O “SENTIDO” DE UMA MISSÃO DE PAZ

Por Wagner WASENKESKI

Quando em preparação ou treinamento para uma Missão de Paz, prestes a usarmos uma boina azul, muitas são as informações e objetivos os quais nos são passados como sendo o “sentido” para tal trabalho. Todavia, no dia de hoje, deixando a Missão de Paz da ONU na Guiné Bissau, eu saio com a conclusão de que o mais importante em uma missão como esta, é dar-se por conta do quão relativa é a questão humana de “ajudar o próximo” , típica coisa dos que chamo de “homens de boa vontade”. Eu vim para ajudar, mas saio daqui ainda mais ajudado. Eu vim para deixar algo, mas creio que esteja levando mais do que deixei. Então, talvez, exista uma razão pela qual Deus coloca algumas pessoas nestas missões. Pode ser que, humildemente,  ao dizermos “sim, vou ajudar”, o destinatário final sejamos nós mesmos: recebemos, pois, a chance de melhorarmos a si próprios. Então, creio que o critério de “ajudar o ser humano”, seja verdadeiramente mais relativo do que pensemos. E creio que nos melhorando, melhoramos a quem esteja perto de nós, e assim por diante até chegarmos com “efeito fermento” a toda a humanidade. Para tal, Deus nos coloca em certas provações: é preciso abrir mão de nosso conforto, dos nossos hábitos tradicionais a que estamos acostumados, da nossa boa comida, bom banho, bom sono, boa saúde, e fundamentalmente ficarmos temporariamente afastados das pessoas que mais amamos…. E tudo isso com um propósito: amar a quem inicialmente jamais vimos e sequer sabemos os seus nomes (às vezes até morrer por eles, como já ocorreu com tantos colegas).   Em véspera de meu embarque à missão, disseram-me: “parabéns pela conquista, tu és especial”. Todavia, hoje eu penso: não sou bem eu que sou especial, e sim os nacionais daqui. Eu vim para servi-los, e, quanto a eles, uma missão internacional inteira foi montada para eles! Então, eles sim são especiais. Vejamos como, nesse sentido, tudo é tão relativo.

Por fim, em momento de minha partida, fica aqui registrado meu tributo, minha admiração e meu respeito a todos os colegas boinas azuis (“homens de boa vontade!”), que partiram de seus lares, deixaram temporariamente suas famílias e seu conforto, para servirem a outros que tanto mais necessitavam, e que, todavia, em nome da causa, tombaram em terras distantes e não voltaram para suas casas (do dia em que parti ate hoje, em solo africano, já foram mais de 150… ) Que Deus abençoe e conforte suas famílias e que, apensar de toda a dor, não se esqueçam de que nada foi em vão. É por causa deles, que muitos homens e mulheres serão libertos, muitos vulneráveis receberão de volta sua dignidade, muitas crianças “terão o direito de serem crianças”,  e muitas outras coisas que sequer saberemos.  “Alguns homens passam pela História; outros, fazem a História.”

Obrigado aos colegas da missão UNIOBGIS por toda a irmandade, em especial aos brasileiros pela construção da boa impressão de nosso povo que aqui deixamos, e obrigado aos irmãos guineenses por toda a ajuda. “Eu vim para a ajudar, mas estou levando mais do que deixei”.

Servir, servir, servir….

Força e Honra!

3BPM, Brigada, Brasil!

Cap Wagner WASENKESKI

Wagner WASENKESKI é Capitão da Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul, e trabalha no Escritório Integrado para a Consolidação da Paz na Guiné Bissau (UNIOGBIS), como Conselheiro Policial (Police Adviser), atuou no Escritório Regional da Ilha de Bubaque na referida Missão, ajudando na investigação criminal deste local, tráfico naval, corrupção das instituições públicas, formação dos policiais, policiamento comunitário, inclusive com as crianças através do desenvolvimento de atividades relativas a doutrina do PROERD, etc. Também, na capital do país, Bissau, atuou na reforma do setor de segurança, na formação do efetivo local, em atividades como Assistente Especial do Conselheiro Policial Sênior, dentre outras atividades.
Possui bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais pela PUCRS, Licenciatura Plena em Educação Física pela UFRGS e Bacharelado em Ciências Militares com Ênfase na Defesa Social, pela Academia de Policia Militar do Estado do Rio Grande do Sul.
No Rio Grando do Sul , trabalhou no Policiamento Ostensivo Ordinário, Pelotão de Operações Especiais, Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, Comando de Núcleos de Polícia Comunitária, Seção de Justiça e Disciplina e Chefia de Operações do 3º Batalhão de Polícia Militar.

Published in: on agosto 23, 2017 at 5:18 am  Deixe um comentário  

Brasil recebe solicitação para indicar policiais militares para o cargo de PoC Site Coordinator no Sudão do Sul

A Organização das Nações Unidas lançou job description para processo seletivo para o cargo de PoC Site Coordinator, da Missão de Paz da ONU no Sudão do Sul (UNMISS).

unmiss

O cargo é nível P-4.

O Brasil, e demais estados-membros da ONU, recebeu solicitação para indicar policiais candidatos para o cargo em regime de secondment contracted e em breve as corporações PM deverão ser notificadas.

Considerando entendimento do Exército nos últimos anos, o cargo deverá ser preenchido por Tenente-Coronel, com deadline para indicação junto a ONU até o dia 24 de julho de 2015.

Trata-se de um processo seletivo, onde os indicados concorrerão com policiais de vários países.

marco-unmiss

Foto: O Major Marco Antonio, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, em Entebbe/Uganda, durante Induction Training, antes do deployment em sua Missão no Sudão do Sul.

PS: Nota já postada sobre as campanhas para cargos de secondment e importância dos cargos – vide post link 

Published in: on junho 6, 2015 at 6:19 am  Deixe um comentário  

Lançamento do livro “ONU – Operações de Paz”

No Dia Internacional dos Peacekeepers, 29 de maio, às 17:00, no 3o Regimento de Polícia Montada-Brigada Militar em Passo Fundo-RS, ocorrerá o lançamento do livro “ONU – Operações de Paz: a evolução histórica da ONU, da Polícia das Nações Unidas (UNPOL) e a participação da Brigada Militar”, de autoria do ilustre Major QOEM Marco Antonio dos Santos Morais, do Rio Grande do Sul. Veterano de 2 Missões de Paz (Haiti e Sudão do Sul), o atual Comandante do Colégio Militar de Passo Fundo, receberá os convidados e a sociedade em evento de relevância não apenas para ele, mas para a história de nosso país.

Parabéns ao Major Marco pela excelente iniciativa, a qual será objeto de leitura por muitas gerações.

Sucesso!

marco-livro1

COMO COMPRAR: Como autor independente, ele mesmo irá comercializar o livro, ao preço de R$40,00 (quarenta reais) + 4,20 (carta simples) ou 7,20 (carta registrada). Os interessados podem entrar em contato comigo inbox aqui no face ou, também, através do e-mail cap_marco@hotamil.com.

Síntese realizada pelo autor:

As Operações de Paz da ONU evoluíram desde a metade do século passado de Operações com estrutura e funções essencialmente militares para as Operações Multidimensionais, nas quais os segmentos civil, militar e policial se tornaram os três pilares básicos de uma Operação de Paz. Nesse contexto a participação policial nessas Operações ganhou destaque e importância dentro dos objetivos globais das missões a partir da década de 1990. Essa mudança de patamar da atividade policial é apresentada através do estudo do histórico da ONU e de seus órgãos internos, como o Conselho de Segurança e o Departamento de Operações de Paz (DPKO), dando ênfase à importância da United Nations Police (UNPOL) através da análise de suas funções específicas em uma Operação de Paz multidimensional, com destaque especial aos diferentes mandatos policiais estabelecidos pelo Conselho de Segurança para cada Operação. Através de relatos e fotografias, o livro faz um resgate histórico da experiência vivenciada por vinte e um Oficiais da Brigada Militar durante suas participações individuais em sete Operações de Paz ONU desde 1993, com um texto repleto de informações gerais e específicas a respeito das atividades diárias e funções desempenhadas por esses valorosos Oficiais nas Operações de Paz da ONU em El Salvador (UNOSAL), na Guatemala (MINUGUA), em Kosovo (UNMIK), no Haiti (MINUSTAH), na Guiné Bissau (UNIOGBIS), no Timor Leste (UNMIT) e recentemente no Sudão do Sul (UNMISS). O número expressivo de sete Operações de Paz proporciona ao leitor uma visão global do trabalho da UNPOL e da evolução das missões policiais, visto que a apresentação de cada operação parte da análise do histórico do conflito, do Mandato atribuído à UNPOL e das peculiaridades do cenário encontrado por esses Oficiais em diferentes países da América Central, Europa, Caribe, Ásia e África.

Published in: on maio 24, 2015 at 6:24 am  Deixe um comentário  

Situacao dos policiais militares brasileiros apos tentativa de golpe de estado no Sudao do Sul

Visto que as comunicacoes com Juba, capital do Sudao do Sul, estao cortadas, o Primeiro-Tenente PMPR Juan Abreu, por trabalhar em Aweil, esta fazendo “a ponte” e em contato constante com os demais policiais miltiares brasileiros que integram a Missao da ONU no pais, a UNMISS, como membros de seu componente policial, a United Nations Police – UNPOL

Encontram-se a servico da ONU no Sudao do Sul os seguintes policiais:

1. Major PMDF Gilvani – Comandante do Contingente (de folga e fora da area de Missao – partiu um dia antes) – Em Juba.
2. Major PMESRJ Almeida Jr. – Em Juba.
3. Capitao BMRS Laudemir – Em Juba.
4. Capitao PMDF Melissa – Em Juba.
5. Primeiro-Tenente PMPR Juan Abreu – Em Aweil.

De acordo com o Tenente Juan Abreu, em rapida comunicacao nesta manha, ele afirma:

“Acabei de falar com o Major Almeida. O problema em Juba é que tem uns 7000 IDPs dentro da base e todos os voos estao cancelados. Por enquanto eles tem suprimentos suficientes. Sem incidentes contra efetivo da ONU”.

Boas noticias e os agradecimentos devidos ao Tenente PMPR Juan Abreu pelas informacoes.

* IDP – Internal Displaced Person.

Published in: on dezembro 17, 2013 at 3:07 pm  Deixe um comentário  

Dia histórico para UNPOLs brasileiros

“UNMISS: Dia histórico para os UNPOLs brasileiros, pela primeira vez dois contingentes se encontram na área de missão. O Maj Gilvani PMDF, Maj Marcos Almeida Jr.PMERJ, Cap Fernando Siqueira PMDF, Cap Laudemir Da Rosa Gomes RS, e o Ten Juan Abreu PMPR, já estao em Juba. Esta foto foi tirada logo após o Medal Parade dos militares brasileiros na missão. Cerimônia na qual também foi agraciado o Ten Fabio Barros. Nesta foto estão reunidos todos os Militares e UNPOLs brasileiros da UNMISS.”

*22 de março de 2013*

Capitão BMRS MArco Antonio dos Santos Morais.
Veterano de 2 Missões de Paz da ONU e Adm/Moderador do Blog UN Police.

UNMISS - foto histórica

Published in: on março 30, 2013 at 5:11 am  Comments (1)  

Deployment dos policiais brasileiros no Sudao no Sul – UNMISS (marco 2013)

Foi publicada nesta data a classificacao (deployment) dos policiais brasileiros que recentemente integraram a Missao de Paz da ONU no Sudao do Sul (UNMISS):

– O Tenente PMPR Juan Abreu e o Capitao BMRS Laudemir foram classificados em Turalei (norte do pais, perto de Abyei).
– O Maj PMRJ Almeida Junior e o Cap PMDF Fernando Siqueira irao para Maridi (sul do Sudao do Sul).

– O Maj PMDF Gilvani ficara baseado na capital Juba.

Os oficiais classificados nas regioes ficarao em CSBs e em atividades de co-location. Ja o Major Gilvani devera assumir funcoes nos escritorios da sede da UNMISS.

Sucesso a todos!

Sergio Carrera

Published in: on março 28, 2013 at 5:52 pm  Deixe um comentário  

Próximo do término de sua Missão de Paz no Sudão do Sul, o Capitão BMRS Marco Antonio resume as suas atividades (março 2013)

“Chegada na Missão em Entebbe: 27 de março de 2012

Chegada em Juba: 02 de Abril 2012

1st Deployment: CSB Akobo, Jonglei State, chegada no dia 13 de abril (sexta-feira 13…kkkk)

Em Akobo desempenhei as funções e co-locator na qual treinávamos os Policiais locais (SSNPS – South Sudan National Police Service) diariamente no local de trabalho através de advising e mentoring. Também éramos responsáveis pelo acompanhamento diário da situação dos presos no quartel da policia local com foco nos direitos humanos e aspectos legais a fim de evitar detenções arbitrárias e prolongadas sem motivo, bem como no acompanhamento do trabalho dos policiais responsáveis pelas investigações. Trabalhei cinco meses em Akobo.
2nd Deployment : Torit State HQ, Eastern Equatoria State (Agosto de 2012)

Foto AP/MA: Instruçao – auxilio do Tradutor para explicar em árabe aos policiais

Em Torit inicialmente fui designado para assumir a função de Coordenador Estadual da Polícia Comunitária. Neste período fui responsável pelo início da estruturação, a nível estadual, dos programas de polícia comunitária, os quais tinham como meta principal a criação dos comitês de polícia comunitária, denominados de PCRC – Police community relations committee – nos diversos municípios e vilarejos do Estado. Também participei da organização de uma campanha de conscientização contra a violência doméstica e violência contra crianças, um dos grandes problemas do país. O programa atingiu várias escolas primarias e comunidades do estado.

Foto AP/MA: Atividade de Co-location com auxilio de tradutor.

Em Novembro fui convidado para assumir a função de Coordenador Estadual de Operações o qual é responsável por planejar e organizar as patrulhas de longa distância, patrulhas aéreas e patrulhas conjuntas com os militares e segmentos civis da missão. Também, como oficial de operações, sou responsável pelos relatórios diários a serem enviados para Juba , bem como por todas as comunicações de ocorrência criminais e atividades de treinamento desempenhadas pelos UNPOLs.

Eu e UNPOL Turco fiscalização cela feminina

Foto AP/MA: Cap. Marco Antonio e um UNPOL Turco fiscalização cela feminina.

Durante 21 dias no mês de Dezembro e durante 18 dias no mês de janeiro respondi pelo Sub-cmdo estadual (Deputy State Advisor) da UNPOL no Eastern Equatoria State – EES – sendo responsável pela parte operacional do Estado, enquanto o State Advisor é o responsável pela representação dos UNPOLs perante as outras agências da ONU e autoridades locais.

Nesse período, como sub-cmt regional, fui encarregado de receber os novos UNPOLs e fazer o Induction training de 1 dia no Estado. Recebi e dei boas vindas a policiais da Suécia, Ilhas Fiji, China, Alemanha, Ghana e Noruega. Também fui responsável por confeccionar o Appraisal Form dos UNPOLs em processo de check out e dos UNPOLs que requereram extensão do Tour of Duty.”

Cap. BMRS Marco Antonio dos Santos Morais
Veterano da MINUSTAH (2007/2008) e UNMISS (2012/2013)
Autor e moderador do Blog UNPolice.

Published in: on março 6, 2013 at 3:00 am  Deixe um comentário  

Rotação de UNPOLs brasileiros no Sudão do Sul (março 2013)

Segundo informações do Capitão BMRS Marco Antonio (01), cinco oficiais policiais militares (01 Maj e 01 Cap da PMDF; 01 Maj da PMERJ; 01 Cap do RS e 01 Ten da PMPR) receberam a Travel Authorization – TA no dia 21 de fevereiro de 2013 e tiveram suas passagens emitidas para embarque no dia 14 de março.

Os cinco oficiais PM que terminam o tour de missão no Sudão do Sul e iniciam o check out (procedimentos administrativos para receberem autorização para término de missão) no dia 21 de março (entre 21 e 26) em Juba e provavelmente se encontrarão com os new comers entre os dias 24 e 26 de março, após o período de Induction Training, que no caso da UNMISS e de outras 7 missões na África é realizada em Entebbe/Uganda.

A previsão é que o Induction se inicie no dia 19 de março. De acordo com o Capitão Marco, “na pior das hipóteses, a expectativa é que todos os brasileiros se encontrem no dia 24 de março”.

Possivelmente, será a primeira vez que um efetivo policial militar UNPOL brasileiro se encontrará na área de missão durante o período de rotação.

Sérgio Carrera

(1) O Capitão Marco Antonio, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, é veterano da MINUSTAH (2007/2008) e está em vias de terminar sua segunda missão (UNMISS). É o autor e administrador do blog UNPolice.

Published in: on março 2, 2013 at 2:29 am  Deixe um comentário  

Policiais Militares são agraciados com Medalha da ONU no Timor Leste (Medal Parade 2012)

Registramos nosso Brazilian Medal Parede 2012 na Missão Integrada no Timor Leste (UNMIT). O evento ocorreu no dia 07 de Setembro, quando a comissao organizadora presidida pelo Comandante do Contingente, Coronel PMDF Edilson Rodrigues,  concretizou meses de
planejamento e preparativos.
O evento se realizou no Clube Ocean View em Dili, Capital. Oito Oficiais receberam a condecoracao “In Service of Peace” e outros oito os correspondentes numerais de suas condecoracoes, pelo excedente de tempo em Missao de Paz prestando honrados servicos.

O convite foi idealizado no sentido de homenagear o Brasil – nossa Patria Amada -, tendo como imagem de fundo o monumento “Cristo Redentor”, do Rio de Janeiro,  justamente porque foi entendido como a imagem que melhor caracteriza o pais e tem reconhecida projeção no
exterior. Tambem, a Cidade do Rio de Janeiro foi eleita Patrimonio da UNESCO em 2012.

BRAZILIAN POLICE INVITATION

Nos honraram com suas presencas autoridades como o Representante do SRSG (Special Representative of Secretary General of UN), Sr. Shigeru Mochida, a Ministra Conselheira da Embaixada do Brasil no Timor Leste, Sra. Ivanise Maciel, o Acting Police Commissioner of UNMIT, Sr. Sayed Raj, a Acting Chief of Staff, Sra. Valelee Toffa e o Chief of NOD (National Operations Department), Sr. Raul Curva. Aquilataram o evento tambem comandantes de contingentes de policias uniformizadas de 40 paises, alem de muitos colegas UNPOLs e convidados.

Os convidados foram recebidos pelos Oficiais do contingente brasileiro e assistiram ao canto do Hino Nacional, seguido de um video sobre o Brasil e todas as suas muitas regioes e diversificados costumes.

Logo apos, as autoridades foram convidadas a tomarem seus lugares para realizarem a entrega das condecoracoes aos Oficiais agraciados.

Discursaram o Acting SRSG, o Acting Police Comissioner e o Contingent Commander.

Em seu discurso o Representante do SG relatou o brilhante histórico brasileiro na ONU, desde a assinatura da Carta das Nações Unidas e enalteceu os esforcos do Brasil em colaborar com um qualificado estafe para agigantar o desempenho da Policia das Nacoes Unidas na Missao de
Paz no Timor Leste, em um momento historico quando a Missao de Paz se aproxima de seu bem-sucedido encerramento.

Na mesma esteira manifestou o comandante interino da UNPOL, Sr. Saye Raj, os esforcos dos UNPOLs brasileiros pela sua qualidade, elevada disciplina, profissionalismo e alto grau de comprometimento com seus deveres, exemplos de profissionais que aqui vieram para fazer a
diferenca na Missao de Paz.

Por fim o Coronel Edilson Rodrigues agradeceu a presenca de todos e reassegurou o compromisso dos Oficiais brasileiros em bem desempenhar seus deveres e enalteceu o momento, que classificou como uma grande honra, quando somos reconhecidos pelos esforços somados aos contingentes da UNPOL no Timor Leste.

Foto acima: Coronel  PMDF Edilson, Comandante do Contingente Policial Brasilero na UNMIT.

Apos a solenidade os convidados participaram de um jantar comemorativo ao evento, com pratos típicos da culinaria do Brasil.

Receberam a condecoracao “In Service of Peace” das Nacoes Unidas os seguintes Oficiais:
Ten-Cel PMDF VALDEMIR GOMES DOS SANTOS             Distrito Federal

Major     PMERJ RODRIGO FERNANDES FERREIRA        Rio de Janeiro

Capitao BMRS ATILA MESADRI PEZZETTA                       Rio Grande do Sul

Capitao PMSP MAURICIO DE ARAUJO                               Sao paulo

Capitao PMDF ISANGELO SENNA DA COSTA                   Distrito Federal

1º Ten PMPR ALLAN PAULO BASSACO SACCHELLI       Parana

1º Ten PMCE ADRIANO MARCEL DE M. BEZZERRA        Ceara

1º Ten PMMT RICARDO DE ALMEIDA MENDES                Mato Grosso

Foto acima: Cap. BMRS Átila.


Receberam os numerais correspondentes a condecoracao “In Service
of Peace” das Nacoes Unidas os seguintes Oficiais:
Coronel PMDF EDILSON RODRIGUES-Distrito Federal

Major    PMDF ROBERTO DE SANTANA FREITAS-Distrito Federal

Capitao PMBA GILMARA SANTANA DE OLIVEIRA-Bahia

Capitao PMDF RODRIGO CAMARGO CAMPOS-Distrito Federal

Capitao PMBA FERNANDO ATILA FERREIRA JUNIOR – Bahia

Capitao PMDF ROBSON LUIZ MAGALHAES PINHEIRO – Distrito Federal

Capitao PMDF WERNER ARAUJO MIQUELINO DA SILVA-Distrito Federal

1º Ten   PMSP LIGIA PINHEIRO- São Paulo

Por: Átila Mesadri Pezzetta – Capitão BMRS.

Published in: on outubro 7, 2012 at 3:39 am  Comments (1)  

Contingente PM no Sudão do Sul completa 6 meses de Missão

 

“Meio caminho andado!” – Seis meses de Missão é um momento importante e de bastante reflexão para o Policial da ONU (United Nations Police – UNPOL). Os nossos profissionais, pioneiros na primeira Missão de Paz no Sudão do Sul (UNMISS), completaram ontem a metade do mandato inicialmente previsto (o qual pode – e dependendo da situação até deve, ser extendido), o de 1 ano de tour of mission.

Ao Tenente-Coronel PMAL Eliano, Capitão BMRS Marco Antonio, Capitão PMSC Jonas Binder, 1 Tenente PMESP Renata Cunha e a 1 Tenente PMESP Karin Lopes os nossos votos de saúde e mais sucesso ainda (além do que já conquistaram) na segunda metade dessa marcante jornada na vida de vocês.

Sérgio Carrera

OBS: O 1 Tenente PMPR Fábio Barros ingressou na UNMISS há 2 meses, completando o efetivo policial militar brasileiro no país.

Published in: on setembro 26, 2012 at 1:19 am  Comments (1)  

O Capitão BMRS Átila e sua experiência no Timor Leste (2012)

Por: ATILA MESADRI PEZZETTA
Capitao QOEM – BRIGADA MILITAR

Nossa Missão comecou dia 01 de marco com uma longa viagem de dois e meio dias, passados quatro diferentes voos, comecando por Porto Alegre. Passamos por São Paulo, Johanesburgo, Cingapura e Díli, capital do Timor Leste. Fomos recebidos pelos oficiais brasileiros, instalados em um hotel e no dia seguinte, baldeados para as provas de armamento e tiro. A tarde tivemos testes de idioma. O teste de condução de “pick up” na “mão inglesa” foi no final do Induction
Training.

Atualmente a Missão conta com 4 Formed Police Uinit, (unidades formadas como tropas especiais para controle de distúrbios civis) e suporte para a PNTL e para a UNPOL, diante de casos extraordinários. Conta ainda com aproximadamente 500 UNPOLs distribuídos em Dili, junto ao comando e nos 13 distritos, compreendendo mais de 50 países.

No ambito distrital tudo é replicado: comando, staff(seções do EM) e times de patrulha. O distrito da UNPOL funciona junto com a PNTL (Policia Nacional do Timor Leste). Os UNPOLs auxiliam no treinamento e monitoramento da policia nacional e a Unidade se subordina diretamente ao “Deputy Police Commissioner for Operations”, no âmbito operacional.
Há atividades de operações, controle de pessoal, logística, investigação, polícia comunitária, trânsito, inteligência entre outros.

No Timor Leste há carência economica e muitos vivem com menos de um dólar por dia, sendo o país ainda em parte dependente de ajuda estrangeira. Trata-se de um país realmente lindo, montanhoso, cheio de florestas bem preservadas e com muitos campos de arroz e criação de
animais. Prevalece a união familiar e muitos formam aldeias nas zonas rurais.

Parte da renda vem dos royalties da prospeção do petroleo junto a Austrália, de ajudas internacionais e das exportações. É comum que ofensas sejam indenizadas com patos, búfalos, gansos ou grãos. Existe uma justiça tribal paralela que em casos menos graves substitui a do
Estado e harmoniza as relações sociais. Existe a figura dos “chefes dos sucos” ou das aldeias que normalmente resolvem muitos destes problemas. Promovem reuniões de conselhos tribais, fora dos tribunais.

Todos criam cabras e muitos ainda vivem numa mistura de selva e área rural, em cabanas de palha e bambu. Os porcos do mercado são vendidos vivos, muitos produtos são produzidos em pequenas propriedades. Os galos de rinha são muito comuns. Planta-se arroz coletivamente em
campos artesanalmente irrigados, talvez com mais de 1.000 anos de tradição.

Alguns criam búfalos e galinhas, outros colocam uma vendinha ao lado da outra, e outros vendem os vegetais em tendas. Parecem pessoas honestas e humildes, talvez ainda vivendo o trauma de verem suas esposas e filhas sendo ultrajadas por invasores e guerrilheiros. O território tem 14.609 km quadrados, tendo como recursos naturais ouro, petróleo, gás natural, manganês e mármore. A agricultura e, em regra, para a subsistência, importando-se muitos alimentos, como frango do Brasil.

Seu regime político e a república, com o sistema de governo presidencialista, cuja capital é Dili. Nela vivem aproximadamente um terço da população – ou seja – 300.000 pessoas. As demais se espalham por 13 distritos. São 98% católicos, além de muçulmanos, budistas e outras denominações. Tem a língua portuguesa como idioma oficial.

Todavia, poucos abaixo dos 45 anos falam outra coisa além do “tetum”.

A espectativa de vida e próxima dos 56 anos, suportando uma mortalidade infantil em torno de 64 mortes para cada 1.000 nascimentos.  A fertilidade eh de 7.8 filhos por mulher, fazendo a
população crescer 4.7% ao ano, algo hoje perto de 1.100.000 (estimativa). Essas mães geram filhos que descendem de uma etnia composta pela maioria austronesia (malayo-polinesia) e papua, que lembram os aborígenes, em nada se aparentando com povos asiáticos.

Poucos imigrantes chineses, indonésios, se fazem notar. Tem estatura mediana (1.60m, 1.75m) e uma cor quase mulata. A moeda e o dólar americano. Sua subdivisão transparece ainda a existência de 65 subdistritos, compostos por 442 sucos (lideranças tribais regionais), com influencia sobre 2.189 aldeias e, logicamente, sobre o processo eleitoral. Tal processo ainda esta em fase de consolidação, eis que o pais recebeu o reconhecimento de sua independência após 24 anos de dominação indonésia, que iniciou em 1974, fazendo o pais padecer de total
dependência.

Em idos dos anos 1.300 o Timor fornecia sândalo, mel e cera para os chineses. Portugueses chegaram em 1.515 e colonizaram a ilha em 1.702. Ja no século XVII chegaram os holandeses e tomaram conta do lado oriental do Timor. Exploravam economicamente café, açúcar e algodão.

Durante a II Guerra Mundial Japoneses e Australianos ocuparam a ilha, palco de ferozes combates entre tropas do imperador e comandos australianos. Ao final da guerra 60.000 pessoas haviam morrido e abandonadas as plantações.  A independência da Indonésia em 1945 gerou a anexacao da porção oriental do Timor, restando o Timor Leste com Portugal. Isso perdurou ate 1974, quando o governo de Portugal reconheceu o direito de autodeterminação das suas colônias além-mar.

A Indonésia manteve o controle do Timor Leste por 24 anos, quando uma disputa interna eclodiu em uma guerra civil, terminando com a declaração de independência em 1975, como Republica Democrática do Timor Leste e o exercito indonésio entrou no pais em 1975,  infrentando resistencia de timorenses. A ONU e o Conselho de Segurança nunca reconheceram a anexação Indonésia e se retiraram do pais. Os indonésios proibiram a língua portuguesa, obrigaram as escolas a ensinar sua língua e investiram grandes recursos no pais, já que o
considerava seu território.

A crise asiática, já passado o periodo Suharto, levou o sucessor Habibe a permitir um plebiscito em 1999, que culminou com 78% dos votos pela independência. Milícias fizeram pressão para intimidar o povo, terminando com a destruição de 80% dos prédios publicos, todos
os registros e documentos queimados e a infra-estrutura destruída. Nova crise em 1999 apontou que possivelmente 1.400 pessoas teriam sido mortas e outras 250.000 ficaram desalojadas e fugiram para as montanhas, buscando seguranca.

Houve sucessivas missões das Nações Unidas, partindo da UNAMET, apos a declaração de independência, no intento de supervisionar a transição. Houve uma onda de violência envolvendo milícias, levando a ONU a criar nova missão. A INTERFET surgiu em 04 de setembro de 1999, com uma forca multinacional liderada pela Austrália para restabelecer a paz.

Quado as tropas desembarcaram em Dili em 20 de Setembro de 1999. As milícias fugiram para o lado ocidental e se desmobilizaram. Foi criado um gabinete de transição e em 2002 Xanana Gusmão foi eleito presidente e em setembro do mesmo ano Timor Leste se juntou a ONU. A UNTAET supervisionou a consulta popular para transição para independência, autorizada em 1999 e foi chefiada pelo diplomata Sérgio Vieira de Mello.

A presente Missao foi criada em 2006, quando a ONU a autorizou e que teve como mote principal um pedido do Parlamento local pelo estabelecimento da UN Police Force no Timor Leste, buscando manter a lei e a ordem no pais, viabilizando sua reorganização e reconstrução,
o dialogo político e a governança democrática.

Nossa Missao se encontra em fase final e apos tres periodos eleitorais bem-sucedidos vemos agora a preparacao para a sua retirada e o retorno dos seus integrantes aos seus paises.


Átila Mesadri Pezzetta”

Published in: on setembro 26, 2012 at 1:04 am  Deixe um comentário  

Policiais militares são agraciados com Medalha da ONU no Sudão do Sul

O dia 07 de setembro, dia da nossa Independência, é geralmente a data escolhida para a outorga da Medalha In the Service of Peace aos policiais militares e militares brasileiros que integram a ONU nas diversas de suas Missões de Paz.

No Sudão do Sul, a Medal Parade neste ano ocorreu com a presença de 05 (cinco) oficiais PM além de outros militares das Forças Armadas que lá trabalham como Observadores Militares (Military Observers – MilObs). A solenidade contou com a participação de autoridades da ONU e de outros policiais e militares estrangeiros que compõem a Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (UNMISS).

Foram agraciados com a Medalha 0s seguintes oficiais: TC PMAL Eliano, Cap BMRS Marco Antonio, Cap. PMSC Jonas Binder, 1º Ten PMESP Renata Cunha e a 1º Ten PMESP Karin Lopes.

Foto acima: TC PMAL Eliano (a direita) sendo condecorado com a Medalha. À esquerda, o Capitão BMRS Marco Antonio, segundo oficial mais antigo do Contingente, aguarda o seu momento.

Foto acima: O Capitão BMRS Marco Antonio, veterano da MINUSTAH (Haiti, 2007/2008)  é agraciado com a Medalha da ONU.

Foto acima: 1º Ten PMESP Karin Lopes recebe diploma após ser agraciada com a Medalha. A sua direita, a 1º Ten PMESP Renata Cunha.

Foto acima: Capitão PMSC Jonas Binder e o Capitão BMRS Marco Antonio.

O 1º Ten PMPR Fábio Barros não conseguiu chegar a tempo para a solenidade devido a problemas no transporte da cidade onde trabalha, no interior do país, até a capital, Juba (mas recebeu posteriormente a sua comenda).

Durante a solenidade, o TC Eliano, Comandante do Contingente, por tradição, fez o discurso em nome policiais militares brasileros:

E o Capitão PMSC fez uma apresentação sobre o Brasil e as polícias militares:

Esse time de policiais militares brasileiros é o primeiro a ser condecorado com a Medalha da ONU no mais novo país da comunidade internacional, o Sudão do Sul, fazendo assim, parte de sua história.

Medalha:

Certificados:

PS: Azul = ONU; Preto = a riqueza do petróleo; Verde = o solo fértil do Sudão do Sul; Branco = a esperança de paz e prosperidade após a luta pela independência.

Parabéns aos nossos “boinas azuis” que tão bem tem representado as nossas instituições policiais militares e a nossa nação.

Capitão Sérgio Carrera

Published in: on setembro 26, 2012 at 12:17 am  Deixe um comentário  

Brigada Militar promove Painel sobre sua participação em Missões de Paz da ONU

A Brigada Militar do Rio Grande do Sul (BMRS) promoverá, no dia 04 de maio de 2012 , na Academia de Polícia Militar brigadiana “Cel Mariante”, o Iº Painel sobre a participação da Brigada Militar nas Missões de Paz das Nações Unidas.

Tal evento tem por escopo divulgar as atividades realizadas pelos brigadianos na ONU e incentivar o grande público a preparar-se para as demandas que estão por vir em âmbito internacional.

Segue abaixo a Programação Oficial do evento:

NOTA: Excelente iniciativa da Brigada Militar. Que sirva de inspiração para as demais Corporações Policiais Militares.

Sérgio Carrera

 

Published in: on maio 2, 2012 at 3:16 pm  Comments (1)  

Matéria “O Brasil na UNPOL” – Revista Tecnologia e Defesa

A bem conceituada Revista Tecnologia e Defesa, Ano 29, Edição Especial N. 08 (Segurança), recentemente lançada e disponível no mercado, traz uma reportagem especial intitulada “O Brasil na UNPOL”. O repórter Roberto Caiafa conseguiu abordar vários aspectos da participação do componente policial nas Missões de Paz da ONU e, em especial, a dos policiais militares brasileiros.

 A matéria conta com uma entrevista com o amigo Capitão BMRS Marco Antonio, que administra um dos principais blogs sobre UNPOL no país, e um relato do Tenente PMBA Pujol, além de fotos de policiais militares em ação em alguns países.

Parabéns ao repórter Roberto Caiafa e a Revista por divulgar o trabalho dos UNPOL brasileiros, tornando o assunto mais conhecido ao público e aos leitores especializados em Segurança e Defesa.

 

Além da matéria de interesse particular, essa Edição aborda a atuação da Polícia Militar brasileira em vários outros tópicos, tais como: Ação nas Fronteiras, Aviação Policial, Motociclismo Policial, Missões Especiais, Sistemas de Integração, Novas modalidades de policiamento, etc.

Recomendada!

Sérgio Carrera

Site: http://www.tecnodefesa.com.br/

Published in: on abril 28, 2012 at 4:45 pm  Comments (1)  

Estrutura das instalações do Capitão Marco no Sudão do Sul

A barraca abaixo será a Base do Capitão BMRS Marco Antonio na cidade de Akobo/Sudão do Sul e serve como alojamento, cozinha e escritório. A estrutura conta com ar condicionado, banheiros e chuveiros. Mas como não dispoe de caixa d’água, ou seja, não conta com sistema de descarga… balde e caneca!

Fonte: Arquivo pessoal/FB Cap. Marco.

Published in: on abril 16, 2012 at 6:03 pm  Deixe um comentário  

Capitão Marco e Capitão Jonas na primeira atividade de aconselhamento técnico no Sudão do Sul

Primeira atividade de co-location (aconselhamento técnico) aos policiais do Sudão do Sul – SSPS – South Sudan Police Service. Na foto aparece parte da equipe de UNPOLs de Akobo. Dois policiais de Uganda, um da Zâmbia, um da Bósnia, os capitães policiais militares brasileiros, Marco e Jonas Binder. Este local é o pátio interno da Police Station de Akobo.
 
Capitão BMRS Marco Antonio
 
Fonte: Arquivo pessoal/FB Cap. Marco.
Published in: on abril 16, 2012 at 5:32 pm  Comments (1)  

Onde está mais quente??? Sudão ou Haiti?

O calor está tão forte nesses últimos dias, que postamos agora painéis derretidos das viaturas policiais nas Missões de Paz sob responsabilidade de policiais militares brasileiros.

Painel de VTR da UNPOL da ONU na Missão de Paz no Sudão do Sul (UNMISS) – Fez 46 C esta semana (Foto Acervo Pessoal Cap. BMRS Marco):

Painel de VTR da UNPOL da ONU na Missão de Paz no Haiti (MINUSTAH) – (Foto Acervo Pessoal TC PMBA Issa):

Published in: on abril 12, 2012 at 9:02 pm  Deixe um comentário  

Policiais militares brasileiros recebem “deployment” no Sudão do Sul

Os policiais militares recém-chegados para compor a Missão de Paz da ONU no Sudão do Sul (United Nations Mission in South Sudan – UNMISS) receberam o seu “deployment” (classificação). Eis os locais de trabalho dos Policiais da ONU (United Nations Police – UNPOL) brasileiros no país africano:

 1)      TC PMAL Eliano(Comandante de Contingente/Contingent Commander – CC) ficou classificado na Sede da Missão, na cidade de Juba (assim como os demais seniors/CC de cada contingente);

2)      O Capitão BMRS Marco e Capitão PMSC Jonas foram classificados na cidade de Akobo, leste do país, próximo à fronteira com a Etiópia.

3)      A Tenente PMESP Karin e Tenente PMESP Renata foram classificadas na cidade de Malakal, capital de um estado ao Norte que faz fronteira com o Sudão.

Segundo o Capitão BMRS Marco Antonio, Juba tem uma base estruturada, embora a fila de espera de conteiner seja grande. A cidade oferece moradia em hotéis e até em casas, mas tudo muito caro, motivo pelo qual a maioria opta por morar na base.

No interior, nas capitais dos 10 Estados do Sudão do Sul, a ONU está estruturada em suas bases e também tem conteiners sobrando. Para quem quiser morar nas bases (descontam 21 dólares por dia direto do MSA = aluguel 630 dólares), com ar, cama, mesa, armário, roupeiro, frigobar e TV.

Com a criação da missão só no Sudão do Sul, a ONU começou a abrir bases em municípios no interior dos Estados, denominados County Base Support (CBS). Muitas estão em construção ainda, caso de Akobo, cidade onde trabalharão os Capitães Marco e Jonas.

 

Ambos ainda não sabem se terão conteiners à disposição deles ou se terão que morar inicialmente em Barracas da ONU (não são barracas tipo acampamento, mas maiores que são divididas em dormitórios individuais).

Como o MSA da ONU prevê o gasto com alimentação, os policiais militares brasileiros no interior terão que administrar da melhor forma possível o estoque de alimentação. Por isso, todo o pessoal que vai para o interior, que não seja capital de Estado, faz um rancho com enlatados e tudo que não seja perecível e despacha pelo “cargo” da ONU.

O serviço de internet é fornecido por 3 operadoras de telefonia celular, que fornecem modem 3G e que cobrem todo o país. Não são tão rápidas como em outros países, mas oferecem um serviço básico fundamental nos dias de hoje.

Sérgio Carrera

Published in: on abril 7, 2012 at 10:45 pm  Deixe um comentário  

Novo Blog sobre PM brasileira e Missões de Paz da ONU

Continuando com as importantes ações de promoção e divulgação das atividades dos policiais militares brasileiros em Missões de Paz, o Blog “Participação em Missões de Paz da ONU: Cap. QOEM Ricardo Freitas das Silva – MINUSTAH e OHCHR”, recém-criado pelo Capitão BMRS Ricardo Freitas vem a contribuir destacadamente com os demais blogs e redes sociais e estará diretamente ligado ao site da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, com a devida autorização de seu Comandante-Geral. Parabéns ao Capitão Ricardo Freitas e a BMRS pela iniciativa.

” Brigada Militar participação em Missões da ONU

A  Brigada  Militar incentiva   a participação de  seus oficias em missões de paz das Nações Unidas e , assim,   proporciona uma nova forma de intercambio com diferentes instituições policiais militares e, em especial , o contato com a estrutura e politicas da Organização das Nações Unidas.

Com a autorização do Comando, teremos a oportunidade de criar um  ”blog”, o qual  será vinculado à  página eletrônica da Brigada Militar (www.brigadamilitar.rs.gov.br) , a fim de apresentar as atividades desempenhadas pelos oficiais da BM  em Missão na ONU. Abre-se um espaço de debate sobre temas,  tais como , atividade de policia nas missoes de paz, relações internacionais, estudo de idioma estrangeiro, Direitos Humanos,  bem como, dividir os desafios de viver em ambiente internacional.

Esperamos que o blog contribua na divulgação e debate sobre as atividades junto a Organização das Nações Unidas.

Os objetivos ( assuntos ) para  esses primeiros passos no “blog” serão: Missão de Paz no Haiti e o Serviço junto Comissariado de Direitos Humanos da ONU.

Saudações e Obrigado.”

Published in: on abril 7, 2012 at 1:06 am  Deixe um comentário  

First Pictures from Police Captain Marco Antonio (BMRS), Brazilian UNPOL in South Sudan (april 2012)

Veteran from the United Nations Peacekeeping Mission in Haiti (2007/2008), Brazilian Police Captain Marco Antonio (Rio Grande do Sul Police Department/Gendarmerie – Brigada Militar do Rio Grande do Sul – BMRS) heads towards South Sudan and begins his activities as UN Police (UNPOL) on promoting human rights, peace and international security, placing BMRS and Brazil on a high level position on assisting structuring the new police agencies on “unstable countries”.

All the best and success on the new mission!

Bellow:

United Nations HQ in Enttebe, Uganda.

 

 
Bellow:
UN Base in Juba, South Sudan. At least 40 C everyday.

Published in: on abril 7, 2012 at 12:19 am  Deixe um comentário  

Primeiras fotos do Capitão BMRS Marco na Missão de Paz da ONU no Sudão do Sul (abril 2012)

Veterano da Missão de Paz da ONU no Haiti (2007/2008), o Capitão da Brigada Militar do Rio Grande do Sul (BMRS) segue para o Sudão do Sul e inicia sua atuação internacional na promoção dos direitos humanos, paz e segurança internacional, colocando a BMRS e o Brasil em posição importante na formação de instituições policiais em países frágeis. Sucesso na missão que ora se inicia!

 

“Base da ONU em Entebbe – Uganda”
 
“Foto em um dos estacionamentos da Base da ONU em Juba – Sudão do Sul. Calor de no mínimo 40 Graus todos os dias.”
Published in: on abril 6, 2012 at 11:20 pm  Deixe um comentário  

Capitão BMRS Marco relata chegada do primeiro contingente policial brasileiro no Sudão do Sul (março 2012)

(transcrição)

“Já estamos no Sudão do Sul, mas chegamos em Juba somente hoje (30/03/2012). Ontem fomos até o aeroporto, fizemos o check in , esperamos dentro do setor de embarque até a hora do voo (14 hs) e ai cancelaram o voo da ONU. Disseram que era por causa do mal tempo em Juba.

Aí tivemos que voltar para o Hotel. E novo procedimento hoje de manha. Porém nova espera, pois o avião decolou de Juba e teve que voltar ao aeroporto. Um Oficial de El Salvador, da Aeronáutica, que está chegando na Missão e estava no mesmo voo nos contou que telefonou para um amigo dele do MovCon em Juba e ele disse que o avião não decolou ontem porque quando estava taxiando bateu em outro avião estacionado. Então, hoje decolou e sentiu um problema tendo que retornar. Mandaram um avião maior para nós e deu tudo certo.

Quando chegamos aqui fomos recebidos pelos militares brasileiros que estão trabalhando na Missão e estão nos dando o suporte inicial. Ficaremos dividindo nos conteiners deles até o nosso deployment. Eles são pequenos, mas é o que a casa oferece, e tem sido excelente por parte dos nossos novos amigos compatriotas. Vou dormir em um colchão inflável emprestado pelos militares. Eles estão sendo muito atenciosos conosco. Se não estivessem aqui, estaríamos “sem pai nem mãe”.

Amanhã iniciamos o treinamento, 2 dias inteiros. No terceiro dia será o teste de direção. Parece que não seremos “lotados” antes do final de semana por causa do feriado de páscoa. Pelo que os militares nos disseram, pois já fizeram um prévio contato com a rotation unit, as mulheres ficam em Juba, e os homens vão para o interior. Estão tentando nos levar para locais que tenham militares brasileiros, o que seria muito importante.

Aqui em Juba existe problema de acomodações. Tem fila de espera para os conteiners, cerca de 200 pessoas nos disseram. Um capitão da Aeronáutica que está quase em check out, recebeu o dele há pouco tempo. Por causa disso, os hotéis estão lotados e o pessoal “fincando a faca” nos internacionais, ou seja, mesma coisa que no Haiti. Já no interior tem conteiner sobrando, individuais, com ar condicionado. (Média de $ 21/dia).

Vamos mantendo contato.

Marco

Capitão Brigada Militar do RS – BMRS

UNPOL no Sudão do Sul”

Published in: on abril 4, 2012 at 11:44 pm  Comments (2)  

Policiais militares brasileiros chegam bem e iniciam Induction Training em Uganda para compor Missão de Paz da ONU no Sudão do Sul

Retificando a última postagem sobre o Sudão do Sul, esclareço que 05 policiais militares embarcaram para o Sudão do Sul: TC PMAL Eliano, Cap BMRS Marco, Cap PMSC Jonas, Ten PMESP Renata e Ten PMESP Karin. (O Tenente PMPR Fábio Barros aguarda entrevista para se juntar aos demais).

Segundo informações recebidas pelo amigo Capitão Marco Antonio, eles chegaram ontem às 19:10 hs horario local (06 horas + que o Brasil) e já iniciam o induction training hoje.

Eles ainda não foram informados quando seguirão para Juba, capital do Sudão do Sul, mas acreditam que na próxima segunda-feira.

Mesmo cansados por causa do jetleg (diferença de fuso horário), todos estão muito bem.

Alem dos 05 brasilieros, no treinamento também conta com:
– 10 policiais da Nigéria,
– 04 da Malásia,
– 06 da Finlândia, e
 – militares da Alemanha, Índia, Holanda e El Salvador.

Continuaremos postando as informações sempre quando recebidas.

Abraço e sucesso aos amigos na África.

Sérgio Carrera

Published in: on março 28, 2012 at 3:07 pm  Deixe um comentário  

Policiais militares brasilieros seguem para a Missão de Paz no Sudão do Sul

Quatro policiais militares brasileiros embarcam amanhã, segunda-feira, dia 26 de março de 2012, para compor a Missão de Paz da ONU (UNMISS) no recém-criado Sudão do Sul. Os policiais militares embarcam de Guarulhos com destino a África do Sul e de lá partem para Entebbe (Uganda), local onde farão o Induction Training. Após o treinamento inicial, se deslocarão ao Sudão do Sul em aviação própria da ONU, com previsão de chegada para o próximo sábado.

Importante destacar a participar do veterano da MINUSTAH (Haiti), Cap. BMRS Marco Antonio, do Capitão PMSC Binder e de 2 oficiais femininas do Estado de São Paulo, Tenentes Karin e Renata, aumentando a participação policial feminina brasileira em Missões Internacionais.

O quinto brasileiro, Tenente PMPR Barros continua aguardando a entrevista (telefone) para seguir e se juntar aos demais.

Muita saúde, paz, sucesso e a certeza de que muito bem representarão o nosso país e instituições nesse ano na África.

Abraço,

Sérgio Carrera

Published in: on março 26, 2012 at 2:35 am  Deixe um comentário  

Replacement in Guinea-Bissau

Alguns policiais militares começam a retornar ao Brasil por término de Missão de Paz da ONU em Guiné-Bissau.

O Capitão Thales, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, retornou na semana passada.

O TC PMDF Cesar está com retorno previsto para o próximo mês e o Senior Police Advisor, chefe do componente policial da ONU no país, Coronel PMDF Nelson W. Garcia deve regressar ainda neste semestre.

O governo do Brasil deve envidar os esforços necessários para que esse cargo permaneça com o país. Atualmente, existe somente um Oficial do posto de Coronel habilitado para Operações de PAz da ONU, também da PMDF e veterano de 3 Missões na região da Bósnia. Não há outro policial militar desse posto habilitado em todo país. Com larga experiência internacional na ONU, Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Ministério da Justiça, Secretaria Nacional de SEurança Pública além das funções operacionais e administrativas na PMDF possue CV e capacidade técnica e intelectual para conduzir os trabalhos iniciados pelo Cel PMDF Garcia.

A torcida agora é para que além do cargo mais importante da UNPOL em Guiné permaneça com um brasileiro, as outras 5 funções de gerenciamento as quais tiveram a frente policiais militares brasileiros fiquem com o Brasil.

Esse processo deve ser rápido e bem conduzido pelo Exército, Ministério da Defesa, Ministério das Relações Exeriores, PMDF e GDF.

Em nível de alto escalão, como chefe de componentes em Operações de Paz da ONU, o Brasil conta apenas com o chefe do componente policial na Guiné Bissau e com o chefe o componente militar no Haiti.

Precisamos de agilidade e boa diplomacia para mantermos cargos tão importantes e que reflitam políticas pró-ativas do país na área de segurança internacional.

Sérgio Carrera

Published in: on fevereiro 11, 2011 at 5:02 am  Comments (3)  

Policiais militares brasileiros são condecorados com medalha da ONU em Guiné-Bissau (UNIOGBIS)

É com grata satisfação que recebemos email do TC PMDF Cesar informando que no dia 14 de janeiro de 2011 às 10:00h, na sede do Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné Bissau – UNIOGBIS, ocorreu a solenidade de condecoração aos Policiais da Unidade de Reforma Policial da Seção do Setor de Reforma de Segurança com a Medalha de Serviço Especial das Nações Unidas.  

O grupo de agraciados com a medalha  é composto por 12 policiais que representam os seguintes países: Angola, Brasil, Moçambique, Paraguai, Portugal, Suiça e Zimbabue. O Brasil foi representado pelos seguintes Oficiais, oriundos da Polícia Militar do Distrito Federal e da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, nominadamentre:

·        Coronel Nelson Werlang Garcia – PMDF (Senior Police Advisor)

·        Tenente Coronel Marcos Aurélio Vitoriano Matias – PMDF

·        Tenente Coronel Florisvaldo Ferreira Cesar – PMDF,

·        Tenente Coronel Denise Dantas de Aquino – PMDF,

·        Capitão Tales Américo Osório – BMRS.

      

Os UNPOL brasilieros em Guiné-Bissau.

(Da esquerda para a direita: Capitão BMRS Tales Américo Osório, Tenente Coronel PMDF Denise Dantas de Aquino, Coronel PMDF Nelson Werlang Garcia (Senior Police Advisor), Tenente Coronel PMDF Florisvaldo Ferreira Cesar e Tenente Coronel PMDF Marcos Aurélio Vitoriano Matias.)

Parabéns aos policiais militares brasileiros que pela segunda vez tão dignamente representam as suas instituições, o Brasil e a ONU.

Sérgio Carrera

Published in: on janeiro 19, 2011 at 12:57 pm  Comments (2)  

Novo contingente PM se forma para o Timor Leste (julho 2010)

Mais 6 policiais militares são indicados para o Timor Leste:

03 da PM de São Paulo

02 da PM do Paraná

01 da PM (Brigada Mlitar) do RS

Com os da PMDF, até agora, temos um total de 10 PM brasileiros com embarque previsto para o próximo mês.

Sucesso aos peacekeepers!

SC

Published in: on julho 10, 2010 at 1:07 am  Deixe um comentário  

Capitão BMRS Marco Antonio palestra para alunos da Faculdade IMED

Nos dias 16 e 17 de junho de 2010, o veterano da MINUSTAH e estudioso de assuntos de Operações de Paz, Marco Antonio, Capitão da Brigada Militar do RS, proferiu algumas palestras para alunos do Curso de Direito da Faculdade Meridional  (IMED)  onde é acadêmico do 9º semestre.  

Os temas abordados foram : “O serviço policial nas Nações Unidas e as Missões de Paz” e “ONU: Limites e possibilidades de intervenção das Nações Unidas”

“Em ambas as oportunidades pude esclarecer aos alunos sobre a estrutura organizacional da ONU, os aspectos principais do Conselho de Segurança, o DPKO e as características de uma missão de paz multidimensional onde diferenciei as atribuição de cada seguimento: Policial, Militar e Civil. Principalmente diferenciando a missão dos militares brasileiros no Haiti da missão desempenhada pelos Policiais das Nações Unidas – UNPOL. Por fim, falei sobre a experiência vivenciada nos 12 meses em que estive no Haiti no período de junho de 2007 à junho de 2008.”  (Marco Antonio)

Parabéns ao Capitão Marco, a cada dia se tornando mais uma referência na área. Que mais policiais militares tenham oportunidades semelhantes. 

Parabéns também a Coordenação do Curso de Direito da IMED pela iniciativa. 

Sérgio Carrera

 Fontes: Blog UNPolice e IMED.

Published in: on junho 18, 2010 at 9:04 pm  Deixe um comentário  

Homenagem ao TCel Franco e TCel Zazyck

Belíssima a homenagem prestada pelo Capitão Marco Antonio em seu Blog UN Police aos TC Franco e TC Zazyck, ambos da Brigada Militar do RS e veteranos da Missão de Paz da ONU em El Salvador, que perderam a vida  no dia do Peacekeeper (boina azul) em 29 de maio de 2009.

TC Franco em El Salvador:

SC

Published in: on junho 4, 2010 at 3:14 pm  Deixe um comentário  

Policiais militares brasileiros são condecorados com a Medalha da Solidariedade de Timor Leste

 

Capitão PMPE Augusto Vilaça remete informações sobre condecoração de policiais militares brasileiros no Timor Leste: 

“Atendendo à recomendação assinada pelo Embaixador do Brasil em Timor Leste, Dr. Edson Marinho Duarte Monteiro, o Exmº Dr José Ramos Horta, Presidente da República Democrática de Timor Leste, concedeu aos brasileiros componentes do atual contingente de UNPOL na UNMIT, a Medalha da Solidariedade de Timor Leste, em reconhecimento pelos trabalhos prestados na ajuda ao desenvolvimento desta jovem nação. 

A entrega foi feita pelo próprio Embaixador do Brasil, na data de 06.05.2010, em almoço promovido pela Embaixada, e contou com a participação do Deputy Police Commissioner for Operations, UNPOL Idris Ibrahim, e dos membros do atual contingente para maio de 2010. 

Com o sentimento de dever cumprido, deixamos o país e retornamos aos nossos lares, nossas famílias e nossas Corporações. Ao Timor Leste, nosso desejo de sucesso nessa caminhada rumo ao desenvolvimento. Aos próximos missionários, votos de boa sorte e a certeza de que se esforçarão para manter o elevado padrão de trabalho verde-amarelo na UNMIT. 

Ainda dentro do assunto, queremos informar que os veteranos brasileiros que aqui estiveram pós 2006 (de acordo com o que prescreve a lei que criou a medalha), também foram incluídos na iniciativa do Embaixador, que já tem a posse das medalhas e certificados nominais, e está providenciando o envio para o Brasil via mala diplomática.”

Obrigado ao amigo Vilaça pela notícia e as minhas escusas pela demora em publica-las!

Parabéns a todos os policiais militares que estiveram no Haiti entre os anos de 2009 e 2010!

Abraço,

Sérgio Carrera

Published in: on junho 3, 2010 at 12:33 am  Deixe um comentário  

Capitão Emerson – PMSC – envia relato sobre a missão no Sudão

 

Pegando a deixa do Cap. BMRS Marco Antonio, faço questão de publicar o texto enviado pelo Cap. PMSC Emerson, que integra a Missão de Paz da ONU no Sudão 0 UNMIS. Vale a pena!

Confira as fotos no Blog UN Police!

Sérgio Carrera

“UNPOLS BRASILEIROS NO SUDÃO – UNMIS 2010/2011
Chegamos em solo Sudanês no dia 09 de março de 2010, mais de três meses depois de realizar a entrevista por telefone, última etapa do processo seletivo, que foi no dia 06 de dezembro de 2009 e 3 meses depois do check-out dos três brasileiros que aqui estavam, Maj PMERJ Silva, Ten PMSP Bruno e Ten PMMT Menin, que deixaram o Sudão no dia 10 de dezembro de 2009. Pois bem.
Com a estimada ajuda do Maj Silva, com quem mantivemos contato um bom tempo antes de chegar, já tínhamos certa noção das atividades que rolavam por aqui. Aportamos no Sudão em apenas dois Oficiais, eu, Capitão PMSC Emerson Fernandes e o 1º Tenente PMESP Carlos Alberto Mello e Silva. Éramos pra vir em três brasileiros, substituindo os três que aqui estavam, mas um dos brasileiros que viria conosco acabou reprovando na entrevista por telefone e não veio. Assim que cheguei aqui e obtive esta informação, entrei em contato com o COTER para que eles providenciassem outro Oficial urgente. Ouvi dizer que estava para vir um Tenente do Paraná, mas já estamos há 75 dias aqui e esta informação não se confirmou. Como esta a minha segunda Missão, eu já cansei de falar sobre a nossa representatividade pífia em missões de paz. Quiçá um dia isso mude, tenho bastante esperança nisso. Por isso não vou me aprofundar muito. O fato é que somos em apenas dois policiais, dentre quase 700 de 40 nacionalidades diferentes, e nos constituímos no menor efetivo policial da UNMIS, entre os países contribuintes. E o Brasil ainda quer assento permanente no Conselho de Segurança. O fato é que sempre desempenhamos muito bem a nossa parte. O Maj Silva, que aqui estava, foi Team Site Leader durante praticamente toda a Missão e agora eu e o Mello estamos em uma situação muito confortável, apesar do pouco tempo de Missão.
Após a nossa chegada, realizamos o Check-in e o Induction Training entre os dias 10 e 20 de março e fomos designados para trabalhar no setor II, Team Site WAU, que fica localizado na sede do setor. O setor II é um dos maiores da Missão e o nosso Team Site é o maior do setor e o segundo maior de toda a Missão, com cerca de 25 policiais internacionais (16 equivalentes aos nossos Oficiais, 09 equivalentes aos nossos Praças), 6 Language Assistants e 1 Office Assistant. Chegamos em Wau no dia 21 de março de 2010. WAU é a segunda maior cidade do Sul do Sudão (140 mil hab.) e, como eu já disse, é a sede do Setor II da Missão, que congrega 05 Team Sites em 4 Estados diferentes do Sudão. Como poderá ser visto na figura a seguir, a UNMIS está direcionada inteira para o Sul do Sudão.

Em relação ao exercício das nossas atividades na Missão, chegamos no Team Site e começamos, como todos, a trabalhar na atividade de monitoramento da atividade policial local, aqui chamada de co-location. Co-location nada mais é do que a visita diária aos Distritos policiais na AOR do Team Site para verificar se existem alterações no serviço policial, quantos estão de serviço, qual é a situação dos presos, quais foram as ocorrências nas últimas 24hs, etc… sempre acompanhado de um pequeno briefing de capacitação acerca de um assunto previamente estabelecido. Porém, tanto eu quanto o Mello permanecemos pouquíssimo tempo na atividade de co-location. Para a nossa grata surpresa, ascendemos bastante rápido nas funções aqui. Após dez dias de co-location, eu e o Mello fomos ministrar instrução em um curso de FPU (Riot Control) por dez dias. Com um mês de Team Site, fui convidado para exercer a função de Operations Officer do Team Site, a qual aceitei prontamente, e dez dias depois, o Mello recebeu o convite para ser o Senior Operations Officer do Setor. Atualmente, após 75 dias de Missão, estou exercendo a função de Acting Team Site Leader de Wau (O Team Leader está de CTO) e o Tenente Mello está trabalhando no Setor, já efetivado. Ele só está esperando o check-out do chefe da seção, para, muito provavelmente, assumir a chefia de operações do setor, que é responsável por cinco Team Sites. Ambos fomos convidados para trabalhar na seção de treinamento do setor, e provavelmente ser o Sector Training Coordinator, haja vista que os três policiais que trabalham naquela seção estão saindo nos próximos três meses. Nesse exato momento nossa situação é muito confortável. No mês que vem haverá anúncio para a vaga de Team Site Leader e também para a vaga de Deputy Sector Commander. Eu vou aplicar para Deputy SCD e, se não der certo, posso aceitar o convite de Sector Training Coordinator, enquanto o Mello muito provavelmente será o Senior Sector Ops Officer. Esse é o nosso “Picture” no momento, com menos de três meses de Missão.
Nenhum de nós dois ainda pegou o primeiro CTO. Eu sairei no dia 02 junho, após 84 dias e o Mello ainda esperará um pouco mais. Abaixo publico algumas fotos de nossas atividades “so far”.

Acerca da relação entre a Missão de Paz que estamos participando e a Missão de Paz em Darfur, cabem também algumas explicações. O Sudão é o único país do mundo a sediar duas Missões de Paz completamente diferentes e independentes uma da outra. Estão operando no Sudão a UNMIS (United Nations Mission In Sudan), direcionada inteiramente a atender ao Sul do País, devido a um processo de separação que está em curso e cujo período decisivo se dará no mês de Janeiro de 2011, com a realização de um Referendo para decidir se a população do Sul do Sudão quer ou não se separar do Norte. Tudo indica que a população optará pela separação e também tudo indica que ela não será muito pacífica. Mas nós ainda estaremos aqui para ver o que vai acontecer. E tem também a UNAMID (United Nations African Union Mission In Darfur). A UNMIS só opera no Sul do Sudão e a UNAMID só opera em Darfur. A UNMIS está “under chapter six” e a UNAMID está “under chapter seven”. Evidente que a situação em Darfur é bem mais tensa que nas demais regiões do país. Esses seqüestros e inclusive assassinatos de boinas azuis que ocorrem em Darfur com certa freqüência, ainda não presenciamos nenhum por aqui. Mas aqui, apesar de não ser igual à Darfur, as hostilidades em relação aos boinas azuis vem aumentando e furtos e roubos em residências ocupadas por internacionais acontecem com freqüência. A única coisa que liga as duas missões é um escritório de ligação da UNAMID que tem na sede do MHQ da UNMIS em Khartoum, nada mais. Só para exemplificar, não existe a possibilidade de nós sermos deslocados para lá e vice-versa.

Por enquanto acho que era isso. Desculpe a demora. Você tem autorização para publicar tudo o que eu escrevi aqui, assim como as fotos e se por acaso tiver mais alguma dúvida em relação à Missão é só falar, porque admiro o trabalho de divulgação de vocês em prol dos Boinas Azuis brasileiros, mormente os UNPOLs. Mandarei também uma cópia desse documento para o Maj Silva, da PMERJ e para o Sérgio Carrera, da PMDF.
Grande abraço!!
Emerson Fernandes
Capitão PMSC
UNOTIL – 2005/2006 – UNMIS 2010/2011”

Published in: on maio 27, 2010 at 1:07 pm  Comments (5)  

Quantos policiais militares brasileiros já morreram em Missões de Paz da ONU

Desde 1991, ano da primeira participação policial militar brasileira em Operações de Paz, um total de três policiais militares já perderam a vida: 01 (um) Sargento da Polícia Militar de Minas Gerais (Angola, 1992), 01 (um) Capitão da Brigada Militar do RS (El Salvador, 1993)  e 01 (um) Primeiro-Tenente da Polícia Militar do Distrito Federal (Haiti, 2010).

Sérgio Carrera

Published in: on março 1, 2010 at 2:59 am  Comments (2)  

A importância do preparo técnico-profissional nas missões de paz

Pegando um gancho no que o colega missionário Cap Hoffmann escreveu para o Blog UNPOLICE sobre algumas características necessárias ao UNPOL, decidi seguir a linha e tentar complementar o que já foi muito bem exposto.

Para aqueles que pretendem integrar uma dessas Missões de Paz da ONU, ou qualquer outra tarefa que implique na representação do país e da instituição a que pertencem, no exterior, além do preparo psicológico e ético, também se faz indispensável o preparo técnico-profissinal, o que, hoje em dia, os papas dos Recursos Humanos chamam de competências. Competência, nada mais é que ser capaz de realizar e aplicar as habilidades que possui de maneira prática, eficaz e eficiente.

Aliás, a palavra competência se encaixa perfeitamente no caso específico da ONU, que prioriza a capacidade e o preparo individual em detrimento das posições hierárquicas, por isso que, pra quem não sabe, em sua maioria, só pra não dizer que em 100% dos casos, as missões conduzidas pela ONU são consideradas como “non-ranking missions”. Assim, não seria uma aberração que um Coronel viesse a ser chefiado por um Major, um Capitão ou até mesmo um Tenente, ainda que oriundos da mesma nação. Nem mesmo a função de Comandante do Contingente, segundo a regulamentação da ONU a que nos submetemos, é privativa do mais antigo ou de maior posto, afinal deve ser ocupada por aquele que tenha a melhor capacidade de conduzir os demais membros, no bom desempenho das suas funções, no engrandecimento da missão e da nação, e sempre pensando no bem estar geral.

Para ocuparmos uma determinada vaga, somos submetidos a uma avaliação de currículos seguida de uma entrevista. A ideia é que o mais competente ocupe a posição. Sendo assim, o que por vezes vemos ocorrer em nossas Corporações, de pessoas sem escrúpulos que buscam a ascensão tentando subir nos outros, perde muito da efetividade, já que, quem assim age o faz por não ser capaz de vencer com seus próprios méritos.

De tanto testemunhar ações de indivíduos como esses, eu até já escrevi um texto, quase um desabafo: “Eles estão entre nós!”. Não se enganem, quem usa de tais artifícios para tentar compensar a falta de capacidades, habilidades e competências, e subir na vida a qualquer custo, mais cedo ou mais tarde é desmascarado e aí a coisa se torna bastante vergonhosa.

Por isso, meu conselho para os futuros missionários é que se preparem profissionalmente para a missão. Desenvolvam suas habilidades e procurem vencer com seus próprios méritos, tenho plena certeza de que o gosto da vitória será bem mais intenso.

Por fim, e como uma mensagem para aqueles que ao invés de trabalharem com afinco e mostrar que são bons em alguma coisa preferem cultivar inimizades ou amizades interesseiras, ao invés de reclamarem serem vítimas de carmas ou castigos transcendentais, lembrem-se de que tudo que acontece conosco é conseqüência de nossos atos.

Trabalhar, esforçar-se e mostrar para que viemos, esse é o segredo.

Boa missão a todos!

Caveira!

Cap PMPE Augusto Vilaça

UNPOL – UNMIT

“E nunca envergonhemos a nossa fé, as nossas famílias ou os nossos camaradas!”

Augusto Vilaça tem 33 anos e é brasileiro de nascimento, pernambucano de registro, sertanejo de coração, policial por vocação, honesto por convicção, cozinheiro por enxerimento e escritor por falta do que fazer. Querem mais?

Todas as segundas com uma novidade no Blog Notícias de Muito Longe: http://aavs1976.wordpress.com

Equipe de trabalho do NID-PSU (National Investigations Departmen – Prosecution Support Unit)

Published in: on fevereiro 15, 2010 at 11:38 pm  Comments (4)  

Capitão Hoffmann escreve sobre ética e preparo técnico-profissional para uma Missão da ONU

O Capitão Arnaldo Hoffmann Neto (APM-RS/1995) completou 9 meses de serviço na Missão de Paz das Nações Unidas no Timor Leste. A experiência vivenciada no dia-a-dia em Dili proporcionou ao Capitão Hoffmann angariar conhecimento sobre algumas questões importantes que devem ser levadas em consideração pelo futuro UNPOL. No texto abaixo encontramos informações relevantes a respeito de ética e preparo técnico-profissional.

Preparo ético e técnico-profissional para Missão da ONU
Ainda preocupado com os futuros missioneiros e já com alguma bagagem de experiência em Missão de Paz, veio a necessidade de redigir algo sobre esse tema, que é de suma importância. Por sorte aqueles que frequentaram Academias de Polícias Militares não terão problemas quanto a isso mas vale a pena lembrar por pura precaução, afinal, cautela nunca é demais.
Comecemos pela ética. É de bom alvitre observar mais do que falar. Afinal o ambiente de Missão é multicultural e observa-se todos os dias uma imensa gama de atitudes e valores que nos são estranhos. Não são errados, são apenas diferentes dos nossos. Devemos lembrar que outras pessoas de outras culturas nos observam também e nos julgam. É importante então, não expor comentários, revelar dados de trabalho, especialmente se forem desairosos ou negativos; não opinar a respeito de autoridades, como por exemplo, atos do Comandante da Polícia Local, justamente pelas diferenças existentes entre procedimentos. Ser discreto e demonstrar profissionalismo é sempre recomendável.
Por outro lado, e não menos importante, temos o preparo técnico-profissional. Todos nós dominamos a leis e regramentos aos quais estamos vinculados. Temos a “nossa” noção do que é certo ou errado. Estando em outro país, deparamo-nos com situações inusitadas, pois o sentimento de certo e errado não é exatamente o mesmo, por questões de costume, cultura, religião, e até mesmo geo-climáticos, portanto, ter conhecimento das leis vigentes no país é importante.
Estamos, como “Peacekeepers” sobordinados a SOP (Standard Operational Procedures). Esse documento trata das nossas obrigações enquanto integrantes da ONU, de maneira que é indispensável ser sabedor do tema.
Tudo isso serve para que o profissional possa exercer suas funções com tranqüilidade e possa render mais para a manutenção da paz, além de evitar dissabores como, por exemplo, tomar atitudes que venham de encontro aos interesses positivos de bem representar o Brasil.

Leia na íntegra no Blog UN Police, do Capitão Marco Antonio.

Published in: on fevereiro 14, 2010 at 8:59 pm  Deixe um comentário  

Major PMDF César informa composição inicial da UNPOL na Missão de Paz na Guiné Bissau

“Aos amigos informo que o efetivo previsto para a Guiné é de 16 UNPOL, porém o processo seletivo foi um pouco diferente, pois exigiu uma experiência de Missão anterior e que o candidato fosse no mínimo Capitão. O processo seletivo aconteceu em 2009 e foi coordenado pelo DPKO. Hoje somos apenas 06 UNPOL aqui na Guiné (02 Brasil, 01 Suiça, 01 Portugal, 01 Zimbabue e 01 Moçambique). A Major da PMDF Denise Dantas chegará aqui no dia 15/02/2010, e o Coronel da PMDF Garcia no dia 17/02/2010. Dessa forma seremos 50% do efetivo.

               MAJ Cesar – PMDF- UNIOGBIS”

Nota: Este é o primeiro efetivo policial UNPOL da ONU na Missão de Paz na Guiné Bissau.

Published in: on fevereiro 4, 2010 at 9:10 pm  Deixe um comentário  

Oficiais da PM integram Missão de Paz da ONU em Guiné-Bissau

Na próxima semana, um major da PMDF e um capitão da BMRS partem do Brasil com destino a Guiné-Bissau para exercer funções de chefia na Missão da ONU no país. Em fevereiro mais um major da PMDF seguirá com o mesmo destino.

Esses oficiais foram submetidos a concorrido processo seletivo com policiais de vários países.

Todos os oficiais policiais militares já são veteranos de Missão de Paz da ONU.

Sucesso a todos!

Published in: on janeiro 23, 2010 at 11:36 pm  Deixe um comentário  

Oficial da PM gaucha manda notícias do Haiti

“Sérgio,

Vemos progresso e milagres nos resgates, apesar do caos geral. Crianças, bebes e adultos estão sendo encontrados 3 , 4 dias após o impacto…tenho fé…

Muitos de nossos amigos se salvaram e estão trabalhando muito. Com exceção de uma de nossas secretárias, B., que está ferida, mas nada grave. Os demais estão bem. Alguns que estavam de folga regressaram ao Haiti para ajudar nas buscas.

Não tenho notícias dos policiais haitianos que trabalhavam com a gente. Ainda existem desaparecidos, mas as equipes de resgates trabalham incansavelmente.

Na região de Gonaîves, que não foi afetada, os recursos estãos escassos, a comida está acabando e faz-se necessário atravessar a fronteira para a compra de comida e abastecer a base da ONU aqui. Estou preparando uma escolta delicada para assegurar a garantia de todos os funcionários da ONU sob minha responsabilidade.

As comidas serão utilizadas aqui na Base.

(…) e os saques ja estão comecando (…)”

Ricardo Silva

Gonaives –  Haiti

Published in: on janeiro 17, 2010 at 3:56 am  Comments (5)  

Policiais militares veteranos de Missões de Paz da ONU são voluntários para ajudar no Haiti

Um grupo de oficiais das políciais militares brasileiras, todos veteranos de Missões de Paz da ONU, alguns com experiência na área operacional no Haiti, estão se mobilizando para ajudar, em questões de segurança e de resgates, as demais equipes em Porto Príncipe.

A maturidade e experiência profissional desses policiais militares brasileiros em áreas conflituosas podem contribuir com os esforços que estão sendo somados dia a dia no Haiti.

Policiais militares de vários estados da Federação, inclusive oficiais femininos, são voluntários e estão prontos para o embarque.

Sabemos que existem prioridades, como a remessa de mantimentos, comida, água, envio de equipes de resgate e de hospitais de campanha, bem como as dificuldades de pouso e decolagens do Aeroporto de Porto Príncipe, mas temos certeza que a coordenação de UNPOLs com experiência pode ser muito importante, em especial, pelo conhecimento da cultura, idioma e dos policiais, podendo facilitar as ações conjuntas., principalmente nos rompantes de violência que estão ocorrendo na capital haitiana.

A idéia não é a de realizar tour de missão, mas sim de missão especial enquanto necessário.

Nos colocar a disposição, via Governos Estaduais e do Distrito Federal, ou por solicitação do COTER (trâmite normal).

Policiais militares do Distrito Federal, do Rio Grande do Sul, de Goiás e do Rio de Janeiro já se apresentaram como voluntários. A tendência é que essa relação cresça. (será atualizada diariamente).

Temos conhecimento das prioridades das autoridades brasileiras, mas estejam certos que vários policiais militares veteranos estão em condições de pronto emprego.

O Exército Brasileiro, via COTER e IGPM, pode intermediar junto aos Estados, como tem sido feito ao longo dos anos. E os Estados e Distrito Federal podem oferecer PMs voluntários.

Contamos com o apoio das nossas Corporações PM, de nossos governadores e das autoridades federais (Ministério da Defesa, MRE, Exército, SAE, etc.). A causa é nobre, é humanitária e urgente!

Toda ajuda é bem vinda ao Haiti! Queremos ajudar e estamos prontos para isso!

Uma vez peacekeeper, sempre peacekeeper!

“Grupo de policiais militares veteranos de Operações de Paz da ONU”

OBS: Os PMs veteranos, que não participam dos grupos de debate, favor encaminhar email, caso seja voluntário!

 

 

Published in: on janeiro 16, 2010 at 4:46 am  Deixe um comentário  

Notícias sobre PMs no Haiti – 14 de janeiro de 2010.

Para responder a muitas solicitações, informo que o CAP BMRS RICARDO FREITAS DA SILVA, CAP PMAM ALGENOR e o TEN PMPE RICARDOCOUTO estão bem.

O primeiro está em Gonaives.

Os outros dois emPorto Príncipe. Eles estão trabalhando muito nos resgates as vítimas, mas estão bem e com pouco acesso a comunicações.

O Oficial da PMDF continua dentre os desaparecidos.                                     

Essas informações foram recebidas entre os dias 13 e 14 de janeiro de 2010.

Sérgio Carrera

Published in: on janeiro 15, 2010 at 2:43 am  Deixe um comentário  

Capitão Ricardo Freitas da Silva envia relato sobre a situação no Haiti após o terremoto

Capitão da Brigada Militar do Rio Grande do Sul Ricardo Freitas da Silva envia relato sobre a situação no Haiti após o terremoto ocorrido na região da Capital haitiana na terça-feira. Leia na íntegra no Blog do Capitão Marco.

Published in: on janeiro 14, 2010 at 4:25 pm  Deixe um comentário  

Capitão Freitas fez contato com familiares no Brasil

“O Capitão Ricardo Freitas da Silva, da Brigada Militar do RS, o qual está na cidade de Gonaives, ao norte de Porto Príncipe, conseguiu contato com seus familiares em Porto Alegre e informou que está bem, no entanto toda a cidade está sem luz e sem comunicação telefônica ou via internet. As informações foram breves tendo em vista os problemas de comunicação.”

Fonte: Notícia postada agora no site do Cap Marco.

12 de janeiro de 2010, às 23h42.

Published in: on janeiro 13, 2010 at 1:43 am  Comments (5)  

Catástrofe no Haiti – contato com os policiais militares brasileiros

Desde as primeiras notícias dos terremotos no Haiti tentei entrar em contato com os amigos que estão vivendo e trabalhando no país, contudo, todas as conexões (telefone, internet) estão sem funcionar.

Segundo a CNN, que está realizando um excelente trabalho de transmissão ao vivo (mas até agora sem imagens e dados mais precisos – 21h15 – Horário do Nordeste), o país está as escuras e estima-se que pelo menos 200 mil pessoas tenham morido no local do epicentro do principal (e primeiro) terremoto (7.0)

Se alguém tiver alguma informação sobre os 02 UNPOL que estão hoje em Porto Príncipe, CAP PMAM Algenor e TEN PMPE Ricardo Couto, favor entrar em contato Urgentemente.

DA mesma forma, inforações sobre o 1 TEN PMDF Cleiton Neiva (Porto Príncipe) e Cap BMRS Ricardo Freitas da Silva (em Gonaives) são aguardadas urgentemente!

Eu e o Cap Marco já tentamos ligar para eles mas até agora não conseguimos contato. Já acionamos outros policiais militares que já serviram no Haiti e todos estão imbuídos em obter mais informações.

PS: A previsão de tsunami não está confirmada ainda. A CNN confirma e suspende a notícia.

Aos familiares, tentem manter a calma e entrem em contato, como alguns já fizeram. Qualquer notícia encaminharei por email e tentarei postar aqui. Acessem também o Blog do amigo Marco.

Sérgio Carrera

Published in: on janeiro 13, 2010 at 12:45 am  Comments (1)  

03 Oficiais PM confirmados para Missão de Paz da ONU na Guiné Bissau em janeiro de 2010.

Até o momento, dois majores da PMDF e um capitão da Brigada Militar estão confirmados para a Missão de Paz da ONU na Guiné-Bissau, Missão esta que tem início previsto para o dia 01 de janeiro de 2010.

Os oficiais estão com previsão de embarque para o dia 20 de janeiro de 2010.

Outros policiais militares também foram entrevistados mas até agora não foram confirmados, possivelmente pelo fato de não terem experiência anterior em Missão, ao contrário dos 3 oficiais acima mencionados.

Para mais informações sobre Guiné-Bissau:

https://missaodepaz.wordpress.com/2009/11/25/04-oficiais-da-pmdf-sao-pre-selecionados-pela-onu-para-comporem-funcoes-de-staff-na-missao-de-paz-da-guine-bissau/

https://missaodepaz.wordpress.com/2009/11/25/oficiais-da-brigada-militar-do-rs-tambem-estao-no-shot-list-para-a-missao-da-guine-bissau/

Published in: on dezembro 30, 2009 at 4:20 am  Deixe um comentário  

Nota de Esclarecimento

Bem, respondendo a alguns emails dos visitantes, informo que todos os posts (cerca de 20) do atual contingente policial militar 2009 em atuação na Mssão de Paz da ONU no Timor Leste foram retirados do ar, conforme solicitação dos oficiais colaboradores. Os que permanecem são relativos a outros anos e profissionais ou por não haver solicitação para que fossem retirados.

Tal fato se deve ao já mencionado pelo Blog do Capitão Marco Antonio, uma vez que os posts aqui divulgados têm sido utilizados contra os próprios policiais militares.

Como sempre, somente publico artigos e fotos encaminhados por policiais militares, considerados colaboradores, e em havendo solicitação para retira-los do ar, isso será feito o quanto antes.

É lamentável que um espaço criado justamente para divulgar as ações e esforços dos policiais brasileiros em Operações de Paz tenha sido utilizado para fins negativos, independentende de quaiquer motivos. Desde a criação do Blog, no início de 2008, esta é a primeira vez que isso ocorre.

Infelizmente, não teremos mais informações (diretas) sobre o que os nobres policiais militares estão produzindo e fazendo em prol da paz no Timor. Pelo menos por enquanto.

Esperamos poder contar com os PM do Haiti e do Sudão ainda este ano e para os novos contingentes para o ano de 2010.

Devido a este fato, este Blog passa a expandir seu foco de abordagem e temas, sempre interligados com o núcleo central de sua criação.

Sérgio Carrera

Published in: on dezembro 19, 2009 at 6:36 pm  Comments (2)  

Novidades para a Missão de Paz da ONU na Guiné-Bissau – 2010

Até a presente data, segundo informações recebidas nos últimos dias, 6 Oficiais policiais militares da PMDF e 02 Oficiais policiais militares da Brigada Militar (BMRS) foram entrevistados pela ONU para Missão de Paz na Guiné-Bissau, com início previsto para o dia 1 de janeiro de 2010, inclusive 02 coronéis com possibilidades de um deles assumir a função de chefe da Polícia da ONU (Senior Police Advisor).

Sérgio Carrera

Published in: on dezembro 11, 2009 at 12:02 am  Comments (1)  

Dois oficiais da Brigada Militar do RS também estão no shot-list para a Missão da Guiné-Bissau

Ainda sobre a Missão da Guiné Bissau do último post, temos novidades importantes vindas dos pampas gauchos, conforme postado pelo Blog do Marco.

Essas notícias são muito positivas e vem a compor uma boa equipe de policiais militares brasileiros na nova Missão da ONU no país africano.

Espero que mais algum Estado tenha conseguido implacar outros oficiais PM. 

Sérgio Carrera

Published in: on novembro 25, 2009 at 10:09 pm  Deixe um comentário  

Policial militar brasileiro monitora a Polícia Nacional do Haiti (PNH) – 2008

Capitão Marco Antonio, da Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Sul (Brigada Militar) em monitoramento e orientação de policiais haitianos em operações policiais conjuntas em Porto Príncipe – Haiti (MINUSTAH).  2008.

Published in: on novembro 22, 2009 at 3:34 am  Deixe um comentário  

Explicações sobre CTO e AL no Blog do UNPolice

Indico leitura dos últimos posts do Blog do Capitão BMRS Marco Antônio sobre CTO e AL.

Os textos são bem explicativos e atualizados. Postei alguns dias um texto do Major Silva sobre seus CTOs.

Sérgio Carrera

Published in: on novembro 9, 2009 at 11:46 pm  Deixe um comentário  

Presidente do Haiti pede a Lula menos militares e mais policiais

Relendo o post no blog do Carrera sobre a perda de espaços e oportunidades do Brasil mandar mais policiais militares para missões de paz, especialmente para o Timor Leste, o que foi alvo de debate no grupo UNPOL, bem como a matéria que postei aqui no blog sobre o plano de retirada das tropas do haiti a partir do 2º Semestre de 2011, lembrei-me da visita que o Presidente Lula fez ao Haiti em Maio do ano passado. Eu estava presente no BRABATT (Brazilian Battalion) juntamente com os demais policiais do contingente brasileiro – foto do palanque oficial da cerimônia.

O Presidente Lula, juntamente com vários ministros dentre os quais o Ministro da Defesa, Nelson Jobim, aproveitou a viagem a El Salvador para participar de uma reunião de Chefes de Estado e fez uma escala de 6 horas no Haiti. Durante sua estada em solo haitiano Lula reuniu-se com o Presidente René Préval, do qual ouviu um apelo para que o Brasil, tendo em vista a situação relativamente estável do Haiti, diminuisse o número de militares e aumentasse o número de policiais, bem como auxiliasse o país em obras de engenharia e infraestrutura, fato amplamente divulgado na imprensa haitiana e brasileira, como no portal G1, no diário do Nordeste e o site da Conlutas.

Decorrido pouco mais de um ano deste fato, nada mudou para nós policiais. No entanto, o plano da ONU de retirada gradual de efetivo (entenda-se efetivo militar), bem como da manutenção e possível ampliação do contingente UNPOL, pode abrir caminho para que o Brasil aumente a presença Policial no Haiti. Acredito que isso possa acontecer a partir do momento que o governo brasileiro e o Itamaraty entenderem que a presença policial também é um fator importante de representatividade internacional do país. É só dar uma olhada no contingente policial que os países que tem cadeira cativa no Conselho de Segurança cedem para as missões de paz. Penso que este é o caminho para que possamos ter, em um futuro próximo, uma FPU(Formed Police Unit) brasileira em uma Missão de Paz. Esclarecendo aos que possam não ter conhecimento que a FPU é uma tropa policial constituída, aquartelada, aos moldes de um Batalhão de choque. No período em que estive no Haiti haviam 08 FPUs – eram 02 da Jordânia, 01 da China, 01 da Nigéria,01 do Paquistão e 01 do Senegal, todas na capital, e 01 do Paquistão em Gonaives e 01 do Nepal em Cap Haitian. A exceção da FPU do Senegal que era composta por 85 policiais, todas as demais possuiam um efetivo de 125 homens. Após minha saída chegou mais uma FPU, a da India.
Levando-se em conta que nenhuma corporação estadual teria condições de abrir mão de uma tropa de choque especializada, vislumbro na Força Nacional esta tropa especial necessária para compor a primeira FPU brasileira. Lembro, ainda, que o efetivo de praças em uma FPU não precisa ter conhecimento de idioma, visto que trabalham sempre com intérpretes, o que facilitaria ainda mais a escolha do efetivo. Apenas para o corpo de oficiais haveria a necessidade de teste de idioma.
Acredito que esta idéia possa ser trabalhada pelos UNPOLs brasileiros que estão atualmente em missão em suas conversas com os Embaixadores e funcionários de alto escalão das Embaixadas brasileiras.
Não custa sonhar!

FONTE: UNPOLICE – A POLICIA NAS OPERACOES DE PAZ, do Capitao BMRS Marco Antonio. 

Published in: on agosto 25, 2009 at 10:03 pm  Comments (1)  

Brigada Militar do RS aprova distintivo de participação em Operações de Paz

brigada oppaz

 

Depois da PMDF, que criou o seu distintivo de participação em Operações de Paz em 1998, a Brigada Militar do RS criou agora em 2009 o seu próprio. Parabéns a Brigada e aos oficiais engajados na evolução do tema no Rio Grande do Sul.

Published in: on julho 6, 2009 at 3:27 am  Comments (1)  

NOTA DE FALECIMENTO

O comando da Brigada Militar, representando o sentimento de todos os seus integrantes da ativa e da reserva, vem a público manifestar a imensa tristeza com o falecimento de três membros da Corporação na data de hoje, em virtude de acidente de trânsito ocorrido no início desta manhã, na cidade de Caçapava do Sul, quando deslocavam para Porto Alegre a fim de participarem de uma solenidade especial alusiva ao dia do “Boina Azul”, uma justa homenagem aos oficiais que representaram a força da Brigada Militar e do Estado do Rio Grande do Sul nas Missões de Paz da ONU. Foram vitimados o Comandante do 2º Regimento de Polícia Montada (2º RPMon), Tenente-coronel João Zazyck Filho, o Tenente-coronel da Reserva João Francisco da Cunha Franco e o Soldado Júlio Adolfo da Silva, motorista do Comandante do 2º RPMon. O Tenente-coronel Zazyck nasceu em 06/08/1959, na cidade de Cerro Largo e incluiu na Brigada Militar em 22/08/1979. Ocupava o cargo de Comandante do 2º RPMon desde 04/03/2005. Era reconhecido como um Oficial competente e linha de frente, um líder por excelência, de perfil técnico elevado, características essas que o levaram a ser indicado pela Corporação para integrar a Missão de Paz da ONU durante os anos de 1993 e 1994, em El Salvador. Excelente amigo, companheiro e pai de família, deixa esposa e filhos. O Ten Cel da Reserva Franco, nasceu em 14/06/1959, na cidade de Lavras do Sul, incluiu na Brigada Militar em 22/08/1979, sendo transferido para a reserva em 24/03/2005. Durante o seu tempo na ativa o Ten Cel Franco desempenhou inúmeras funções de comando, a grande maioria delas na atividade de linha operacional. Após sua ida para a reserva continuou a trabalhar em prol da comunidade de Lavras do Sul, junto ao legislativo municipal, onde exerceu a presidência da Câmara de Vereadores. Por sua notável capacidade operacional, foi igualmente indicado pela Corporação para integrar a missão de paz da ONU. Deixa esposa e filhos. O Sd Julio nasceu em 01/07/1967, na cidade de Dom Pedrito e incluiu na Brigada Militar em 26/11/1991. Atualmente exercia a função de motorista do Comandante do 2º RPMon, justamente por suas excelentes qualidades como condutor de viaturas policiais. Era um policial qualificado, de elevado grau de profissionalismo, características estas que sempre o conduziam para o exercício de funções de destaque. Companheiro e amigo, deixa esposa e filhos.

 

João Carlos Trindade Lopes – Coronel

                                               Comandante-geral da Brigada Militar

Published in: on junho 1, 2009 at 8:43 pm  Comments (1)  

Brigada Militar promoverá evento para comemorar o Dia Internacional do Boina Azul (Peacekeeper)

No dia 29 de maio, o Comando-Geral da Brigada Militar do Rio Grande do Sul (BMRS) promoverá uma solenidade para comemorar o Dia Internacional do Peacekeeper ou dos boinas azuis. O evento ocorrerá na Academia da Brigada e contará com a presença de autoridades e policiais militares veteranos de Operações de Paz. Parabéns aos idealizadores desse evento e ao Comandante-Geral da BMRS pelo apoio e por  incentivar os seus subordinados a participarem de forma mais ativa de missões internacionais.  

PROGRAMAÇÃO:

09h – Abertura com a presença do Exmo. Sr. Cmt-Geral da BM
09h 50min – Palestra com os Ex-integrantes do Btl Suez (UNEF)
10h 20min – Participação da BM em El Salvador (ONUSAL)
10h 40min– Participação da BM na Guatemala (MINUGUA)
11h  – Participação da BM em Kosovo (UNMIK)

11h 20min – Participação da BM no Haiti (MINUSTAH)

11h 55min – Encerramento

Para maiores informações: http://www.brigadamilitar.rs.gov.br/noticias/internet/noticia_bg_new.asp?cod_noticia=19102

Published in: on maio 28, 2009 at 2:34 am  Comments (1)  

Major Braga (PMPA) dá entrevista ao site Defesanet (04out2007)

unpol_m[1]

“Desconhecida da maioria dos brasileiros é a participação de um efetivo de policiais militares integrantes da United Nations Police (UNPOL), na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH).

Esses policiais, criteriosamente selecionados realizam um trabalho de fundamental importância para a MINUSTAH, já que mantêm um contato muito estreito com a Polícia Nacional Haitiana (PNH).

Acompanhe uma entrevista exclusiva com o Major José Vicente Braga da Silva, da Polícia Militar do Pará, chefe do contingente policial brasileiro.

Defesa@Net – Quem são os policias que compõem o efetivo brasileiro na UNPOL?
Major Braga –
A previsão do efetivo policial brasileiro na MINUSTAH, conforme acordo estabelecido entre o Brasil e a ONU é de um total de 4 Policiais Militares, sendo eles atualmente: Major PMPA José Vicente Braga da Silva (Chefe de Contingente); Cap BMRS Marco Antonio dos Santos Morais ; Cap BMRS Ricardo Freitas da Silva e 1º Ten PMDF Sergio Carrera de Albuquerque Melo Neto. A duração da missão de cada policial militar brasileiro no Haiti é de 1 ano. Nossa data de chegada foi o dia 19 de dezembro de 2006, com exceção do Cap Marco que chegou em 23 jun 2007. Só um detalhe que não é muito divulgado: nós somos selecionados pelo Comando de Operações Terrestres (COTER), do Exército Brasileiro, através de provas de tiro, direção e língua estrangeira.

Defesa@Net – Qual é o trabalho realizado por vocês no Haiti?
Major Braga –
Eu o Cap Marco trabalhamos na Traffic and Circulation Unit, unidade criada em jan 2007 para auxiliar e prover aconselhamento técnico à PNH (Policia Nacional do Haiti) a fim de implantar a sua Polícia de Trânsito, bem como mapear problemas de tráfego, produzindo posteriormente relatórios com sugestões de melhorias. Atualmente sou o TEAM LEADER e tenho em minha Unidade como colegas de trabalho policiais do Niger, Benin, Mali, Espanha, Sri Lanka, Rússia e dos Estados Unidos.

O Cap Freitas e o Ten Sergio Carrera trabalham com destaque na Diretoria de Operações da UNPOL, desempenhando o planejamento, a coordenação e comando (incident commander) de varias operações policiais e conjuntas entre UNPOL (incluindo as equipes de SWAT e FPU – tropas de choque internacionais), PNH e Militares em Cité Soleil e Martissant, entre outras. O Cap Freitas assumiu interinamente a Diretoria de Operações no mês de agosto, nas férias do titular, um Coronel Francês. Na Diretoria de Operações trabalham policiais da França, Argentina, Espanha, Russia, Estados Unidos, Canadá, Niger, China, Paquistão, Nepal e Jordânia.

Defesa@Net – Realizam trabalhos em conjunto com militares brasileiros e de outros países? Que tipo e como acontecem?
Major Braga –
Cada Unidade da UNPOL interage com os militares de acordo com a sua atividade. Na questão do trânsito realizamos várias operações com as Companhias de Engenharia do Brasil, do Chile e Equador, às quais são responsáveis por proporcionar a infra-estrutura viária ao Haiti , em conjunto com o Governo do país. Além disso, apoiarmos como unidade de ligação entre a PNH e os militares nas mais diversas operações, como check-points e visitas de autoridades a Porto Príncipe.

No que tange à Diretoria de Operações estamos atuando como incident commander – somos responsáveis por planejar e comandar no terreno as operações especiais que envolvem efetivos como Formed Police Units, SWAT , Militares e Polícia Nacional do Haiti. Trabalhamos em coordenação com os comandantes regionais a fim de colher informações sobre a atuação de criminosos no em todo o país. Também, integramos a seção responsável por facilitar o contato da UNPOL com o comando da PNH e com outras entidades haitianas no que concerne a operações policiais (escoltas, eventos de grande vulto, transferência de presos e varredura de áreas de maior complexidade, etc ).

Defesa@Net – Vocês integram um grupo de quase dois mil policiais de uma força multinacional. O que significa isso?
Major Braga –
A grande importância deste relacionamento é poder conhecer nossos limites e entender que o trabalho policial é difícil em todos os países. Percebemos claramente aqui no Haiti que o trabalho da polícia somente funciona com a participação da comunidade, não importa o país. Cada policial traz de seu país sua experiência profissional e cultural, fazendo com que a diversidade de conhecimentos policiais facilite a tomada de decisão nas mais diversas situações.

Defesa@Net – Que experiência vocês trarão para suas policias quando terminaram a missão no Haiti?
Major Braga –
A interação com policiais de todos os continentes nos proporciona uma visão ampla das diferentes estratégias de combate a criminalidade aplicadas em seus países de origem, bem como nos proporciona passar a estes policiais a experiência da Policia Militar brasileira. Planejamento estratégico envolvendo diversos países exige muitos cuidados e, por isso, nos proporciona uma grande experiência profissional. Com o conhecimento e experiência adquiridos aqui no Haiti poderemos contribuir com os nossos comandos e auxiliar a comunidade no Brasil.

Defesa@Net – Já se encontraram em alguma situação de perigo nessa missão? Já tiveram seu batismo de fogo?
Major Braga –
O policial militar brasileiro tem seu batismo de fogo ao ingressar na PM, pois a atividade policial é dinâmica e sempre perigosa, em qualquer lugar do mundo . Aqui trabalhamos em áreas que nos lembram alguns problemas e ocorrências vivenciadas pelas policias militares do Brasil. Devido a isso, podemos contribuir bastante com a Missão da ONU, face a nossa experiência no combate à criminalidade no Brasil.

Defesa@Net – Com relação à criminalidade, quais são os problemas mais comuns enfrentados pela UNPOL? O que é necessário para que a situação se estabilize?
Major Braga –
Envolver cada vez mais a comunidade no combate a criminalidade é um grande desafio para o Haiti . A MINUSTAH está trabalhando para incrementar o policiamento ostensivo e de trânsito e apoiando a PNH a melhorar sua relação comunitária.

Defesa@Net – Como armas e munição entravam no país e chegavam nas mãos das gangues?
Major Braga –
Não temos elementos suficientes para poder fazer qualquer afirmação sobre essas práticas, tal assunto não está em nosso nível de gerenciamento.

Defesa@Net – Fale sobre o Haiti e sua relação com o narcotráfico?
Major Braga
-Também não temos elementos para falar sobre isso. Está fora do nosso nível de atribuições. Contudo, certamente todos os esforços vêm sendo feitos para coibir esse tipo de crime ou de qualquer outra natureza .

Defesa@Net – Que equipamento de proteção pessoal cada um de vocês porta?
Major Braga –
Colete balístico e capacete são obrigatórios na missão. Esse material é fornecido pela ONU, mas o restante do equipamento (pistola, cinto de guarnição, bastão, algemas, munição) que utilizamos são oriundos das nossas Corporações PM e de cunho particular.

Defesa@Net – Sobre o trabalho realizado no trânsito, a PNH está conseguindo colocar em prática o conhecimento passado por vocês?
Major Braga –
O policiamento de trânsito foi implantado em janeiro de 2007 no Haiti, com a formatura de policiais especificamente treinados para atuar no trânsito de Porto Príncipe. Assim, com base no mandato da ONU no Haiti, o DCPR (Département de Police Routière), Departamento de Polícia de Trânsito, vem recebendo orientação técnica e monitoramento oriundo da UNPOL através da Unidade de TRAFFIC AND CIRCULATION, cujo Team Leader sou eu e tendo como subcomandante o Cap Marco.

É importante ressaltar que o Haiti vem apresentando sensível melhora na questão de segurança pública, fruto do trabalho da MINUSTAH , o que conduz a demandas sociais mais específicas, como o trânsito. Nesse sentido, a direção da PNH está cada vez mais consciente que o policiamento de trânsito é de suma importância para a paz social e sob nossa orientação vem conduzindo ações para a melhoria do trânsito em Porto Príncipe. Como exemplo disso, podemos citar que já foram instalados sinais de trânsito, faixas de pedestres e sinalização vertical em vários pontos da capital haitiana, coisa inimaginável a menos de um ano atrás.

Essa articulação com a PNH e com o governo haitiano, incluindo as “Mairies”, espécie de prefeituras nos bairros de Porto-Príncipe, vem sendo obtido devido ao contato diário dos membros da unidade de trânsito com os policiais haitianos nas ruas. A UNPOL também reconheceu a importância do policiamento de trânsito, pois inicialmente éramos somente 4 UNPOLs na Unidade e agora somos 10, com previsão para 15 UNPOLs a serem incorporados à nossa unidade ainda no mês de outubro.

Defesa@Net – Deixe uma mensagem sobre a importância do trabalho dos policiais brasileiros no Haiti.
Major Braga –
Realizar uma análise sobre a participação dos policiais militares brasileiros em Operações de Manutenção de Paz, mesmo que superficialmente, requer uma ampla visão contextual profissional, sob dois aspectos principais:
1. A contribuição para com a Missão da ONU, e
2. A contribuição levada às Corporações de origem quando do regresso ao Brasil.

A experiência profissional dos oficiais das PMs, tão duramente criticada no Brasil, se sobressai e se destaca no exterior dado um conjunto de valores agregados que somente quando postos em cheque numa missão internacional é que se pode concluir acerca de seus aspectos positivos. A experiência multifuncional adquirida pelo oficial PM com o trabalho administrativo, na chefia de seções de planejamento e recursos humanos, presidindo inquéritos e presidindo licitações, somada às atividades próprias de policiamento ostensivo geral, sempre enfrentando situações reais nos mais diversos tipos de conflitos sociais, proporciona ao oficial brasileiro uma experiência ampla em distintas variantes da atividade policial.

Tanto isso é verdade que na ocasião da entrevista a que nos submetemos no comando da UNPOL para a indicação da unidade em que iremos trabalhar, sempre perguntam em que tipo de policiamento possui alguma experiência, pois os policiais militares brasileiros sempre têm uma experiência mais ampla em quase todos os tipos de policiamento, fato que não é observado em policiais de outros países que, em sua grande maioria, possui experiência somente numa área de atuação. Essa experiência multifacetada dos brasileiros é valorizada nas missões de paz, visto que a tomada de decisões fica muito mais facilitada com essa visão ampla das atividades policiais.

Outro fator importante para nossa atividade é a questão lingüística: todos os policiais do contingente brasileiro aqui falam inglês e francês, além de se comunicarem em espanhol. Isso é, sem sombra de dúvida, algo altamente valorizado em qualquer missão de paz. Fomos submetidos a um rigoroso processo seletivo realizado pelo Exército, onde fundamentalmente o conhecimento de língua estrangeira define os aprovados e os aptos para compor uma Missão de Paz. E concordamos que assim deve ser, pois a polícia tem que interagir com a comunidade e sem comunicação de qualidade isso é impossível.

Tanto no monitoramento da PNH quanto na coordenação de operações e administração interna da Missão, o background trazido contribui sobremaneira para o cumprimento das funções de observador policial e bem representa o Estado Brasileiro no contexto mundial.

Após quase 1 ano trabalhando com policiais e militares de mais de 40 paises, fazendo da pluralidade de línguas e culturas o seu cotidiano e onde as divergências sempre existentes impõem desafios constantes e difíceis de serem contornados, mas que jamais tiram a vontade de trabalhar por um objetivo comum à estabilização da sociedade haitiana, percebemos que mesmo nos piores lugares a criminalidade pode diminuir.

Para nós, policiais militares, o Haiti apresenta muitas das mazelas com que lidamos todos os dias em nossos Estados de origem e isso nos faz acreditar mais ainda na importância do nosso trabalho e na importância do Brasil no mundo. Aqui, nosso país vem ajudando um país irmão da América a encontrar a paz. Temos certeza que o trabalho brasileiro nunca será esquecido no Haiti e muito nos orgulha saber que uma parte desse trabalho conta com a participação das Polícias Militares do Pará, do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul.

Não poderia terminar sem antes enviar uma palavra de incentivo a todos os policiais militares que desejam participar de uma missão de paz: é uma experiência única, que merece ser vivida, apesar das enormes dificuldades.

Aos colegas policiais militares boinas-azuis brasileiros no mundo todo, um forte abraço da paz!”

Fonte: Site Defesanet

Entrevista cedida ao reporter enviado especial ao Haiti Kaiser Konrad

http://www.defesanet.com.br/missao/haiti_07_10.htm

Published in: on maio 26, 2009 at 2:24 pm  Deixe um comentário  

Policiais militares brasileiros monitoram policiais haitianos na Missão de Paz da ONU no Haiti (MINUSTAH)

O então Major José Vicente Braga da Silva, da Polícia Militar do Estado do Pará, e o Capitão Marco Antonio, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, conselheiros técnicos das Nações Unidas no Haiti e membros da Seção de Monitoramento da polícia de trânsito da Polícia Nacional do Haiti (PNH), orientam e aconselham policiais haitianos da área de trânsito. Porto Príncipe, 2007.

Monitoramento%20da%20PNH%20-%20Maj%20Braga%20e%20Cap%20Marco[1]

Published in: on maio 24, 2009 at 3:54 am  Deixe um comentário  

Oficiais mantêm tradição brasileira na Direção de Operações da MINUSTAH

O Major Agrício (PMDF) e o Capitão Marco Antonio (BMRS) dão continuidade ao que já se tornou uma tradição na Missão de Paz da ONU no Haiti, a da constante presença de policiais militares brasileiros na coordenação e atuação na área operacional da UNPOL. Desde o início da MINUSTAH, o Brasil tem sido muito bem representado na Direção de Operações (DIROPS).

Em destaque, um grande amigo dos brasileiros, o oficial Lu, da China, um policial francês, o Capitão Marco, o policial nigeriano Terna, um policial sérvio e o Major Agrício. Porto Príncipe, 1 SEM/ 2008.

Diretoria%20de%20Operacoes%20-%20Policiais%20da%20China%20-%20Franca-%20Nigeria%20-%20Servia%20e%20Brasil[1]

Published in: on maio 17, 2009 at 2:08 am  Deixe um comentário  

Capitão Ricardo Freitas da Silva (Brigada Militar) coordena sua primeira operação conjunta em Cité Soleil (Porto Príncipe – Haiti)

 dsc010622

Foto: Oficial da Gendermarie  francesa Frederick Vrefin (DIROPS/MINUSTAH), policial da SWAT Jordaniana, Capitão Ricardo Freitas da Silva (DIROPS/UNPOL), policial SWAT Jordãnia.

 “Essa foi a primeira sweep operation que eu coordenei em Cité Soleil e essa foto tirada nao final da missão na Base Jamaica ( Abril de 2007 ). Participaram da ação conjunta o Batalhão Brasileiro – Brabatt, no perimeter e checkpoints, a Jordan Swat e a Police National D’Haiti – PNH. Meu colega na missão era o Oficial da Gendermarie  francesa Frederick Vrefin. As operações nas RED ZONES com fulcro policial começaram em Cité Soleil depois do último ataque as casas do marginal Belony pelas forças militares. Foi  o inicio de uma serie de operações conjuntas que levaram a PNH a restabelcer sua presença nas áreas antes domindas por grupos ( gangue ) com forte armamento. O povo inicalmente estranhou ,mas com a frequencia e a presença da MINUSTAH no monitoramento conseguimos  retormar a verdadeira missão da polícia que é estar ao lado do povo nas ruas . Após esse período uma série de operações, batizadas como Operações FAVELA pelo Tenente Sérgio Carrera da PMDF, também membro da Direção de Operações – DIROPS da UNPOL/MINUSTAH, abrangeram toda a regiao de PAP e entorno. ”

Ricardo Freitas da Silva

Capitão da Brigada Militar do Rio Grande do Sul

Published in: on abril 23, 2009 at 5:01 pm  Comments (4)  

PMs brasileiros monitoram a Polícia Haitiana

Abaixo, uma foto de 2007, onde o Major Braga, PMPA, e o Capitão Marco Antonio, BMRS, exercem as funções de Technical Adviser (Conselheiros Técnicos) no monitorameto do Trânsito no Haiti. Em focu, os oficiais orientam policiais haitianos lotados na Unidade de Trânsito, em Porto Príncipe. Esse período foi marcado pela instalação de semáforos (até 2006 haviam apenas 2 na Capital haitiana), faixas de pedestres e outras sinalizações. A unidade da PNH (Polícia Nacional do Haiti) responsável pelo trânsito foi aumentado e recebeu viaturas. Os policiais militares brasileiros desempenharam relevantes trabalhos na melhora da qualidade do caótico trânsito de Porto Príncipe. O Major Braga exerceu por vários meses a Chefia da Unidade de Monitoramento do Trânsito da UNPOL na MINUSTAH.

unpols-brasileiros-ensinando-pnh-do-transito-rm-porto-principe

Published in: on março 30, 2009 at 1:55 pm  Comments (1)  

Tipos de Mandato para a UNPOL

Tipos de Mandato para a UNPOL

 

O policial militar designado para integrar a UNPOL em uma missão de manutenção de paz deve ter prévio conhecimento das características específicas de cada missão quanto às funções policiais. Temos acesso a estas informações através do mandato atribuído pelo Conselho de Segurança da ONU. È importante ressaltar que nossa missão é totalmente diferente da missão das forças armadas. A natureza do serviço policial e os tipos de assistência prestados geralmente podem ser divididos em 3 categorias, de acordo com o respectivo mandato, como segue:

 

1) Suporte de segurança à Polícia Nacional e aos Órgãos responsáveis pela aplicação da lei;

Este tipo de mandato é fornecido especialmente para os batalhões de choque. As denominadas Formed Police Units (FPU) podem dar suporte de segurança às instituições nacionais responsáveis pela aplicação da lei, quando no exercício das suas funções. No entanto, as FPU não são consideradas responsáveis pela aplicação da lei e, conseqüentemente, suas prerrogativas são limitadas. Suas atribuições incluem parar, deter e revistar pessoas, em conformidade com o mandato da missão e diretivas específicas emitidas pelo DPKO. Desempenham papel fundamental na proteção do pessoal e das instalações das Nações Unidas no local da missão. Essas funções de segurança em apoio das agências nacionais responsáveis pela aplicação da lei são atualmente desempenhadas por membros das FPUs em missões das Nações Unidas no Haiti, na República Democrática do Congo, Costa do Marfim e Libéria. 

2) Reforma, reestruturação e reconstrução da Polícia Nacional e demais Órgãos responsáveis pela aplicação da lei.

A UNPOL fornece o suporte necessário à reforma, reestruturação e reconstrução da Polícia Nacional e aos Órgãos responsáveis pela aplicação da lei através de ações de formação, monitoramento e “aconselhamento” (advising). Existe também o apoio fornecido através de fundos monetários, para a renovação das instalações e aquisição de veículos, meios de comunicação e aparelhamento da polícia local. Essa assistência foi prestada no passado, por exemplo, pelos UNPOLs componentes das operações de paz no Haiti, Serra Leoa, Kosovo, Bósnia e Herzegovina, Libéria, Costa do Marfim, República Democrática do Congo e no Burundi. 

 

3) Aplicação “suplementar” da lei;

A UNPOL é responsável por todas as funções de aplicação da lei com autoridade e responsabilidade pela manutenção da lei e da ordem. Possui poderes de captura, detenção e investigação. Estas responsabilidades têm sido historicamente dadas como parte da administração transitória das Nações Unidas (Ex: Kosovo – UNMIK; e Timor-Leste- UNMIT).

 

Estes dados encontram-se no manual do curso “UN POLICE: Restoring Civil order following hostilities”.

 

Espero ter contribuído com os futuros boinas azuis.

 

Capitão Marco – Brigada Militar RS

UNPOL 2108 – MINUSTAH – (Jun 2007 – Jun 2008)

 

 

 

 

 

 

Published in: on março 25, 2009 at 1:15 am  Deixe um comentário  
Tags:

Policiais brasileiros em patrulhamento no Haiti

 O Capitão Ricardo Freitas, da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, e o 1 Tenente Sérgio Carrera, da Polícia Militar do Distrito Federal, ambos classificado na Direção de Operações (DIROPS) da Polícia da ONU na Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH), realizam patrulhamento e fiscalização de policiamento nos bairros do centro de Porto Príncipe, como Bel Air, Cité Militaire e Cité Soleil. (2007)

 dsc02355

Published in: on março 12, 2009 at 11:12 pm  Deixe um comentário  

Policiais militares brasileiros visitam Force Commander brasileiro no Haiti

As fotos abaixo apresentam momentos bastantes distintos dos policiais militares brasileiros na Missão de Paz da ONU no Haiti.

Na primeira foto, os membros do Componente Policial ( United Nations Police – UNPOL) da MINUSTAH visitam o General Brasileiro Elito, Force Commander/Chefe do Componente Militar no Haiti, no final de dezembro de 2006, poucos dias após a chegada do contingente à Porto Príncipe. O General Elito explicou um pouco sobre o trabalho que realizara no Haiti durante o ano de 2006.

Na foto, o então major Braga (PMPA), o General Elito, o Cap Ricardo Freitas (BMRS) e o 1 Tenente Sérgio Carrera (PMDF):

dsc00292

 

Em janeiro de 2007 o General Elito foi substituído pelo General Santos Cruz. Durante todo o ano de 2007, o Gen. Santos Cruz foi sempre um exemplo de profissional e brasileiro na MINUSTAH realizando um trabalho de destaque no Haiti. Na área operacional, o Cap Ricardo Freitas e o 1 Tenente Sérgio Carrera, ambos classificados na Direção de Operações (DIROPS) da UNPOL, puderam trabalhar em operações conjuntas entre as forças militares, comandadas pelo Force Commander, e a Polícia da ONU (UNPOL) e a Polícia Nacional do Haiti (PNH).

Na foto abaixo, os policiais militares fazem uma visita de despedida ao General Santos Cruz por ocasião do término do mandato na Missão de Paz no Haiti, em dezembro de 2007. (exceção ao Cap BMRS Marco Antonio, onde mandato foi de jul07 a julho08).

Na foto, o 1 Tenente Sérgio Carrera (PMDF), o então Major Braga (PMPA), o General Santos Cruz, o Cap Marco Antonio (BMRS) e o Cap Ricardo Freitas (BMRS).

sl270447

Published in: on março 3, 2009 at 1:45 am  Deixe um comentário