“Situação no Haiti”

“Após atuar um ano na area de operações ( Direction des Operation ) na MINUSTAH, como UNPOL, principalmente no planejamento, comando e execução de operações conjuntas ( PNH, UNPOL e Militares), me arrisco a comentar a situação de violencia no pais mais pobre das americas.

A história do Haiti apresenta ciclos de violência, pois os reais problemas estruturais nunca foram combatidos. Os diversos governos jamais trabalharam para dar alento ao povo haitiano. A cultura histórica de corrupção e movimentos ‘sociais’ violentos não mudarão somente com a presença da comunidade internacional ou de dezenas de ONGs que atuam no país e propagam suas inócuas atitudes com salvação para os oprimidos haitianos.

Sub censura, acredito que teremos no armamento no haiti, capitaniado por grupos politicos que nao desejam apenas retirar o atual governo e melhorar a vida das pessoas , mas sim assumir ou reassumir o poder, um dos mais complexos pontos de controle no país.

Tem sido dura  a luta da MINUSTAH e da PNH para terminar com os chefes de gangues que aterrorizam as periferias e executavam dezenas de sequestros semanalmente.

Sabemos que a PNH também enfrenta fortes problemas de corrupção entre seus policiais, mas tambem observei vontade em soluciona-los, mas o povo e o governo devem apoiar a instiuição para que se possa enfrentar o retorno de manifestações violentas com as devidas técnicas e promoção dos direitos humanos.

Acompanhei a vontade da PNH em aprender e dar uma boa resposta a sociedade, pois os policiais haitianos são  homens e mulheres que colocam suas vidas em risco em defesa da sociedade. E, como nós brasileiros, vivem a angustia de ser o único ‘remédio’ para as mazelas sociais, tendo que ao término do serviço retornam para a mesma ‘Cité Soleil’ aonde horas antes mantinham a ‘ordem’.”

Por Ricardo Freitas da Silva – Capitão da Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul. Atualmente na Academia da BMRS.

– Chefe da Seção de Coordenação entre a Polícia da ONU e a Polícia Nacional do Haiti (HNP-UNPOL Coordenation), da Direção de Operações da UNPOL-MINUSTAH, entre dez 2006 e dezembro 2007.

– Diretor de Operações Interino da UNPOL-MINUSTAH, em agosto de 2007. (Função número 03 na hierarquia operacional da Polícia da ONU no Haiti).

Cap Freitas (d) juntamente com FPU nigeriano (e) em operação policial conjunta em Porto Princípe.

Anúncios
Published in: on abril 28, 2008 at 2:26 am  Comments (1)  

The URI to TrackBack this entry is: https://missaodepaz.com/2008/04/28/situacao-no-haiti/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. Muito bom, Freitas,

    O verdadeiro guerreiro é aquele que participa de missões reais. Vc é um desses.

    Um abraço

    Braga


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: