Luciano Pádua, do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (Unic-Rio).

Fonte: Rádio ONU.

Published in: on junho 20, 2010 at 3:48 am  Deixe um comentário  

Capitão BMRS Marco Antonio palestra para alunos da Faculdade IMED

Nos dias 16 e 17 de junho de 2010, o veterano da MINUSTAH e estudioso de assuntos de Operações de Paz, Marco Antonio, Capitão da Brigada Militar do RS, proferiu algumas palestras para alunos do Curso de Direito da Faculdade Meridional  (IMED)  onde é acadêmico do 9º semestre.  

Os temas abordados foram : “O serviço policial nas Nações Unidas e as Missões de Paz” e “ONU: Limites e possibilidades de intervenção das Nações Unidas”

“Em ambas as oportunidades pude esclarecer aos alunos sobre a estrutura organizacional da ONU, os aspectos principais do Conselho de Segurança, o DPKO e as características de uma missão de paz multidimensional onde diferenciei as atribuição de cada seguimento: Policial, Militar e Civil. Principalmente diferenciando a missão dos militares brasileiros no Haiti da missão desempenhada pelos Policiais das Nações Unidas – UNPOL. Por fim, falei sobre a experiência vivenciada nos 12 meses em que estive no Haiti no período de junho de 2007 à junho de 2008.”  (Marco Antonio)

Parabéns ao Capitão Marco, a cada dia se tornando mais uma referência na área. Que mais policiais militares tenham oportunidades semelhantes. 

Parabéns também a Coordenação do Curso de Direito da IMED pela iniciativa. 

Sérgio Carrera

 Fontes: Blog UNPolice e IMED.

Published in: on junho 18, 2010 at 9:04 pm  Deixe um comentário  

Curso de Relações Internacionais do UniCEUB celebra parceria com o INSEDE

O UNICEUB, por meio do curso de Relações Internacionais, iniciará parceria com o INSEDE – Instituto de Segurança e Defesa, sediado em Lisboa- Portugal. Esta parceria reunirá quatro ações: a) a criação do INSEDE – Brasil, sediado no UNICEUB; b) a criação da Revista Segurança e Defesa e c) a realização de Seminários e Teleconferências conjuntas entre o UNICEUB e o INSEDE – Portugal; d) articulação com intelectuais de Angola para fomentar a cooperação triangular (Brasil-Portugal-Angola) na área de segurança e defesa.

“A parceria que ora pleiteamos consolidar entre o UNICEUB e o INSEDE vem sendo fomentada a partir do corrente ano, momento em que fomos convidados a iniciar o diálogo com o instituto português para formalizar um acordo de cooperação, ação que se concretizará no segundo semestre de 2010.”

O evento será realizado no dia 23 de junho, às 14:30h, no Auditório do Bloco 3 do UNICEUB e contará com a presença do Ministro da Administração Interna de Portugal, Rui Pereira, do Ministro da Justiça no Brasil, Dr. Paulo Barreto, e do General Paulo Humberto, do Ministério da Defesa do Brasil. A participação dos parceiros portugueses se dará por meio de videoconferência.

Published in: on junho 18, 2010 at 6:18 pm  Deixe um comentário  

Policiais militares habilitados no Processo Seletivo para Missão de Paz da ONU (Brasília-DF, em maio 2010)

 

Essa foto foi tirada na PE/EB em Brasília – DF, durante as provas de direção defensiva.

Foi o último processo seletivo sob a responsabilidade do saudoso Cel Tempone.

Parabéns aos aprovados!

SC

Published in: on junho 9, 2010 at 5:30 pm  Deixe um comentário  

Sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

“As Nações Unidas discutem há quinze anos a reforma do Conselho de Segurança. A estrutura vigente, congelada há seis décadas, responde cada vez menos aos desafios do mundo contemporâneo.”

Presidente Lula, Nova York, Setembro/2008.

Published in: on junho 2, 2010 at 11:13 pm  Deixe um comentário  

Secretary-General, addressing Security Council, spells out major proposals for action to combat use of sexual violence as tactic in armed conflict

Secretary-General

SG/SM/12404
SC/9727
WOM/1752

Department of Public Information • News and Media Division • New York

Following are UN Secretary-General Ban Ki-moon’s remarks to the Security Council on women, peace and security, in New York, today, 7 August:

I commend your initiative to convene this Security Council debate on one of the important priorities of the United Nations:  “women, peace and security”. 

Despite some progress over two decades, the deliberate targeting of civilians through acts of sexual violence continues on a widespread and systematic basis.  Parties to armed conflict continue to use sexual violence with efficient brutality.  Like a grenade or a gun, sexual violence is part of their arsenal to pursue military, political, social and economic aims. 

The perpetrators generally operate with impunity.  I have met victims of sexual violence.  I am haunted by their testimony.  And I will not relent in calling on States and non-State parties to prevent these terrible crimes.  

Beyond the enormous toll on victims, sexual violence in armed conflict hurts recovery and peacebuilding.  In Burundi, Liberia and Sierra Leone, the fighting may have ended but sexual violence persists on a very serious scale.  We are helping these countries to recover, but we must also do more to prevent others from suffering the same fate. 

My report highlights where States and other parties must act.  I am also calling on you, the Security Council, to focus on concrete actions.  Allow me to quickly underscore four areas. 

First, preventing and responding to sexual violence requires a multisectoral response, the pillars of which are interdependent.  The efforts of the United Nations system reach across our main work areas — from the normative to operational.  I am committed to strengthening the United Nations system to ensure that we “deliver as one”.

Second, sexual violence should be addressed from planning to implementation of mandates.  Our actions must be focused and sustained over time to achieve results, as the causes and consequences of sexual violence are often intractable.  I am pleased that the issue will be included in the Terms of Reference for Technical Assessment Missions and the Integrated Mission Planning Process.  Peacekeeping missions and United Nations country teams will establish joint priorities in this regard through Integrated Strategic Frameworks. 

I am also working with my top advisers to ensure that the United Nations gives priority attention to preventing and responding to sexual violence.  Yesterday, in my meeting with the Force Commanders, I gave a clear and strong instruction that the military leaders should keep this issue as the top priority in working to maintain peace and security.  I call on Council members and other States, as well as civilian and military leaders, to join forces to address this grave problem.  I repeat:  no act of sexual exploitation and abuse by any United Nations personnel will be tolerated. 

Third, I urge the General Assembly to conclude its deliberations on the creation of a United Nations institution to advance gender equality and women’s human rights.  I am also in discussions with United Nations system partners on appointing a new senior system-wide official to address sexual violence.  I am considering this in light of General Assembly discussions and existing mechanisms such as the Special Rapporteur on violence against women and the Special Representative on Children and Armed Conflict.  I am also studying the additional costs this would entail.

Fourth, we must improve monitoring, investigation and documentation to address the many challenges that we confront in gathering information and reporting on sexual violence.  We also will continue to promote a greater understanding of resolution 1820 (2008) in all United Nations missions and duty stations, and adapt our approaches and systems — including for monitoring and reporting — to support its effective implementation. 

The recommendations in my report are mutually reinforcing.  If carried out together, we can foster greater progress.  These recommendations are also designed to provide the Council with more consistent, evidence-based and timely information to help you in addressing this challenge.  Towards that end, I urge the Council to immediately authorize the establishment of an independent commission of inquiry, supported by the Office of the United Nations High Commissioner for Human Rights.  It would be tasked to investigate and report on violations of international humanitarian and human rights law in ongoing conflict situations in Chad, the Democratic Republic of the Congo and the Sudan. 

This independent commission of inquiry should recommend to the Council the most effective mechanisms to ensure accountability for these egregious crimes.  I also draw your attention to the brutal, predatory and deliberate targeting of civilians by the Lord’s Resistance Army (LRA), whose activities have destabilized civilians in the Sudan, Central African Republic, Uganda and the Democratic Republic of the Congo. 

I am prepared to submit an annual report on resolution 1820 (2008).  I want to help ensure that all parties respect their obligations under international law -– and are held accountable when they violate them.  Victims of sexual violence are among the world’s most vulnerable and traumatized people.  For the sake of these innocent women and men, their families and their societies, we must come together and act.  That will help victims and war-torn countries and set our world on a course for a better future.

Published in: on junho 2, 2010 at 8:40 pm  Deixe um comentário  

Policiais Boinas Azuis estão em luto!

É com enorme pesar que anunciamos o falecimento, na última quinta-feira (27/maio/2010), do Sr. Coronel Luiz Carlos de Almeida Tempone, do Exército Brasileiro.

O Cel Tempone atuava há décadas na Inspetoria-Geral das PMs e BMS (IGPM) do COTER e esteve sempre atuante na seleção dos policiais militares brasileiros para as Operações de Paz da ONU.

Considerado um amigo de todos os boinas azuis policiais militares, graças a sua personalidade amiga e bom humor cativante, fará falta a todos com quem conviveu.

Aos familiares e amigos muita força e fé para aceitar a imensa perda!

Descanse em paz, nobre Coronel!

Do amigo,

Sérgio Carrera

PS: Causas naturais.

Published in: on junho 1, 2010 at 6:17 pm  Comments (9)  

Fotos de Steve McCurry

Altamente recomendável o site e o blog do fotógrafo americano Steve McCurry, conhecido mundialmente pelas coberturas de conflitos armados e fotos vencedoras de prêmios.

Sérgio Carrera

Published in: on maio 26, 2010 at 5:42 pm  Deixe um comentário  

PMDF seleciona oficiais superiores para vagas abertas no DPKO

Seleção para Oficial da ONU

25/5/2010 19:17:00

 
O COTER estará promovendo processo de seleção visando à seleção de voluntários para ocuparem cargos no Departamento de Operações da Paz (DPKO), em Nova York – EUA.

Os cargos são destinados aos oficiais superiores da corporação, e as inscrições poderão ser realizadas até o dia 30 de junho de 2010.

Os candidatos deverão ter como pré-requisitos:

1) Cursos de mestrado, graduação, pós-graduação ou especialização na área de Justiça Criminal, Direito, Ciência Política ou outros campos relevantes;

2) Comprovada proficiência oral e escrita no idioma inglês e desejável conhecimento de um idioma oficial das Nações Unidas, de acordo com parâmetros de avaliação lingüística estabelecidos em diretriz desse ODS;

3) Desejável experiência em missões de paz;

4) Não ter sido condenado ou estar processado ou sob investigação por ofensas criminais ou disciplinares;

5) Considerar a possibilidade de indicação de policial militar do segmento feminino para os cargos;

6) A escolha dos policiais militares candidatos para os cargos será realizada em uma primeira instância, por meio da análise da documentação encaminhada e, posteriormente, por meio de uma entrevista agendada pelo DPKO com os que forem pré-selecionados.

Os cargos para os quais os candidatos serão submetidos ao processo de seleção, e se selecionados, serão exercidos por um período de 02 (dois) anos, sendo que cada candidato só poderá inscrever-se para apenas um cargo.

Lista de cargos:

  • Police Standards Compliance and Audit Officer – 01 vaga para Tenente Coronel;
  • Police Planning Officer – 04 vagas para Tenente Coronel;
  • Police Liaison Officer – 04 vagas para Tenente Coronel;
  • Police Selection and Recruitment Officer – 02 vagas para Tenente Coronel;
  • Transnational Organized Crime Expert – 01 vaga para Tenente Coronel;
  • Police Selection and Recruitment Office – 03 vagas para Major;
  • Police Planning Office – 02 vagas para Major.

Os candidatos deverão procurar a AG-2 no QCG portando um pendrive ou um CD para gravação do material do processo de seleção.

Para maiores informações os interessados poderão entrar em contato com a AG-2.

FONTE: Site PMDF.

Published in: on maio 26, 2010 at 1:58 pm  Deixe um comentário  

UN peacekeeper killed in clash in eastern DR Congo

24 May 2010 – An Indian soldier from the United Nations peacekeeping force in the Democratic Republic of the Congo (DRC) was killed today when his patrol went to the aid of national army forces caught in an ambush by unidentified gunmen in the east of the country.

As soon as the Indian patrol saw the army troops under attack in North Kivu, scene of years of fighting between the Government and an array of rebel groups, it went to their aid, according to a press release issued by the peacekeeping force, known as MONUC.

The soldier was wounded in the exchange of fire and taken to hospital in Goma, the provincial capital, where he later died, the 31st blue helmet in the 11-year history of MONUC to die under enemy fire.

A Congolese soldier and a civilian were also killed and three soldiers and one civilian wounded.

MONUC has helped restore a measure of stability and democratic process to a country torn apart by years of civil war and revolts that led to the greatest death toll since World War II – 4 million people killed by fighting and the attendant starvation and disease. But fighting has continued in the east.

FONTE: UN NEWS CENTRE

Published in: on maio 26, 2010 at 8:57 am  Deixe um comentário  

Ban ki-moon, Secretário-Geral da ONU, se encontrará com familiares dos brasileiros vítimas do terremoto no Haiti

O Secretário-Geral da ONU terá uma agenda cheia no Brasil, onde desembarca nesta quinta-feira, dia 27 de maio de 2010.

Ele visitará o Centro de Instrução de Operações de Paz (CIOPAZ) do Exército Brasileiro, onde fará uma homenagem e se encontrará com familiares dos brasileiros que perderam a vida no terremoto no Haiti em 12 de janeiro de 2010. Dentre os homenageados está o saudoso amigo, o Capitão PMDF Cleiton Batista Neiva.

Women UN peacekeepers – more needed / ONU necessita de mais mulheres Peacekeeper

Source: United Nations Office for the Coordination of Humanitarian Affairs – Integrated Regional Information Networks (IRIN)

Date: 20 May 2010
NEW YORK, 20 May 2010 (IRIN) – A five-year campaign to boost the number of UN female peacekeepers is progressing steadily in police units, but “seems to be stuck” at a miniscule percentage in military contingents, Lt-Col Alejandro Alvarez of the UN Department of Peacekeeping Operations (DPKO), told IRIN.

The UN Secretariat has repeatedly emphasized the proven benefits of having more female peacekeepers, especially in regions where sexual violence has been or still is a serious problem, but there are hiccups.

“The Secretary-General can set any number [of female peacekeepers], but … It depends on the will of the countries that are contributing the troops. They say, ‘We don’t have enough female troops, so we cannot send them’; there is also always the case of countries having the women, and just not sending them, but that is an internal problem,” Alvarez, a personnel officer, said.

Advantages

The advantages of a strong presence of female peacekeeper in conflict and post-conflict zones include creating a safer space for girls and women who have suffered sexual violence, said Marianne Mollman, advocacy director of women’s rights at Human Rights Watch, a global watchdog organization.

UN Secretary-General Ban Ki-moon launched a campaign in August 2009 to lift the percentage of women peacekeepers to 20 percent in police units by 2014, and to 10 percent in military contingents.

Yet only 2.3 percent of the 88,661 military peacekeepers serving in 17 different missions are women, whereas in 2008 they made up 2.18 percent of military contingents, Alvarez said. Approximately 8.2 percent of the 13,221 UN police are women, a figure that jumped from 6.5 percent in April.

In 2000, Resolution 1325 of the UN Security Council called on the Secretary-General to “progress on gender mainstreaming throughout peacekeeping missions and all other aspects related to women and girls.”

Subsequent Security Council resolutions outlined more comprehensive methods for using peacekeeping missions to protect women and girls from sexual violence in conflict and post-conflict zones, including increasing the number of women peacekeepers.

The first all-female Formed Police Unit (FPU), deployed in Liberia in 2007, made a substantial difference to the women victimized in rampant sexual violence during the country’s civil war, said Lea Angela Biason, a DPKO gender affairs associate.

The UN Mission in Liberia noted that after the deployment of Indian female peacekeepers, the percentage of women in the national police force rose from 13 percent in 2008 to 15 percent in 2009.

Women police were often placed in the front lines in riots, as they can reportedly help calm raucous crowds, Biason said, and the presence of women in uniform also appeared to encourage Liberian women to report instances of sexual violence.

The UN Secretariat plans to send an all-female FPU from Bangladesh to Haiti, where reports of sexual violence in the camps for internally displaced persons abound.

Nigeria deploys the second-greatest number of female peacekeepers – 349 women out of 4,951 troops – and has announced plans to send an all-female FPU to Liberia.

In Darfur, western Sudan, 136 female police officers from Ghana, Gambia, Tanzania, Namibia, Zimbabwe and Bangladesh have joined the UN Mission there since February, Biason said. Nearly 200 female police officers in Rwanda recently passed a test qualifying them for deployment.

Work in progress

Comfort Lamptey, a gender adviser to DPKO, told IRIN that gender scenarios in troop-contributing countries were reflected in the peacekeepers they sent. “If we look globally, you see more women in national police units than you do in the military – the countries then have more women to send for their [peacekeeping] police units.”

Alvarez said countries that could send women sometimes refrained out of concern about the conditions they would be working under, and it was not always certain that they would be working alongside their male counterparts. Bangladesh, one of the largest troop-contributing countries, considered women as “low-ranked personnel, and puts them in the kitchen”, Alvarez said.

Women might constitute 20 percent of peacekeeping units by 2014, but Lamptey acknowledged that some officials thought it “completely unrealistic” to try replicating this on the military front.

“It’s a work in progress,” she said. “A lot of member states are beginning to understand that when it comes to peacekeeping missions, you really do need to have both women and men in the military and police equally represented; they are beginning to understand the merits of that.”

al/he/oa

[END] A selection of IRIN reports are posted on ReliefWeb. Find more IRIN news and analysis at http://www.irinnews.org

Une sélection d’articles d’IRIN sont publiés sur ReliefWeb. Trouvez d’autres articles et analyses d’IRIN sur http://www.irinnews.org

This article does not necessarily reflect the views of the United Nations or its agencies. Refer to the IRIN copyright page for conditions of use.

Cet article ne reflète pas nécessairement les vues des Nations Unies. Voir IRIN droits d’auteur pour les conditions d’utilisation.

Fonte: http://www.reliefweb.int/rw/rwb.nsf/db900SID/MDCS-85MCA7?OpenDocument

Published in: on maio 21, 2010 at 2:17 am  Deixe um comentário  

Resultado parcial do Processo seletivo 1/2010

Dos 33 oficiais PM que fizeram as provas de língua inglesa em Brasília, no dia 04 de maio de 2010, 16 foram aprovados, sendo 10 do DF, 02 de PE, 03 SP e 01 do RJ.

Ainda faltam as provas de tiro e direção, sem contar os candidatos que realizaram hoje as provas de francês.

Good luck!

Published in: on maio 5, 2010 at 3:16 pm  Deixe um comentário  

Curso de Extensão em Defesa Nacional

O UniCEUB realizará o Curso de Extensão em Defesa Nacional. As aulas ocorrerão às segundas-feiras, de 10/05 a 21/06, das 15h30 às 18h30, no auditório do bloco 2, sobre temas relativos à estratégia de defesa nacional, como a defesa da Amazônia, a presença do Brasil no Haiti e a situação do Brasil na América do Sul.

O curso é gratuito, e a assiduidade de, no mínimo, 75% das aulas dará direito a certificado. As inscrições estão abertas até o dia 07/05 e podem ser feitas na Coordenação do curso de Relações Internacionais.

Published in: on maio 5, 2010 at 4:18 am  Deixe um comentário  

Atualizações no Calendário

Senhores,

Acessem a página Calendário de Atividades UNPOL 2010 (à direita).

Diariamente, os dados têm sido atualizados.

Att.,

Sérgio Carrera

Published in: on abril 30, 2010 at 2:27 pm  Deixe um comentário  

Frase do dia

“Não são os postos que honram os homens; são os homens que honram os postos”

(Agesilau Rei de Esparta , líder militar da antiguidade –  399 a.C-360 a.C).

Published in: on abril 29, 2010 at 2:05 am  Deixe um comentário  

Inscrições para 1 Processo Seletivo (2010) para Operações de Paz da ONU estão abertas

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) divulgou a Mensagem Circular N. 83, dt 05 de abril de 2010, informando o período de inscrição para o 1 Processo Seletivo para Oficiais PM para Operações de Paz da ONU-2010, promovido pelo COTER-Exército Brasileiro. Essa primeira avaliação será realizada simultaneamente em Brasília e em Porto Alegre entre os dias 07 e 10 de maio de 2010.

As inscrições para os candidatos PMDF dar-se-á até às 17h do dia 23 de abril de 2010, devendo o interessado dirigir-se pessoalmente até à Seção de Aperfeiçoamento e Especialização (De-3) da Diretoria de Ensino.

Os candidatos deverão observar o preconizado em Portaria PMDF 613, 21Jul2008, e o contido na Portaria do COTER.

Sérgio Carrera

Published in: on abril 8, 2010 at 2:05 am  Deixe um comentário  

Palestra: A participação brasileira no Haiti pós-terremoto

O Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) divulga:

“O coronel José Antônio Silva Faria proferirá a palestra A participação brasileira no Haiti pós-terremoto, na quarta-feira, 7 de abril, às 19h15, no auditório do bloco 1. Não é preciso fazer inscrição.

Não perca a oportunidade de compreender o papel do Brasil na nova função da MINUSTAH.”

Published in: on abril 7, 2010 at 1:49 pm  Comments (2)  

WE ARE UN PEACEKEEPERS

The United Nations Organization embodies the aspirations of all the people of the world for peace. In this context the United Nations Charter requires that all personnel must maintain the highest standards of integrity and conduct.

We will comply with the Guidelines on International Humanitarian Law for Forces Undertaking United Nations Peacekeeping Operations and the applicable portions of the Universal Declaration of Human Rights as the fundamental basis of our standards.

We, as peace-keepers, represent the United Nations and are present in the country to help it recover from the trauma of a conflict.

As a result we must consciously be prepared to accept special constraints in our public and private lives in order to do the work and to pursue the ideals of the United Nations Organization.

We will be accorded certain privileges and immunities arranged through agreements  negotiated between the United Nations and the host country solely for the purpose of discharging our peacekeeping duties. Expectations of the world community and the local population will be high and our actions, behaviour and speech will be closely monitored.

We will always:

Conduct ourselves in a professional and disciplined manner, at all times;

Dedicate ourselves to achieving the goals of the United Nations;

Understand the mandate and mission and comply with their provisions;

Respect the environment of the host country;

Respect local customs and practices through awareness and respect for the culture, religion,

traditions and gender issues;

Treat the inhabitants of the host country with respect, courtesy and consideration;

Act with impartiality, integrity and tact;

Support and aid the infirm, sick and weak;

Obey our United Nations superiors and respect the chain of command;

Respect all other peace-keeping members of the mission regardless of status, rank, ethnic or

national origin, race, gender, or creed;

Support and encourage proper conduct among our fellow peace-keepers;

Maintain proper dress and personal deportment at all times;

Properly account for all money and property assigned to us as members of the mission;

And Care for all United Nations equipment placed in our charge.

We will never:

Bring discredit upon the United Nations, or our nations through improper personal conduct,

failure to perform our duties or abuse of our positions as peace-keepers;

Take any action that might jeopardize the mission;

Abuse alcohol, use or traffic in drugs;

Make unauthorized communications to external agencies, including unauthorized press statements;

Improperly disclose or use information gained through our employment;

Use unnecessary violence or threaten anyone in custody;

Commit any act that could result in physical, sexual or psychological harm or suffering to members of the local population, especially women and children;

Become involved in sexual liaisons which could affect our impartiality, or the well-being of others;

Be abusive or uncivil to any member of the public;

Willfully damage or misuse any United Nations property or equipment;

Use a vehicle improperly or without authorization;

Collect unauthorized souvenirs;

Participate in any illegal activities, corrupt or improper practices; or

Attempt to use our positions for personal advantage, to make false claims or accept benefits to

whichweare not entitled.

We realize that the consequences of failure to act within these guidelines may:

Erode confidence and trust in the United Nations;

Jeopardize the achievement of the mission; and

Jeopardize our status and security as peacekeepers.

United

Published in: on abril 5, 2010 at 2:02 am  Comments (1)  

Efetivo total de policiais e militares em Operações de Paz da ONU (janeiro de 2010)

Atualmente, o efetivo total de policiais e militares em Operações de Paz da ONU figura da seguinte maneira:

________________

Policiais =12,867

Militares = 84,728

Observadores = 2,348

Total = 99,943

________________

Dos 12,867, o Brasil conta com 8 policiais em Missões de Paz da ONU.

Alguém pode explicar?!

SC

Published in: on março 22, 2010 at 2:20 am  Comments (3)  

Os 10 países que mais contribuem com policiais e militares para Missões de Paz da ONU

Entre 2005 e 2007.

Published in: on março 22, 2010 at 1:58 am  Comments (1)  

Acidente mata dois soldados franceses da ONU no Líbano

Três militares ficaram feridos no sul do país.
Ainda não se sabe o que levou o veículo armado a capotar.

Do G1, com agências internacionais

Pelo menos dois soldados franceses da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul) morreram neste sábado (13) e outros três ficaram feridos quando o veículo armado em que estavam capotou e saiu da estrada.

As causas ainda são desconhecidas. O fato ocorreu perto da aldeia de Mary, próximo a Rashaya al-Fukha, na zona de Hasbaya, que está sob controle de soldados espanhóis.

Aproximadamente 12 mil capacetes azuis de diversos países estão espalhados pelo sul do Líbano, atendendo à resolução 1.701 do Conselho de Segurança da ONU, de 2006, que pôs fim à guerra entre Israel e o grupo xiita libanês Hezbollah.

 

Militares libaneses e da ONU e funcionários da Cruz Vermelha prestam socorro a vítima ao lado de veículo armado que saiu da pista em estrada próximo a Rashaya al-Fukha, no Líbano, neste sábado (13). (Foto: AP)

Published in: on março 13, 2010 at 10:11 pm  Deixe um comentário  

Blue helmet (capacete azul)

 

Published in: on março 12, 2010 at 1:12 am  Deixe um comentário  

Ban escolhe primeira mulher para chefiar unidade policial da ONU

Ann-Marie Orler, da Suécia, ocupava provisoriamente o posto desde o ano passado; apenas 8% dos 11 mil policiais que trabalham para as Nações Unidas são mulheres.

Ann-Marie Orler

 

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, nomeou uma experiente oficial da polícia sueca como chefe da unidade policial da organização. Ann-Marie Orler será a primeira mulher a ocupar o cargo na história das Nações Unidas.

O anúncio coincide com o Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta segunda-feira.

Formação

Ann-Marie Orler estava ocupando o posto provisoriamente desde o ano passado. Ele foi recrutada pela ONU em 2008 para o cargo de vice-conselheira policial.

Na Suécia, ela desempenhou os cargos de secretária-geral da ONG Anistia Internacional e de vice-comissária de polícia na cidade de Västmanland.

No cenário internacional, Ann-Marie trabalhou como gestora do Programa da Polícia e Direitos Humanos do Conselho da Europa, onde participou de missões de formação de policiais na Turquia e em várias nações dos Balcãs.

O Secretário-Geral elogiou o trabalho de Ann-Marie Orler no recrutamento de mais policiais mulheres para as missões de paz da ONU. Apenas 8% dos 11 mil policiais que trabalham para as Nações Unidas são mulheres.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Published in: on março 9, 2010 at 2:57 pm  Deixe um comentário  

Brazilian Police Blue Berets

Published in: on fevereiro 15, 2010 at 3:51 am  Deixe um comentário  

DPF e Missões de Paz?

Hoje, tomei conhecimento que o Departamento de Polícia Federal (DPF) estaria enviando um efetivo de policiais federais para uma Missão de Paz. Provavelmente, para o Haiti. Dentre os muitos questionamentos que surgem, desde competências e características fundamentais aos policiais, surgem alguns mais enfaticamente, tais como:

– O Exército Brasileiro também está fazendo o controle desses policiais ?

– Qual o papel do Ministério da Defesa nessa questão, visto que é responsável pela gestão relativa ao emprego de policiais e militares em Operações de Paz? (Vale mencionar que o DPF está subordinado a outra pasta, o Ministério da Justiça.)

– Perderia assim o Ministério da Defesa a soberania e controle sobre assuntos de defesa e operações de paz? Ou, por questões políticas, abriria (abrirá) mão desse controle e os  policiais federais seguirão para Missões de Paz sem os protocolos e trâmites existentes e a revelia do Exército e Ministério da Defesa?

– Seria então apenas “bizu”?

– Seria o enfraquecimento do Ministério da Defesa e por consequência, do Exército Brasileiro nessa questão?

– Seria assim o fortalecimento institucional do Ministério da Justiça e DPF?

– E os policiais militares, que há quase 20 anos representam o Brasil em Operações de Paz da ONU, ganhariam ou perderiam com essas mudanças?

Em se concretizando, o país passará por uma grande mudança de paradigmas no que tange a questão de policiais e operações de paz, visto que o tema, até hoje tratado e gerido pelo Ministério da Defesa, passaria a ser “compartilhado” com outro Ministério. Este é assunto para um bom estudo mais aprofundado, que em breve será feito e publicado.

Eu já havia comentado sobre essas possibilidades para o ano de 2010…mas pelo visto, as mudanças estão ocorrendo mais rápido que do muitos pensavam…

Sérgio Carrera

Published in: on fevereiro 3, 2010 at 1:19 am  Comments (6)  

20 years of Canadian police contributions to peace missions

Ottawa – February 26, 2009. The Commissioner of the Royal Canadian Mounted Police (RCMP), William J.S. Elliott, together with Canadian police partners, will meet this week with Canadian police officers serving at the United Nations Stabilization Mission in Haiti (MINUSTAH) to mark the 20th anniversary of Canadian police contributions to international peace operations.

“Canadians can be proud of our strong international reputation for excellence in policing,” said Public Safety Minister, Peter Van Loan. “I commend the Canadian police officers from around this country who have made a difference in Haiti over the years.  Canada remains determined to pursue its commitment and to support the Government and the people of Haiti to help them make their country safer and more prosperous.”

“Two decades of hard work and perseverance have made significant contributions to global stability and earned Canada an international reputation for leadership and professionalism. As a result, the need for Canadian police trainers and mentors to serve on international missions has never been greater,” says Commissioner Elliott.

Under the RCMP’s leadership, approximately 2,000 police officers from the RCMP and other police services across the country have served on 52 missions in 29 countries since 1989.

“We currently have over 150 police officers deployed to peace operations in 12 countries, with requirements for more,” adds the Commissioner. “Our partnerships with municipal and provincial police services are critical to the continued success of our international deployments.”

Commissioner Elliott is travelling to Haiti with the Director of the Service de police de la ville de Montréal (SPVM), Mr Yvan Delorme, the Director General of the Sûreté du Québec (SQ), Mr Richard Deschesnes, as well as the Deputy Chief of the Ottawa Police Service, Gilles Larochelle. They will also take the opportunity to recognize the efforts of their police service members currently serving at MINUSTAH.

The Canadian contingent in Haiti has the largest number of Canadian police officers in mission, with almost 95 UNPOL deployed. They are mandated to act as advisors to the Haitian National Police (HNP) in the areas of management, professional standards, training and mentoring. Almost 80% of the Canadian contingent in Haiti comes from the province of Québec.

“The success of SPVM officers deployed to Haiti is due in large part to their experience and knowledge of the Haitian community, established in Montreal since 1967”, says Montreal Police Director, Mr Yvan Delorme. “For the past 40 years, we have developed our skills, our knowledge and a good relationship with the Montreal Haitian community, which have allowed us to contribute positively to peace missions in Haiti since our first participation in 1995.  When our police officers come back from missions, they are more sensitive to Haitian community values, bringing better multicultural communications to the Greater Montreal Area.”

Police officers from the SQ are also very involved in Haiti. “The Sûreté du Québec is very conscious of the great needs of fragile states, which is why we have participated in United Nations missions since as early as 1995,” asserts the Sûreté du Québec Director General, Mr Richard Deschesnes. “We support all efforts which contribute to international peace and security.”

The Chief of the Service de police de la ville de Québec, Mr Serge Bélisle, who was unable to attend, also wanted to highlight the professionalism, determination and dedication of Quebec city police officers, as well as that of all policeman and policewomen participating in peace missions around the world.

About Canadian police operations in Haiti
Canada has been sending police officers to Haiti since 1993. They have participated in various technical and training missions to support the Haitian National Police. The first deployment of Canadian police to the current mission, MINUSTAH, took place in July 2004. Since then, approximately 500 police officers from the RCMP, as well as municipal and provincial police forces, have been deployed on  nine-month rotations.

About Canada’s International Police Peace Operations Program
On behalf of the Government of Canada, the RCMP’s International Peace Operations Branch (IPOB) manages the deployment of Canadian police personnel to countries experiencing or threatened by conflict and failed or fragile states. IPOB deploys Canadian civilian police to many countries such as Afghanistan, Sudan, the Palestinian territories, Lebanon, East Timor and the Ivory Coast.

The demand for Canadian police expertise abroad continues to grow and within the next five years, the International Peace Operations Branch anticipates it may be called upon to deploy up to 500 police to peace operations around the world.

FONTE: http://www.rcmp-grc.gc.ca/news-nouvelles/2009/2009-02-26-mission-eng.htm

Published in: on janeiro 10, 2010 at 4:03 pm  Deixe um comentário  

Aumenta demanda por missões de paz

As tropas brasileiras são o componente principal da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) que já está no seu quinto ano. Estimulado pela demanda crescente por operações de paz no mundo todo, o Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil concluiu seu primeiro ano de treinamentos na recém-inaugurada Escola de Operações de Paz com um seminário que avaliou a experiência brasileira em ações de manutenção da paz. Seus participantes destacaram os sofisticados desafios que estão por vir.

 Giancarlo Summa, diretor do Centro de Informações das Nações Unidas no Rio de Janeiro, destacou a importância crescente das operações de paz mostrando que nos últimos 20 anos foram formadas 45 operações desse tipo. “Existe uma pressão constante para criar novas operações e a tendência é que esse tipo de missão se torne um instrumento da política internacional para situações difíceis e complexas”, afirmou.

 De acordo com Summa, existem hoje 17 missões de paz espalhadas pelo mundo envolvendo mais de 110 mil pessoas, sendo que cerca de 100 mil são membros de forças militares. “Isso significa um crescimento exponencial do orçamento dedicado a essas missões”, conclui Summa. Segundo o diretor, o orçamento destinado a esse setor pulou de US$ 300 milhões em 1988 para US$ 7 bilhões hoje.

 Summa afirmou que o aumento da demanda nas Nações Unidas pelas operações de paz veio acompanhada do aumento da sua complexidade e que essas operações se tornaram mais desafiadoras necessitando de membros mais especializados e melhor treinados.

 A complexa manutenção da paz

 “As Nações Unidas estão muito felizes com a qualidade e o profissionalismo da participação do Brasil nas missões de paz, tanto no Haiti como em outras missões. A ONU também aprova o trabalho do Brasil não somente no treinamento das tropas, mas também no desenvolvimento de uma doutrina de manutenção da paz. O envolvimento do país nesse processo com certeza vai aumentar”, afirmou Giancarlo Summa.

 O coronel Pedro Pessoa, chefe do Centro Instruções de Operações de Paz do Exército (Ciopaz), reforçou a importância do caráter multidiciplinar das missões de paz e o fato de que o conhecimento e o treinamento devem ser compartilhados e desenvolvidos em parcerias. “Diferente das situações de guerra, nas operações de paz existe uma grande vantagem em se trabalhar com parceiros, principalmente quando eles fazem um bom trabalho, produzem informações e entendem como a ONU funciona. Não pode haver segredos entre as forças”, afirmou.

 As missões de paz, no entanto, como apontado por Giancarlo Summa, também passaram a ser cada vez mais integradas com a construção da paz. Isso faz com que seja necessária a presença de vários atores diferentes, entre eles, a polícia. Hoje existem mais de 13 mil policiais envolvidos em 13 missões de paz no mundo mas a participação do Brasil nessa área ainda é bem pequena.

 “Existem hoje quatro policiais brasileiros no Haiti, três no Sudão e seis Timor Leste. Nós oferecemos treinamento para policiais em missões de paz mas um dos maiores obstáculos é o idioma pois todos têm que saber falar inglês”, explica o tenente Sérgio Carrera, da Polícia Militar do Distrito Federal. A corporação lançou o curso Observatório de Treinamento Policial das Nações Unidas em parceria com o Exército Brasileiro e a embaixada do Canadá.

 Hoje, o controle sobre a participação de policiais militares e civis em operações de paz está sob o comando do Ministério da Defesa, mas, segundo o tenente Carrera, existe um projeto que transfere esse controle para a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), que é ligada ao Ministério da Justiça. “Para alcançar esses objetivos, a arma do policial é a negociação, a diplomacia, a competência, e não as armas automáticas”, avalia.

 Haiti é mais seguro do que a Jamaica

 op_paz_fogo_edit.jpg

O Brasil é o principal fornecedor de tropas para a Minustah e o que teve mais sucesso em aumentar o nível de segurança no Haiti. A missão de paz no país tem sido liderada por um comando brasileiro desde 2004 e a missão tem sido renovada pela ONU e pelas autoridades do país desde então. O envolvimento do Brasil na Minustah é inovadora também por que é a primeira vez que as forças militares brasileiras se engajaram na manutenção da paz sob o “capítulo 7”, que permite o uso da força.

“Eu vou para o Haiti desde 1995 e morei lá nos últimos 20 meses sem ter usado capacete ou colete à prova de balas uma só vez. O Haiti hoje é mais seguro do que a República Dominicana ou a Jamaica”, afirmou o embaixador do Brasil no país, Igor Kipman. Depois de reiterar que a Minustah não é uma força de ocupação e que ela está presente no país a convite das autoridades haitianas, Kipman afirmou que a população do país gostaria que a Minustah fosse embora. “Mas a verdade é que o Haiti é mais seguro do que muitas áreas na América Latina”, reafirmou.

O embaixador disse que sempre existem desafios durante um processo de manutenção da paz que vão desde os desatres naturais como as enchentes e deslisamentos que causaram destruição recentemente no Haiti, até as eleições em que será escolhido o novo presidente. “Muitas vezes as promessas de investimento não se concretizam. O enviado especial da ONU para o Haiti, o ex-presidente norte-americano Bill Clinton, trouxe um grupo de 150 executivos estrangeiros para avaliar as possibilidades de investimento no Haiti”, conta.

Kipman contou que como o Haiti não tem um Exército próprio, cabendo à Polícia Nacional a função de garantir a segurança não apenas para os civis, mas também nas fronteiras. “O objetivo é ter um efetivo de 14 mil homens até 2011”, garantiu. Argentina, Chile, Colômbia e México têm enviado contingentes de policiais para o Haiti. 

A historiadora argentina Monica Hirst, da Universidade Torquato di Tella, afirmou que o a missão no Haiti tem um importante papel como laboratório para a cooperação regional nas Américas, principalmente nos países da América do Sul. “Eu vejo as operações de paz como uma extensão de uma agenda regional de cooperação militar baseada no compartilhamento de afinidades democráticas”, avalia.

“Nós temos que ter em mente, no entanto, que existe uma profunda falta de conhecimento sobre o Haiti. E isso é mútuo. O Haiti sabe muito pouco sobre as nações latino-americanas que contribuem com a Minustah”, falou Hirst. A historiadora afirmou que uma missão de estabilização terá sucesso limitado se não for feito um esforço para conhecer melhor o país. “É necessário aprender sobre o Haiti e ajudaria começar com o impacto que a revolução dos escravos teve nas relações com os outros países da região”, sugere.

FONTE: http://www.comunidadesegura.org/pt-br/MATERIA-Brasil-se-prepara-para-aumento-da-demanda-por-misses-de-paz 

NOTA: Não foi mencionado policiais civis, mas apenas policiais militares. Sérgio Carrera

Nicolas Sarkozy defende a participação do Brasil no Conselho de Segurança da ONU

O Presidente Francês, Nicolas Sarkozy, proferiu discurso ontem em um Simpósio sobre a economia mundial que ocorre em Paris no qual citou o Brasil 7 vezes e, entre outras afirmações, defendeu a presença do Brasil como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU. Atualmente o Brasil é membro temporário do CS com mandato até 2012. Falando de questões sobre a economia mundial, Sarkosy disse “É indispensável para resolver várias questões que o Brasil e a Índia, por exemplo, estejam presentes“.

Para mais informações, acessar o site do Cap Marco Antonio.

Published in: on janeiro 9, 2010 at 3:51 am  Deixe um comentário  

Jobim põe cargo à disposição

29/12/2009 | 00:00

 

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, e os comandantes das três Forças colocaram os cargos à disposição após o secretário de Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, exigir a presença de Jobim na cerimônia do Programa Nacional de Direitos Humanos, semana passada. Teria ameaçado chamar os militares de “covardes”. O presidente Lula teve de intervir para evitar uma possível crise.

Solidariedade

O brigadeiro Juniti Saito (Aeronáutica) e o general Enzo Peri (Exército) prestaram imediata solidariedade ao ministro Jobim.

Emergência

O almirante Moura Neto (Marinha), que estava no Rio, foi chamado às pressas para discutir como agir em caso de referência aos militares.

Silêncio

O secretário de Direitos Humanos, que tem status de ministro, não respondeu até o fechamento da coluna.

 

Fonte: http://www.claudiohumberto.com.br/principal/index.php 

Published in: on dezembro 30, 2009 at 2:43 am  Deixe um comentário  

Curso UNPOL Suécia – Parte II

Ainda em relação ao Curso na Suécia, as informações recebidas hoje confirmam que cabe a cada Corporação PM em arcar com todos os custos relativos ao curso, não apenas os mil euros, mas também passagens e etc. (não se sabe ao certo em relação a acomodações)

No caso da PMDF, a Instituição disponibilizou o afastamento dos oficiais candidatos, contudo, os interessados deverão bancar tudo. ” É sem ônus para a PMDF”.

Assim, segundo me foi informado, não se trata apenas dos mil euros, como muitos pensavam.

 

 

Published in: on dezembro 30, 2009 at 2:32 am  Deixe um comentário  

Curso UNPOL na Suécia

O Comando de Operações Terrestres (COTER) do Exército Brasileiro encaminhou expediente a todos os Estados informando da disponibilidade de vagas para o “United Nations Police Officers Course (UNPOC II)”, a ser realizado entre os dias 22 de fevereiro e 05 de março de 2010, promovido pelo Centro Internacional das Forças Armadas Suecas em parceria com a Polícia Nacional da Suécia.

A PMDF já divulgou MSG Circular mas o Curso será sem ônus para a Corporação (PMDF) e o oficial interessado deverá dispor de mil euros para os custos adminstrativos do treinamento. Até agora, ninguém sabe quem arcará com os cursos das passagens.

Sorte daqueles que poderão fazer o Curso com ônus.

Maiores novidades serão disponibilizadas oportunamente.

Pelo que tenho conhecimento, este é o primeiro Curso internacional disponibilizado pelo Exército nesta área. Muito boa iniciativa.

Pena que não haja recursos financeiros do MD e-ou EB para bancar os custos.

Published in: on dezembro 28, 2009 at 6:06 pm  Comments (2)  

Natal e ano novo

O Blog “Policiais Brasileiros em Missões de Paz da ONU – UNPOL” deseja votos de feliz natal e um excelente ano de 2010 a todos os visitantes, blogueiros, veteranos de Operações de Paz  e aos atuais e futuros peacekeepers policiais e suas famílias.

Bom End of Mission e início de missão aos oficiais!!!

AGORA É MOMENTO DE FÉRIAS!!!!

Um grande abraço,

Sérgio Carrera

Published in: on dezembro 26, 2009 at 1:08 am  Comments (1)  

Frase da semana (off the topic)

 

“QUANDO VOCÊ FOR VÍTIMA DO “SISTEMA” E NÃO ENTENDER O QUE ESTÁ ACONTECENDO, LEMBRE-SE QUE MUITOS QUE JÁ TINHAM DECIDIDO O SEU FUTURO POR VOCÊ!”

Published in: on dezembro 15, 2009 at 12:58 am  Deixe um comentário  

O BLOG ESTÁ DE LUTO

Infelizmente, este Blog está sendo utilizado para fins totalmente divergentes dos que motivaram a sua criação, dentre os quais a divulgação positiva do papel exercido pelos policiais militares brasileiros em Operações de Paz da ONU.

Os comentários serão feitos em momento oportuno.

Published in: on dezembro 7, 2009 at 10:15 pm  Comments (2)  

Novos sítios parceiros do Blog

O Seminário de Operações de Paz Pró-Defesa serviu também para o estabelecimento de boas parcerias e amizades de interesse para o Blog. Destaco 3 excelentes sítios ( a ordem foi aleatória):

1- O Laboratório BOLETIM Tempo Presente, sob a coordenação do i. Professor Dr. Francisco Carlos.

 2 – O sítio de notícias de Relações Internacionais INFOREL, coordenados pelo muy simpático casal Marcelo e Fátima, que administram tudo relativo ao site.

3. O site DefesaNet, sob coordenação editorial do Nelson e uma boa equipe de colaboradores, dentre eles o Kaiser.

Published in: on dezembro 4, 2009 at 11:18 pm  Comments (2)  

Dia da Lembrança 2009 – Monumento é inaugurado em Brasília em homenagem aos canadenses e aliados mortos em combate pela paz

No último dia 11 de novembro, participei de um dos eventos mais belos que já presenciei. O Memorial Day, ou Dia da Lembrança, conforme poderão ler abaixo, é o dia onde o Canadá, EUA e outros países da Commom Wealth param e homenageiam os veteranos de guerra/Operações de Paz e os mortos em combate. O evento contou com a presença de vários adidos militares, diplomatas, o staff da Embaixada do Canadá, do Reino Unido, militares da FFAA brasileiras e oficiais da Polícia Militar do DF (PMDF), todos veteranos de Missões de Paz. Estiveram presentes o Coronel PMDF Nelson Garcia (Bósnia), Coronel PMDF Martins (Angola), Tenente-Coronel PMDF Paulo Roberto Batista de Oliveira (El Salvador), Tenente-Coronel PMDF Alair Garcia Júnior (Guatemala), Major PMDF Jean (Kosovo), e eu, 1 Tenente PMDF Sérgio Carrera (Haiti).

O Embaixador do Brasil no Canadá, Exmo. Sr. Paulo Cordeiro Pinto, também se fez presente. Conversamos um pouco visto que já nos conhecíamos desde o tempo de Haiti, quando era o Embaixador no período que lá estive. Aliás, faço registrar o grande defensor dos policiais militares em Operações de Paz. Sempre nos recebeu e nos foi gentil em nossas visitas e encontros, além das aulas sobre história e política que faziam parte das conversas.

Na inauguração do monumento, autoridades colocaram coroas de flores representando diferentes situações. O que muito me honrou, e acredito que seja algo extensivo a todos os policiais militares brasileiros veteranos, foi o convite feito pelo Adido Militar, TC Araújo, o seu Chefe de Segurança, WO Brian Gallant, e o Embaixador da Embaixada do Canadá, Exmo. Sr. Paul Hunt,  ao TC PMDF Alair Garcia Júnior (Guatemala), Comandante do Batalhão Barão do Rio Branco, Unidade onde sirvo e é responsável pela proteção ao corpo diplomático e ao Curso de Observador Policial para Operações de Paz da ONU, onde foi a autoridade responsável por postar coroas de flores representando todos os peacekeepers do mundo. Foi um reconhecimento da Embaixada aos policiais de todos os países e demais capacetes/boinas azuis da ONU.

Como policial militar que já serviu em Operação de Paz, me senti homenageado e representado.

O TC PMDF Alair esteve ao lado do Embaixador do Canadá, do Embaixador do Reino Unido (representando a Rainha), do General Chefe de Gabinete do Comandante-Geral do Exército Brasileiro e do Oficial (tenente) representando o grupo de veteranos brasileiros da II Guerra Mundial presentes ao evento, que muito enalteceram o evento.

Temos muito que aprender com os canadenses. Sabem valorizar o que eles chamam de “heróis”. Com toques de gaita de fole (oficial vindo do Canadá somente para ao evento), a banda da Guarda Presidencial e toques de corneta, muitos se emocionaram.

Agradeço e parabenizo aos membros da Embaixada do Canadá pela oportunidade em nos ensinar como valorizar os “nossos heróis”. No exterior eles são assim chamados.

Sérgio Carrera

(postarei as fotos depois)

TEXTO:

“A Embaixada do Canadá em Brasília, capital do Brasil, inaugura no dia 11 de novembro de 2009 (Dia da Lembrança) um monumento de granito em tributo aos canadenses que morreram servindo ao país ao longo de sua história. O monumento é o único do gênero em uma Embaixada canadense em todo o mundo.

Nos últimos 95 dos 142 anos de existência da Confederação Canadense, 112.322* canadenses morreram servindo ao Canadá. É um número significativo para um país com uma pequena população (33 milhões de habitantes). Na Primeira Guerra Mundial, o Canadá perdeu 66.655 soldados; 44.893 na Segunda Guerra Mundial; 516 na Coréia; 121 servindo em operações de paz da ONU e até agora 137* canadenses foram mortos no Afeganistão. Foram civis, diplomatas, soldados, pais, mães, maridos, esposas, filhos, filhas e amigos que morreram servindo ao Canadá. São sem dúvida números impressionantes para um país que nunca teve um conflito sequer em seu próprio território desde que se tornou uma nação em 1867.

A morte de tantos canadenses no exterior reflete a natureza da sociedade canadense e seu profundo desejo de realmente ajudar o mundo em seus momentos mais difíceis, arriscando a vida de seus cidadãos soldados lá fora, sabendo que muitos nunca voltarão.

Em homenagem a esses e essas canadenses que se sacrificaram, um monumento está sendo inaugurado na Embaixada canadense em Brasília no dia 11 de novembro, Dia da Lembrança, data comemorada todos os anos pelos canadenses e que remete ao fim da Primeira Guerra Mundial em 1918. É uma nobre maneira de lembrar, a todos os que trabalham e visitam a Embaixada, que o Canadá sempre esteve e continua comprometido com a paz mundial, pronto a fazer sacrifícios para assegurar que a vida de nossos filhos continue sendo a vida que sonhamos para eles.

Há também um interessante elo com o Brasil, pois este foi o único país da América Latina a se juntar às forças aliadas na Segunda Guerra Mundial, no combate contra os alemães, na Itália, onde perderam cerca de mil soldados. Os brasileiros que perderam a vida na Segunda Guerra Mundial e na luta pela paz sob a bandeira das Nações Unidas também são homenageados no monumento.

A iniciativa, que só foi possível graças aos esforços dos funcionários da Embaixada, que levantaram recursos para a construção do monumento, visa manter viva a lembrança daqueles mortos em combate, honrando o papel pacificador que o Canadá teve ao longo da História, e dos brasileiros e outros aliados que lutaram ao lado dos canadenses e continuam trabalhando juntos pela paz no mundo.

A cerimônia realizada no dia 11 de novembro de 2009 na Embaixada em Brasília conta com a presença de um capelão canadense e de um capelão brasileiro, de representantes das Forças Armadas do Canadá e do Brasil, adidos militares e representantes de diversas embaixadas, além de convidados civis. A banda do Batalhão da Guarda Presidencial irá executar os hinos nacionais canadense e brasileiro, entre outros temas, e ainda terá a participação do musicista canadense Matt MacIsaac, que entoará toques militares canadenses com a gaita de fole, sons que tradicionalmente guiavam as tropas canadenses nos campos de batalha e, segundo se conta, afugentavam exércitos inimigos.

 LEST WE FORGET / NOUS NOUS SOUVIENDRONS / JAMAIS ESQUECEREMOS “

Fonte: http://www.canadainternational.gc.ca/brazil-bresil/highlights-faits/Dia_da_Lembranca_2009.aspx?lang=pt

Published in: on novembro 14, 2009 at 4:24 am  Comments (1)  

Explicações sobre CTO e AL no Blog do UNPolice

Indico leitura dos últimos posts do Blog do Capitão BMRS Marco Antônio sobre CTO e AL.

Os textos são bem explicativos e atualizados. Postei alguns dias um texto do Major Silva sobre seus CTOs.

Sérgio Carrera

Published in: on novembro 9, 2009 at 11:46 pm  Deixe um comentário  

PMDF indicará oficiais superiores para cargos no DPKO

O Comando de Operações Terrestre (COTER), do Exército Brasileiro, promoverá um processo seletivo a fim de selecionar oficiais da PMDF, e de outras Corporações PM, para ocupar dois cargos no Departamento de Operações de Paz (DPKO) da ONU em NY.

1 vaga de P-4 para Tenente Coronel PM + 1 vaga de P-4 para Major PM

Pré-requisitos para indicação do Comandante-Geral:

1. PM da ativa e graduado na Academia da PM;

2. Cursos de mestrado, graduação, pós-graduação ou especialização na área de justiça criminal, direito, ciência política ou outros campos relevantes;

3. Comprovada proficiência, oral e escrita, no idioma inglês e desejável conhecimento de segundo idioma oficial da ONU, preferencialmente o francêsç

4. Experiência em Missão de Paz;

5. Não ter sido condenado ou estar  sendo processado ou sob investigação por ofensas criminais ou disciplinaresç

7. A escolha será feita inicialmente pelo EB, após análise da documentação, e posteriormente em entrevista agendada pelo DPKO (com os pré-selecionados)

8. Período de 2 anos, como secondment

PS = Prazo para entrega da documentação=29 de outubro de 09

Trata-se de excelente oportunidade para a Corporação PM que não pode deixar de ser preenchida. Existe na PMDF um movimento positivo nesse sentido, com o interesse pelo tema por parte do Comando e de todos os níveis da instituição, dada a importância dessa oportunidade, antiga aspiração dos veteranos de Missão de Paz.

 

ONU oferece 15 vagas para PM e FFAA em New York (out 2009)

Segundo informações recebidas, no dia 1º de outubro de 2009, o Secretariado das Nações Unidas solicitou a indicação de Oficiais das Forças Armadas e de Policiais Militares brasileiros para concorrerem às seguintes vagas no Departamento de Operações de Manutenção da Paz (DPKO) e no Departamento de apoio ao Terreno (DFS):

– Chefe de Serviço/Serviço de Planejamento Militar, nível P-5;a

– Chefe de Serviço/Serviço de Geração de Forças, nível P-5;

– Oficial de Ligação Militar/Divisão Militar, nível P-4;

– Oficial de Treinamento/Serviço de Treinamento Integrado, nível P-3;

– Oficial de Polícia/DPKO, nível P-4 (três postos);

– Oficial de Polícia/Divisão Militar, nível P-3;

– Oficial de Treinamento/Divisão Militar, nível P-4 (dois postos);

– Oficial de Apoio Médico/DPKO, nível P-4;

– Assistente Especial do Assessor do Conselheiro Militar/DPKO, nível P-4;

– Oficial de Disciplina/Departamento de Apoio ao Terreno, nível P-4;

– Oficial de Planejamento/Serviço de Planejamento Militar, nível P-4 (sete postos);

– Oficial de Planejamento/ Serviço de Geração de Forças, nível P-4 (dois postos);

– Oficial de Assuntos de Operações de Manutenção da Paz/Serviço de Operações Militares Correntes, nível P-4;

– Oficial de Política e Doutrina/Serviço de Planejamento Militar, nível P-4; e

– Chefe dos Oficiais de Ligação Militar/Serviço de Treinamento Integrado, nível P-5.

Os Oficiais selecionados serão contratados sob regime de “secondment”, para um período inicial de dois anos.  Os requisitos e demais condições relativos a cada posto encontram-se especificados nos “Vacancy Announcements” .

O Secretariado esclarece que os candidatos que tenham obtido aprovação no processo seletivo e não tenham sido chamados para ocupar as vagas para as quais se candidataram poderão, durante o período de um ano, ser convidados a ocupar vagas abertas para cargos similares.

Toda a documentação relativa à indicação dos candidatos às vagas que estão sendo oferecidas deve dar entrada na Missão em NY até o dia 11 de dezembro de 2009, para que possa ser processada e encaminhada ao Secretariado até o dia 21 de dezembro.

Aguardamos com ansiedade a divulgação junto as Polícias Militares. Que essas informações cheguem o quanto antes para que não deixemos,  mais um vez, de ocupar nossos espaços no cenário internacional.

Published in: on outubro 27, 2009 at 12:36 am  Comments (2)  

1º Seminário de Operações de Paz Pró-Defesa

 seminario FuzileirosCom o propósito de debater a participação brasileira em Operações de Paz, a Marinha do Brasil, a PUC-RIO e a UnB reúnem especialistas nacionais e estrangeiros na Escola de Operações de Paz do Corpo de Fuzileiros Navais (EOPazCFN) nos dias 16 e 17 de novembro de 2009.

O seminário integra o projeto “O Brasil em missões de paz: inserção internacional, equipes integradas e ação no Haiti”, desenvolvido pelas instituições mencionadas, tendo sido o único na área de Operações de Paz aprovado pelo Ministério da Defesa e pela Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior (CAPES).
         Nos dois dias do encontro haverá exposição de equipamentos utilizados pelos  Fuzileiros Navais em Operações de Paz, bem como demonstração retratando o amplo espectro da atuação dos militares nesse tipo de operação, desde as ações de emprego da força até as de cunho social.

Sítio do Semináro e inscrições: http://www.semoppaz.com.br/joomla

 

Agenda do 1º Seminário de Operações de Paz Pró-Defesa

16 de novembro 

 9h – Abertura

 9h15 –  9h45 – Conferência de Honra: Emb. Samuel Pinheiro Guimarães, Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos

 9h50 – 11h50 – Painel 1: Aspectos conceituais (históricos/ comparativos) & espaço humanitário
                       Chair: Prof. Dr. Nizar Messari, PUC RIO
                       1. Prof. Dr. Clovis Brigagão, GAPCon- UCAM
                       2. Prof. Dr. Kai Michael Kenkel, PUC RIO
                       3. Prof. Dr. Arturo Sotomayor, Naval Postgraduate School- EUA
                       4. Conselheiro Michael Harvey, Embaixada do Canadá no Brasil
                       5. Prof. Dr. Don Hubert, University of Ottawa- Canadá

11h50 – 13h20 – Almoço

13h20 – 15h20 – Painel 2: Operações multidimensionais/ interações cívico-militares
                       Chair: Capitão-de-Mar-e-Guerra (FN) Silvio Aderne Neto, CPesFN
                       1. Sra. Simone Rocha, Diretora-Executiva Médicos Sem Fronteiras
                       2. Profa. Maíra Siman, PUC Rio- Pesquisadora do Pró-Defesa
                       3. Dr. Rubem César Fernandes, Diretor-Executivo Viva Rio
                       4. Sra. Roseana Kipman, Embaixatriz do Brasil no Haiti
                       5. Capitão-de-Mar-e-Guerra (FN) Renato Rangel Ferreira, ex- Cmte do Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais Haiti

15h20 – 15h30 – Intervalo

15h30 – 17h30 – Painel 3: Uso da força
                       Chair: Prof. Dr. Renato Petrocchi, EGN
                       1. Representante do Ministério da Defesa
                       2. Conselheira Gilda Motta Santos Neves, Chefe da Divisão de Nações Unidas- MRE
                       3. General-de-Divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-Force Commander MINUSTAH
                       4. Capitão-de-Fragata André Panno Beirão, EGN
                       5. Representante do Comitê Internacional da Cruz Vermelha


17 de novembro

 8h45 – 10h45 – Painel 4: A preparação para a atuação em missões de paz
                       Chair: Profa. Dra. Sabrina Medeiros, EGN
                       1. Coronel Pedro Aurélio de Pessôa, Centro de Instrução de Operações de Paz – EB
                       2. Capitão-de-Fragata (FN) Alexandre Aballo Nunes, Escola de Operações de Paz do CFN
                       3. Tenente PM Sérgio Carrera, Centro de Formação da Polícia Militar – PMDF
                       4. Representante do CECOPAC, Chile
                       5. Prof. Dr. Antonio Jorge Ramalho, UnB

10h55 – 11h50 – Demonstração de atividades desenvolvidas pelos Fuzileiros Navais em Operações de Paz

 12h –  13h –  Almoço

 13h –  15h –  Painel 5: O Brasil, a América do Sul e as Operações de Manutenção da Paz (processo decisório/ integração regional)
                    Chair: Sr. Giancarlo Summa, United Nations Information Center (UNIC)
                    1. Prof. Dr. Hal Keplak, Royal Military College- Canadá
                    2. Profa. Dra. Monica Hirst, Universidad Torquato di Tella- Argentina
                    3. Prof. Dr. Ricardo Seitenfus, Representante da OEA no Haiti
                    4. Prof. Dr. Miguel Lengyel, FLACSO- Argentina
                    5. Prof. Dr. Francisco Carlos Teixeira, UFRJ

 15h – 15h10 – Intervalo

15h10 – 16h40 – Painel 6: Haiti: cenários e perspectivas
                       Chair: Contra-Almirante Reginaldo Gomes Garcia dos Reis, EGN
                       1. Emb. Igor Kipman, Embaixador do Brasil no Haiti
                       2. Dr. Guy Noël, Médico haitiano
                       3. Srta. Valerie Mainil-Varlet, ONU- ex-MINUSTAH, Assuntos Políticos
                       4. Capitão-de-Mar-e-Guerra (FN) Carlos Chagas Vianna Braga, CGCFN

16h40 – 16h50 – Intervalo

16h50 – 17h20 – Conferência de Honra: Deputado Federal Raul Jungmann

17h20 – 17h30 – Encerramento

Parceiros pela Paz – Novo Blog sobre Operações de Paz

O Parceiros pela Paz: Capacetes Azuis é o mais novo BLOG voltado para temas de Operações de Paz da ONU.

A iniciativa é da acadêmica Caroline Salvador, que apresenta boas postagens, sugestões e dicas.

 

Published in: on outubro 18, 2009 at 8:15 pm  Deixe um comentário  

Ciclo Internacional de Palestras da PMDF – Operações de Paz da ONU

O 5º Batalhão de Polícia Militar do Distrito Federal (Batalhão Barão do Rio Branco) promoverá, nos dias 08 e 09 deste mês, um Ciclo Internacional de Palestras, por ocasião do I Curso de Observador Policial para Operações de Paz da ONU, em andamento na Corporação. O evento ocorrerá no Instituto Camões, situado na Embaixada de Portugal – SES/Quadra 801, conforme programação em anexo.

As palestras serão ministradas em inglês e serão proferidas por autoridades policiais da Alemanha, Espanha e Jordânia, além de oficiais da PMDF com experiência em Operações de Paz. O Ciclo de Palestras destina-se a policiais militares, acadêmicos de áreas afins, integrantes dos Ministérios das Relações Exteriores e da Defesa, militares, corpo diplomático, policiais nacionais e estrangeiros, bem como integrantes da comunidade que possuam interesse pelo tema.

Para fins de inscrição e certificação, os interessados deverão encaminhar seus dados pessoais ao email: bpm5@pmdf.df.gov.br.

Programação do Ciclo de Palestras alusivo ao

I Curso de Observador Policial para Operações de Paz da ONU.

08/Out/09

09h00 Abertura
09h30 12h00 Sr. General Riad Shakhatra

– Polícia Jordaniana.

Major Marcos Matias

– Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF)

14h00 17h00 Sr. Inspetor Raul Cortes

– Corpo Nacional de Policia da Espanha.

Major Leonardo Sant´anna

– Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF)

09/Out/09

09h00 12h00 Sr. Normem Grossmann

– Polícia Federal Alemã

Coronel Nelson G. Souza

– Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF)

12h00 Encerramento
Published in: on outubro 6, 2009 at 11:45 pm  Comments (2)  

PMs que participaram de missão no Timor-Leste não têm direito à indenização por representação no exterior

22/09/2009 – 14h36
DECISÃO

PMs que participaram de missão no Timor-Leste não têm direito à indenização por representação no exterior

Os policiais militares do Estado do Rio de Janeiro que estiveram a serviço da Organização das Nações Unidas (ONU) fora do país, entre janeiro de 2000 e março de 2002 não têm o direito de receber indenização por representação no exterior e outras vantagens pecuniárias porque estavam trabalhando para o organismo internacional, não para a União. Esse foi o entendimento unânime da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao conhecer do recurso especial de R.B.M. e de outros policiais, mas negar-lhe provimento.Os policiais ingressaram na Justiça com uma ação de cobrança para condenar a União ao pagamento de vantagens pecuniárias chamadas “retribuição básica”, “gratificação por tempo de serviço”, “indenização por representação no exterior” e “ajuda de custo”, nos termos da Lei n. 5.809/72, em razão de terem integrado o grupo policial da Autoridade Transitória das Nações Unidas no Timor-Leste (Untaet – United Nations Transitional Administration in East Timor), na condição de observadores policiais.

A sentença de primeiro grau julgou o pedido parcialmente procedente e condenou a União a pagar aos autores as quantias equivalentes às diferenças entre os benefícios pretendidos e o que foi efetivamente pago pelo governo estadual no período em que estiveram no exterior, acrescidas de correção monetária e juros de mora.

A União apelou e o Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região reformou a sentença, entendendo que, por terem integrado missão da ONU de forma voluntária, isto é, não teriam sido obrigados a aceitar o encargo, não teriam direito às vantagens pecuniárias solicitadas, pois elas só seriam devidas aos servidores nomeados ou designados para tais missões. Os policiais militares recorreram, então, ao STJ alegando que seria irrelevante o fato de terem participado da missão da ONU de forma voluntária, uma vez que esta era a condição dos demais integrantes brasileiros, inclusive daqueles que pertenciam aos quadros das Forças Armadas.

O relator do processo, ministro Arnaldo Esteves Lima, ressaltou que, no caso, é mesmo irrelevante saber se os policiais integraram a missão da ONU de forma voluntária, uma vez que os termos “nomeado” ou “designado”, conforme utilizados na Lei n. 5.809/72, não têm conotação de serviço compulsório. “Na verdade, a controvérsia a ser examinada refere-se a saber se os recorrentes, ao participarem da missão de paz internacional, estariam a serviço da União, como exige a referida lei, ou a serviço da ONU”, explicou.

O ministro destacou que os próprios policiais reconheceram que a ONU entrou em contato com o governo brasileiro para que este solicitasse aos governos estaduais a realização de um processo de seleção interna nas polícias militares de cada estado, com o objetivo de escolher os melhores militares para integrar a missão no Timor-Leste. “Observa-se, desta maneira, que em nenhum momento a União requisitou ou determinou ao estado do Rio de Janeiro a cessão dos recorrentes, na medida em que, por meio do Ministério das Relações Exteriores, somente atuou como intermediária entre a ONU – que ficou encarregada pela remuneração dos militares – e o estado fluminense.”

Desse modo, o ministro concluiu que a redação da Lei n. 5.809/72, vigente no período no qual os policiais estavam no exterior, não garantia aos servidores públicos o direito pretendido, uma vez que não estariam trabalhando a serviço da União, mas sim da ONU. “Embora inegavelmente representassem o Brasil no Timor-Leste, estavam a prestar serviços à ONU, pessoa jurídica de direito internacional, cuja personalidade não se confunde com a de seus membros.”

Em seu voto, Esteves Lima destacou que uma nova lei, a de número 10.937/04, dispõe sobre a remuneração dos militares a serviço da União e integrantes de contingente armado de força multinacional empregada em operações de paz, em cumprimento de obrigações assumidas pelo Brasil em entendimentos diplomáticos ou militares. Entretanto, a nova norma não pode favorecer os policiais militares em questão porque é vedada sua aplicação retroativa. “Esta lei não se aplica aos militares integrantes de tropa brasileira que se encontre no exterior em missão de paz na data de sua publicação.”

 

Coordenadoria de Editoria e Imprensa
Fonte: http://www.stj.gov.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=398&tmp.texto=93834 
Published in: on setembro 28, 2009 at 7:42 pm  Deixe um comentário  

Dia Mundial Humanitário

17/8/2009

 Aniversário da morte de brasileiro será Dia Mundial Humanitário

 Os trabalhadores humanitários mortos em meio a conflitos serão lembrados neste ano pela primeira vez com uma data comemorativa, na quarta-feira, quando se completam seis anos do atentado que matou 22 pessoas na sede da ONU em Bagdá, inclusive o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, que era o chefe da missão. Uma fundação criada pela viúva dele, Annie, e por ex-colegas se mobilizou para homenagear os heróis modernos que se sacrificam para fornecer alimentos, água potável, vacinas e abrigo a civis apanhados em guerras e desastres.

“O 19 de agosto foi a primeira vez que a ONU foi atacada direta e violentamente, mas será uma ocasião para lembrar todos os que fazem trabalho humanitário que perderam suas vidas”, disse Annie Vieira de Mello à Reuters em Genebra, onde se dará a cerimônia. A Assembleia Geral adotou em dezembro, por iniciativa da Suécia, uma resolução criando esse Dia Mundial Humanitário, separadamente do Dia das Forças de Paz da ONU, em 29 de maio. “Nos últimos 10 anos, 700 trabalhadores humanitários perderam suas vidas em ataques, seqüestros e assaltos. Esse dia os homenageia”, disse Elisabeth Byrs, porta-voz do Escritório de Assuntos Humanitários da ONU, em uma entrevista coletiva.

“Os trabalhadores humanitários estão sendo cada vez mais visados em ataques, é um problema real. Como resultado, as operações de ajuda são frequentemente interrompidas, privando pessoas vulneráveis de mantimentos”, disse ela. Em 2008, 260 trabalhadores humanitários foram vítimas de ataques violentos – sendo mortos, seqüestrados ou gravemente feridos, segundo o Instituto de Desenvolvimento do Exterior, entidade britânica que monitora esses casos. Foi o maior número em 12 anos desse levantamento. Desse total, 122 deles foram mortos no ano passado, em comparação aos 36 de 1998. “A taxa de mortalidade em 2008 para os trabalhadores humanitários internacionais excede o de tropas de paz da ONU”, disse o grupo num recente relatório. “Os ataques contra trabalhadores humanitários aumentaram fortemente desde 2006, com uma particular tendência de alta nos seqüestros.”

Fonte: http://www.direitodoestado.com.br/noticias/9193/Anivers%C3%A1rio-da-morte-de-brasileiro-ser%C3%A1-Dia-Mundial-Humanit%C3%A1rio

Published in: on agosto 18, 2009 at 3:00 am  Comments (1)  

Oficial da Brigada Militar do RS lança BLOG sobre Policiais Militares em Operações de Paz da ONU

O Capitão Marco Antonio, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, veterano da MINUSTAH (2007/2008), pondo em prática seu espírito futurista e inovador, passou a integrar os blogueiros policiais, mais especificamente voltados para a área de Operações de Paz.

Segundo o Capitão ele busca principalmente “atingir a oficialidade do Rio Grande do Sul e divulgar cada vez mais a nobre missão desempenhada por valorosos oficiais em terras além mar. Mas também tem o objetivo de trazer conhecimento aos interessados em fazer o concurso da IGPM.” … Afirmou ainda que buscamos todos uma “maior valorização e reconhecimento dos “boinas azuis” policiais.”

Parabéns ao nobre veterano e que seus esforços de difundir o conhecimento sejam bem recompensados e gratificantes. Esteja certo em contar com o apoio de seu amigo.

BLOG: UN POLICE – A Polícia nas Operações de Paz da ONU

http://unpolicebrasil.blogspot.com/

Published in: on julho 23, 2009 at 1:55 am  Deixe um comentário  

Secretário-geral das Nações Unidas adverte que crise econômica põe em risco missões de paz

07/07/2009 – 11:21:26

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, advertiu hoje que a crise econômica internacional poderia “limitar ainda mais” a capacidade de “resposta efetiva” da organização em suas missões de paz.

Ban Ki-moon realizou essas declarações ao começo de uma visita de dois dias a Dublin, onde foi recebido hoje pela presidente irlandesa, Mary McAleese.

“A crise global creditícia que estamos sofrendo no mundo todo poderia limitar ainda mais nossa capacidade para responder eficazmente”, disse o secretário-geral, em relação à dificuldade para aumentar o número de tropas, melhorar o equipamento e conseguir “apoios adequados”.

“A oferta não vai à par com a demanda, esta é uma das frustrações que tenho como secretário-geral. E várias missões experimentam dificuldades para operar, devido à paralisia de processos de paz e à contínua violência”, disse o dirigente da ONU, enquanto comemorou o sucesso da resolução de conflito na Irlanda do Norte.

“Estas lagoas e estas dificuldades devem preocupar a todos”, acrescentou o dirigente, após pronunciar um discurso perante o Instituto de Assuntos Europeus e Internacionais, durante o qual destacou o papel da Irlanda nas missões de paz da ONU, questões que abordará com o primeiro-ministro, Brian Cowen, e com os titulares de Exteriores, Michéal Martin, e da Defesa, Willie O’Dea.

Ban Ki-moon também manterá reuniões com o ministro de Meio ambiente, John Gormley, com quem falará dos preparativos para a próxima Cúpula Mundial sobre o Clima da ONU, que será realizada em Genebra de 31 de agosto a 4 de setembro.

Published in: on julho 10, 2009 at 2:39 am  Deixe um comentário  

Projeto de licença para policiais e bombeiros militares

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime

Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de

Lei 4681/09, do deputado Capitão Assumção (PSB-ES), que

concede licença a bombeiros e policiais militares para

acompanharem o cônjuge deslocado a serviço para outra

unidade da Federação ou para o exterior. O relator, deputado

Major Fábio (DEM-PB), observou que o projeto estende a

policiais e bombeiros – servidores estaduais – normas que já

valem para os servidores civis e os militares. Nesses casos, o

policial ou o bombeiro não receberá salário e a contagem do

tempo de serviço será interrompida. De acordo com o

parlamentar, “a proposição corrige uma omissão da legislação

dos policiais e bombeiros militares, promovendo sua

harmonização com as disposições legais do Estatuto dos

Servidores e dos Regulamentos de Movimentação de Oficiais e

Praças das Forças Armadas.” O projeto tramita em caráter

conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Trabalho

e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Published in: on junho 4, 2009 at 4:25 pm  Deixe um comentário  

NOTA DE FALECIMENTO

O comando da Brigada Militar, representando o sentimento de todos os seus integrantes da ativa e da reserva, vem a público manifestar a imensa tristeza com o falecimento de três membros da Corporação na data de hoje, em virtude de acidente de trânsito ocorrido no início desta manhã, na cidade de Caçapava do Sul, quando deslocavam para Porto Alegre a fim de participarem de uma solenidade especial alusiva ao dia do “Boina Azul”, uma justa homenagem aos oficiais que representaram a força da Brigada Militar e do Estado do Rio Grande do Sul nas Missões de Paz da ONU. Foram vitimados o Comandante do 2º Regimento de Polícia Montada (2º RPMon), Tenente-coronel João Zazyck Filho, o Tenente-coronel da Reserva João Francisco da Cunha Franco e o Soldado Júlio Adolfo da Silva, motorista do Comandante do 2º RPMon. O Tenente-coronel Zazyck nasceu em 06/08/1959, na cidade de Cerro Largo e incluiu na Brigada Militar em 22/08/1979. Ocupava o cargo de Comandante do 2º RPMon desde 04/03/2005. Era reconhecido como um Oficial competente e linha de frente, um líder por excelência, de perfil técnico elevado, características essas que o levaram a ser indicado pela Corporação para integrar a Missão de Paz da ONU durante os anos de 1993 e 1994, em El Salvador. Excelente amigo, companheiro e pai de família, deixa esposa e filhos. O Ten Cel da Reserva Franco, nasceu em 14/06/1959, na cidade de Lavras do Sul, incluiu na Brigada Militar em 22/08/1979, sendo transferido para a reserva em 24/03/2005. Durante o seu tempo na ativa o Ten Cel Franco desempenhou inúmeras funções de comando, a grande maioria delas na atividade de linha operacional. Após sua ida para a reserva continuou a trabalhar em prol da comunidade de Lavras do Sul, junto ao legislativo municipal, onde exerceu a presidência da Câmara de Vereadores. Por sua notável capacidade operacional, foi igualmente indicado pela Corporação para integrar a missão de paz da ONU. Deixa esposa e filhos. O Sd Julio nasceu em 01/07/1967, na cidade de Dom Pedrito e incluiu na Brigada Militar em 26/11/1991. Atualmente exercia a função de motorista do Comandante do 2º RPMon, justamente por suas excelentes qualidades como condutor de viaturas policiais. Era um policial qualificado, de elevado grau de profissionalismo, características estas que sempre o conduziam para o exercício de funções de destaque. Companheiro e amigo, deixa esposa e filhos.

 

João Carlos Trindade Lopes – Coronel

                                               Comandante-geral da Brigada Militar

Published in: on junho 1, 2009 at 8:43 pm  Comments (1)  

Ministro da Defesa Nelson Jobim busca maior participação militar do Brasil em Operações de Paz (e a PM?)

Brasil enviará militares para a Guiné-Bissau
20/05/2009 – 17h54
O ministro da Defesa, Nelson Jobim, informou que o Brasil enviará uma missão militar para a Guiné-Bissau, no segundo semestre de 2009.

Na próxima segunda-feira, ele viaja para a África onde participa nos dias 27 e 28, da reunião dos ministros da Defesa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Luanda, Angola.

A situação da Guiné-Bissau será um dos principais temas da reunião.

Em declaração à Agência Lusa, Jobim afirmou que em 30 dias um grupo de engenheiros viaja para Bissau para preparar o local onde a missão militar brasileira deverá se estabelecer.

O ministro explicou que o Brasil também vai ajudar na formação de uma força de paz para a União Africana, em conjunto com Moçambique.

Nelson Jobim disse que tropas brasileiras poderão participar de uma missão da ONU na Guiné-Bissau.

“Todas as possibilidades em relação a uma ajuda à África estão abertas. Mas não participamos em operações de intervenção para fazer a paz, mas sim para manter a paz, como é o caso do Haiti”, explicou.

Ele chegou aos Estados Unidos nesta quarta-feira onde permanece até sábado.

O ministro da Defesa deve se reunir com os integrantes do Departamento de Operações de Paz das Nações Unidas (DPKO), quando vai manifestar o interesse do Brasil em participar em missões internacionais sempre que o foco for a manutenção da paz.

Na segunda-feira, Jobim estará em Cabo Verde onde se reúne com a ministra da Defesa, Cristina Fontes Lima. De lá ele segue para Angola.

Após o encontro dos ministros da Defesa da CPLP, Nelson Jobim visitará o Congo e a Namíbia, onde vai buscar um acordo entre africanos e sul-americanos em relação ao Atlântico Sul.

No mês de janeiro, a Namíbia tornou-se no primeiro país a adquirir e receber navios de guerra fabricados no Brasil com a incorporação do navio patrulha Brendan Sinbwaye, construído pela Indústria Naval do Ceará (INaCe).

Fora da América do Sul, a Namíbia é o país com o mais significativo programa de intercâmbio militar com o Brasil, que ajudou os namibianos a montarem a sua Marinha.

Published in: on maio 22, 2009 at 12:10 am  Deixe um comentário  

Possibilidade de FPU brasileira no Haiti

 

Corre nos bastidores da MINUSTAH, que o Atual Force Commander, Comandante do Componente Militar (um General do Exérctio Brasileiro), está formatando uma proposta para  o SRSG da MINUSTAH, e para o governo Brasileiro que visa reduzir o efetivo militar, para dar lugar a uma tropa de FPU BRASILEIRA, com efetivo previsto de 200 PMs!

Caso se concretize, seria uma excelente oportunidade o envio de um efetivo de tropa policial brasileira para participar de uma Missão de Paz. Esse seria o primeiro cas.

Contudo, convém que certos elementos fossem levados em consideração quando do envio de FPU, como a necessidade de todos os Oficiais serem fluentes em inglês (e pelo menos alguns deles terem conhecimento básico de francês), além de que esses oficiais necessitam de experiência de Missão para melhor gerir os recursos em zona de conflito, diferentemente do caso de UNPOL (os technical advisers), que exercem tipos de mandato e missões distintas em PKO.

Para aqueles que não sabem, FPU significa em inglês Formed Police Unit, o que para o nosso entendimento policial militar brasileiro, traduz-se para Tropa de Choque, neste caso, o choque “rápido”, algo como as nossas PATAMOs, com capacidade de exercer funções de Controle de Distúrbios Civis (CDC) e o patrulhamento tático em comboio.

Sérgio Carrera

Published in: on maio 15, 2009 at 8:38 pm  Deixe um comentário